A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Fisiologia da Adrenal

Pré-visualização | Página 1 de 1

1 www.medresumos.com.br ✓ Eduardo Toaza ✓ Fisiologia Humana 
 
FISIOLOGIA DA ADRENAL 
INTRODUÇÃO: 
 Adrenal ou suprarrenal. 
 O corpo humano possui duas glândulas adrenais (4 g 
cada uma), localizadas nos polos superiores dos rins. 
 Cada glândula adrenal é formada por duas partes 
distintas, a MEDULA adrenal e o CÓRTEX adrenal. 
 Medula  secreta os hormônios epinefrina e 
norepinefrina. 
 Córtex  secreta corticosteroides (hormônios sintetizados 
a partir do colesterol esteroide). 
 O córtex da adrenal é uma glândula endócrina 
verdadeira, enquanto que a medula da adrenal 
é um gânglio simpático modificado. 
 
 
CÓRTEX ADRENAL: 
 É composto de três camadas relativamente diferentes: 
1. Zona glomerulosa: 
- Fina camada de células localizadas abaixo da cápsula. 
- 15% do córtex. 
- Secreta ALDOSTERONA. 
- A secreção dessas células é controlada pelas concentrações de 
angiotensina II e potássio no líquido extracelular (LEC). 
2. Zona fasciculada: 
- Camada do meio e mais larga. 
- 75% do córtex. 
- Secreta CORTISOL e CORTICOSTERONA, além de pequena quantidade 
de androgênios e estrogênios. 
- A secreção é controlada, em grande parte, pelo ACTH. 
3. Zona reticular: 
 
2 www.medresumos.com.br ✓ Eduardo Toaza ✓ Fisiologia Humana 
- Camada mais profunda do córtex. 
- Secreta os androgênios DHEA e ANDROSTENEDIONA, bem como 
pequena quantidade de estrogênios e alguns glicocorticoides. 
- O ACTH regula a secreção dessas células 
 Todos os esteroides humanos são sintetizados a partir do 
colesterol. 
 Cerca de 80% do colesterol usado para a síntese dos 
esteroides é dado pelas lipoproteínas de baixa densidade (LDL) 
no plasma. 
 
 
ALDOSTERONA: 
 A aldosterona aumenta a reabsorção tubular renal de sódio e a secreção 
de potássio principalmente pelas células principais dos túbulos renais e, em 
menor quantidade, nos túbulos distais e ductos coletores. 
 Resumindo: a aldosterona faz com que o sódio seja conservado e aumente no 
líquido extracelular, enquanto o potássio é excretado na urina e diminui no 
LEC. 
 A reabsorção de sódio resulta numa reabsorção de água também 
(onde o sódio vai a água vai atrás), o que leva a um aumento no 
volume do líquido extracelular. Isso gera um aumento do volume 
sanguíneo e no débito cardíaco. Como consequência, ocorre 
também um aumento na pressão arterial. 
 EXCESSO de aldosterona  hipocalemia + fraqueza muscular + 
hipertensão. 
 DEFICIÊNCIA de aldosterona  hipercalemia + toxicidade cardíaca. 
 A aldosterona também aumenta a secreção tubular de íons hidrogênio em 
troca pelo sódio, nas células intercaladas dos túbulos corticais. Isso reduz a 
concentração de hidrogênio no líquido extracelular, causando ALCALOSE 
METABÓLICA. 
 Ademais, a aldosterona estimula o transporte de sódio e potássio nas 
glândulas sudoríparas e salivares e nas células epiteliais intestinais. 
۞ Regulação da aldosterona: 
a. Elevação da concentração de potássio no LEC >> aumenta a secreção de 
aldosterona. 
b. Elevação da concentração de angiotensina II no LEC >> aumenta a 
secreção de aldosterona. 
c. Elevação da concentração de sódio no LEC >> reduz a secreção de 
aldosterona. 
d. O ACTH formado pela hipófise anterior é necessário para a secreção de 
aldosterona, mas tem pequeno efeito sobre o controle da secreção. 
 
3 www.medresumos.com.br ✓ Eduardo Toaza ✓ Fisiologia Humana 
 
CORTISOL: 
 95% da atividade glicocorticoide das secreções adrenocorticais resulta da 
secreção de cortisol (ou hidrocortisona). 
۞ Efeitos: 
1. Estímulo da gliconeogênese (formação de carboidratos a partir de 
proteínas). 
2. Promove a redução da utilização de glicose pela maior parte das células do 
organismo. 
3. Redução das proteínas celulares. 
4. Aumenta as concentrações plasmáticas e hepáticas de proteínas. 
5. Mobilização de ácidos graxos. 
6. Anti-inflamatório. 
 Situações que podem aumentar a liberação de cortisol: trauma, infecção, 
calor/frio, cirurgia, restrição de movimento e doença debilitante. 
 Existe um ritmo circadiano na secreção de ACTH e de cortisol que 
são maiores pela manhã. 
 
 
ANDRÓGENOS: 
 Os hormônios androgênicos são bastante semelhantes ao hormônio masculino 
testosterona e são secretados em quantidades bastante baixas. 
 Quando ocorre uma hipersecreção anormal desses hormônios em crianças ou 
em mulheres, efeitos masculinizantes como puberdade precoce, pilificação, 
calvície em pessoas hereditariamente predispostas, voz mais grave, aumento 
nas dimensões do pênis ou clitóris, além de outras alterações podem ser 
observadas. 
 
MEDULA ADRENAL: 
 As células da medula secretam ADRENALINA e NORADRENALINA numa 
proporção aproximada de 4 para 1, respectivamente. 
 A adrenalina é a única catecolamina que não é sintetizada em 
outro tecido fora da medula adrenal! 
 Tais hormônios aumentam o débito cardíaco e a frequência cardíaca, dilatam 
os vasos sanguíneos coronarianos, aumentam o estado de alerta mental e a 
frequência respiratória e elevam a taxa metabólica. 
 A medula adrenal é inervada por axônios simpáticos pré-ganglionares e 
secreta seus hormônios sempre que o sistema nervoso simpático é ativado 
durante uma resposta de “luta ou fuga”. 
 
4 www.medresumos.com.br ✓ Eduardo Toaza ✓ Fisiologia Humana 
 
۞ Ações das catecolaminas: 
- Gliconeogênese. 
- Lipólise. 
- Síntese proteica no músculo esquelético. 
- Produção de calor. 
- Aumento da frequência cardíaca e força de contração. 
- Vasodilatação das coronárias e musculatura esquelética. 
- Vasoconstrição da pele e vísceras. 
- Broncodilatação. 
- Aumento da frequência respiratória. 
- Diminuição da motilidade gastrointestinal. 
- Dilatação das pupilas. 
- Sudorese plantar e palmar. 
 
ALTERAÇÕES NA SECREÇÃO DE GLICOCORTICOIDES: 
 Síndrome de Cushing: hipersecreção de glicocorticóides devido à secreção 
excessiva de ACTH, tumor na adrenal ou pelo uso prolongado de corticoides. 
 Doença de Addison: secreção inadequada de glicocorticóides e 
mineralocorticóides levando a hipoglicemia, desequilíbrio de Na+ e K+, 
hipotensão, desidratação, perda rápida de peso e fraqueza generalizada. 
 
 
REFERÊNCIAS: 
1. GUYTON, Arthur C. Guyton & Hall tratado de fisiologia médica. 13. ed. Rio de 
Janeiro: Elsevier, 2017. 
2. VANDER, A. J. Fisiologia Humana. 14ª edição.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.