A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Molécula Polar

Pré-visualização|Página 1 de 1


Molécula Polar


Polaridade e sua importância

Na ligação covalente não existe a formação de íons e isso provavelmente você já tem conhecimento, o que você provavelmente não sabe é que em muitas substâncias, apesar de seus átomos não terem perdido nem ganhado elétrons, as cargas elétricas não são distribuídas de forma homogênea, fazendo com que partes distintas das moléculas fiquem positivas e outras negativas; assim, as moléculas que possuem cargas elétricas deslocadas são denominadas polares (possuem pequenos polos elétricos positivos e negativos) e as que não possuem são apolares.

O que foi explicado acima nos remete a uma regra geral e muito importante quanto a dissolução das substâncias, isto é, substâncias polares dissolvem substâncias polares, as apolares dissolvem apolares, ou seja, aquela frase famosa "semelhante dissolve semelhante". Dificilmente uma substância polar vai dissolver uma substância apolar.


Identificando composto polares

Quando uma molécula só possui ligações covalentes apolares, não há formação de polos elétricos permanentes, assim, ele será apolar; entretanto, o contrário não é necessariamente válido, isto é, quando uma molécula possui ligações covalentes polares ela poderá ser polar ou apolar.

No caso de uma molécula possuir mais de uma ligação polar, as cargas parciais que surgem nas extremidades das ligações distribuem-se nela como um todo; essa distribuição poderá resultar em um acúmulo de cargas em determinada região da molécula, gerando polos de cargas elétricas; em outros casos, a distribuição pode ser homogênea, de forma que não resulte no acúmulo de cargas em regiões diferentes e, assim, a molécula será apolar.

É possível determinar a distribuição final de cargas em uma molécula somando-se os vetores que representam cada dipolo (sistema de duas cargas elétricas pontuais, do mesmo valor, mas de sinais opostos, separados por uma pequena distância) da molécula; são os vetores de momento de dipolo, representados por μe por definição, esses vetores são orientados do polo negativo par o positivo, apesar de, geralmente, os livros representarem no sentido contrário.

Para saber se existe acúmulo de cagas na molécula, se ela possui mais de um dipolo em suas ligações, precisamos determinar o vetor de momento de dipolo resultante da soma de todos os vetores de momento de dipolo das ligações químicas da molécula; se o vetor resultante, for nulo, isso significa que não existe dipolo, então, podemos concluir que a molécula é apolar, caso contrário temos uma molécula polar.


Conceituando a polaridade

De forma resumida, temos que as moléculas podem ser classificadas quanto a sua polaridade em dois grupos: polares ou apolares.

Experimentalmente, uma molécula é considerada polar quando se orienta na presença de um campo elétrico externo, e apolar quando não se orienta; o polo negativo da molécula é atraído pela placa positiva do campo elétrico externo e vice-versa; além disso, como foi dito acima, temos que, de maneira teórica, pode-se determinar a polaridade de uma molécula pelo vetor momento dipolar resultante (μr), isto é, pela soma dos vetores de cada ligação polar da molécula.

Molécula apolar: μr=0e Molécula polar: μr0

Para determinar o vetor μrdevemos considerar dois fatores, sendo elas a escala de eletronegatividade, que nos permite determinar a orientação dos vetores de cada ligação polar e geometria da molécula, que nos permite determinar a disposição espacial desses vetores.

Dessa maneira, para moléculas polares, segue alguns exemplos:

H2O: μr0



HTML image 0
Momento dipolar

HCl: μr0e o vetor se desloca com sentido ao cloro (HCl).



HTML image 1
Momento dipolar

Como na molécula de HClsó existe um único vetor (μ), ele é o próprio vetor resultante (μ). Assim, temos que se trata de uma molécula polar.