A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
DE CONSUMIDOR A CIDADÃO, ALBERT HIRSCHMAN

Pré-visualização | Página 1 de 1

De consumidor a cidadão
Albert Hirschman
Economista alemão
Capítulos
Tentativa de compreender as ondas periódicas de participação de grandes massas em questões públicas e ações coletivas em geral;
Custo de participação > benefícios almejados
Incongruência entre a teoria e a prática 
Falta de um passado e ideia “águas passadas não movem moinhos”
Busca da Felicidade
Acumulação de bens
Dinheiro (meio) consumo, prazer, experiências, poder (fim)
Consumismo pode gerar insatisfação, o que leva a uma participação mais ativa
Obstáculos a ação política
Racionalidade econômica: ser racional é ter preferências e saber ordená-las
Enigma do eleitor: o benefício da ação coletiva (votar, por exemplo) é menor que o custo (de locomoção, de tempo de espera)
Incentivos seletivos (“prêmios”)
Frustração: expectativas maiores que a realidade 
O processo também traz felicidade: luta=conquista / Obstáculos se tornam benefícios (o trabalho nos transforma como indivíduos)
Sensação de realização 
Limitação das instituições políticas (partidos): impossibilidade de detectar a intensidade do voto e a decepção
Efeito carona
Um indivíduo racional, motivado pelos seus próprios interesses, ficará do lado de for esperando que os outros “deem duro”, conquanto que ele possa desfrutar do resultado dos esforços daqueles
Efeito de impacto
Experiências decepcionantes ao longo da busca pela felicidade através do consumo concebem maturidade para as pessoas;
Conduz o exagero dos benefícios e subestimação dos custos da ação que contrapõe ao caminho anteriormente no campo social
Torna-se um motivo para a mudança no sentido da esfera pública
Considerações
A luta e a conquista se misturam na ação coletiva;
A busca da comunidade, beleza, sabedoria e salvação;
O voto deslegitima outras formas de manifestação, único meio legítimo de expressão de opinião política, forma obediente e passiva;
Participação dos partidos tendem a ser periódica;
Crítica a Bernard Shaw (não realização/abandono ou realização)
Dedicação excessiva: subestimação do tempo necessário para a participação da atividade pública, ignorância, e a volta para as atividades particulares
Extrapola os limites éticos
Dependência
Alanna Nicolle