A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Resumo aula 3 e 4

Pré-visualização | Página 2 de 2

tem 3 cabeças, já nos carnpivoros há 4 – longa, lateral, medial e acessória)). 
OBS.: A cabeça lateral tem que ser incisada, soltantando seus bordos. Incisão inclinada, passando a çinça por baico sa aula de economia. Deixar mantido preso crnial e caudal. A pinça deverá ser passada por baixo, incisando-se por cima dela. A cabeça çateral do triceps e uma forma de. Solto os bordos, passo a antômica por baixo e inciso. A incisão e rebatimento da cabeça lateral são feitos para conseguir dissecar a cabeça acessória do Tríceps Braquial. 
A cabeça longa é representada por um tenção forte
Rebater a cabeça Lateral proximal e distalmente o que resultou da incisão, observando as ramificações do Nervo Radial, portanto, não dissecado junto da cefálica.
3º MM ANCONEO: Na porção distal da cebeça acessória
4º MM DELTÓIDE: dividido em parte scapular e acromial do deltoid
5º MM ANCONEO: após dissecada a parede lateral do triceps, disseca-se a cabeça acessória e o anconeo.
6º VEIA CEFÁLICA GENERALIDADES: tem origem nap alma da mão (não dissecada), no arco venoso pa0lmar siuperficial. As ramificações mais dostaos da cefálica são denominadas veia cefálica acessória (divisão distalmente), disseco apenas onde é veia cefálica.
OBS.: NÃO ARRANCAR FÁSCIA!!! Veia cefálica superficial em relação à fascia do antebraço. Deve ser solta da fascia, cuidar com o rebatimento da pele, já que as bvezes pode focar retida nela. 
**Ao chegar na transição entre antebraço e braço, a veia cefálica se aprofunda na porção cleidobraquial do MM braquiocefálico, se abrindo na veia jugular externa, próxima à entrada do tórax, sendo tributária da jugular externa. Depois disso emite:
7º VEIA AXILOBRAQUIAL: já é região de braço, contorna o bordo cranial da cabeça lateral do Tríceps Braquial, emitida pela veia cefálica. Se aprofunda na musculature do trócep, dissecado portanto, apenas um pedaço na localização mencionada. Após se aprofundar na musculature do triceps, se abre na veia braquial, qual está junto ao plexo braquial, medialmente no braço.
Após isso, a axilobraquial (faz o bordo cranial da cabeça lateral do triceps) emite a 8º VEIA OMOBRAQUIAL (delgada e subcutânea), a qual se abre na jugular externa (ambas tributárias dela). É mais calibrosa ao passer pela parte acromial do deltoide.
OBS.: Veias cefálica, omobraquial e axilobraquial são responsáveis pela drenagem sanguínea superficial do membro torácico
9º NERVO RADIAL: corre junto à cefálica. Se possível dissecar, nem que seja apenas na transição entre antebraço e braço (no antebraço, apenas descolar a cefálica, não dissecar o radial). Apresenta dois ramos, dissecados no braço:
RAMO SUPERFICIAL: corre cranialmente no antebraço, junto à cefálica. Em cima, na transição entre braço e antebraço, o ramo superficial divide-se em outros dois ramos: (não precisam ser dissecados)
Ramo Lateral do Ramo superficial do nervo radial
Ramo Medial do Ramo superficial do nervo radial
RAMO PROFUNDO: menor
OBS.: A. Antebraquicárpica corre junto da cefálica, visualizada quando o cão é maior, porém, não precisa dissecar. Tais estruturas precisam estar correndo superficiais em relação à fascia. Ao incisar e limpar para visualizar cabeça acessória, músculo anconeo e músculo braquial, por exemplo, já dissecamos os ramos superficial e profundo do nervo radial, portanto, passar a pinça para proteger, não aprofundando o bisturi. Os ramos do nervo radial se aprofundam na musculature e aparecem medialmente como nervo radial (faz parte do plexo braquial)

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.