A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
126 pág.
acne e rosacea

Pré-visualização | Página 1 de 8

INGREDIENTES E TRATAMENTOS 
COSMÉTICOS PARA PELES COM 
 ACNE E ROSÁCEA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Profa Dra Aparecida Erica Bighetti Ribas 
2019 
Profa Dra Aparecida Erica Bighetti Ribas 
• Graduada em Ciências Farmacêuticas pela PUC-Campinas; 
 
• Mestre em Farmacologia pela UNICAMP; 
 
• Doutora em Clínica Médica pela UNICAMP; 
 
• Professora e Coordenadora do Curso de Farmácia do UNIANCHIETA em Jundiaí/SP; 
 
• Professora e Coordenadora do Curso de Tecnologia em Estética e Cosmética UNIANCHIETA em Jundiaí/SP; 
 
• Coordenadora do Curso Pós Graduação MBA Cosmetologia Estética e Ciências da Pele do Instituto de 
Cosmetologia e Ciências da Pele (ICosmetologia); 
 
• Professora dos Cursos da Academia Brasileira de Tricologia (ABT); 
 
• Professora Cursos de Pós Graduação nas áreas de Cosmetologia, Estética e Tricologia; 
 
• Técnica Master Programa GRANDHA HAIR THERAPY; 
ESTE MATERIAL FOI ELABORADO EM 
PARCERIA COM O PROF. DR. 
GUSTAVO DIEAMANT 
ACNE 
 Definição; 
 Epidemiologia; 
 Prevalência; 
 Suscetibilidade; 
 Características; 
 Evolução; 
 Localização; 
 Terminologias; 
 Avaliação Clínica; 
 Classificação; 
 Fisiopatologia; 
 Estratégias Tratamentos; 
 Ativos Cosméticos; 
DEFINIÇÃO 
“Doença inflamatória da pele, 
causada por alterações nas 
unidades pilossebáceas (folículo 
piloso associado à glândula 
sebácea)”. 
(Nijsten, S. et al., 2007. J Eur Acad Dermatol Venereol) 
“Condição inflamatória do folículo piloso 
que ocorre em locais onde existe um 
grande número de glândulas 
sebáceas, especialmente face e 
costas”. 
(Okano, Y. In: Functional Cosmetology, 2001) 
EPIDEMIOLOGIA 
 Início: adolescência (puberdade) 
 Resolutiva: após 20 anos 
 Indivíduos com sintomas após 35 anos: 
─ 1% homens 
─ 5% mulheres 
 Influência genética 
 Agravada por fatores ambientais 
(Dieamant, 2016) 
 É a desordem cutânea mais comum no Brasil (~ 45 milhões) 
 85% dos adolescentes desenvolvem acne 
 100% dos adolescente acometidos desenvolvem a lesão “comedão” 
 Atinge: 
─ 8% dos indivíduos com 25 – 34 anos 
─ 3% dos indivíduos com 35 – 44 anos 
 Somente 10% das pessoas procuram tratamento 
EPIDEMIOLOGIA 
(Dieamant, 2016) 
 Desordem cutânea mais comum na maior parte do mundo 
 Atinge todas as raças e etnias com igual significância 
 Pacientes com fototipos de pele III, IV e V apresentam maior 
predisposição ao desenvolvimento de hiperpigmentação pós-
inflamatória e quelóides 
PREVALÊNCIA 
(Dieamant, 2016) 
SUSCEPTIBILIDADE 
 Tipos de Pele 
o 4 tipos: 
─ Oleosa 
─ Seca 
─ Normal 
─ Mista (oleosa/seca) 
 Quantidade de sebo é fator determinante: 
─ maior susceptibilidade: pele oleosa 
(Dieamant, 2016) 
 Estudos indicam que a pele oleosa não necessariamente é 
pré-requisito para acne (Kawai et al., 1997. J Jpn Cosmet Sci Soc) 
 
 Indivíduos que reportam pele sensível são mais 
susceptíveis à acne (Mori et al., 2003. Fragrance J) 
 
 O aumento da quantidade de sebo, especialmente ácido 
oléico, resulta em uma disfunção da barreira cutânea, 
com conseqüente hiperqueratose (Muruyama, 2005. J Invest Dermatol) 
SUSCEPTIBILIDADE 
 O grau de comprometimento da função da barreira cutânea está 
diretamente relacionado com a severidade da acne (Yamamoto et al., 2006. 
J Invest Dermatol) 
 
 Ocorrência principalmente durante os períodos da primavera e 
verão devido ao aumento da produção sebácea (Mori et al., 2003. Fragrance J) 
 
 Em mulheres, a acne está intimamente relacionada com período 
menstrual, devido às alterações hormonais, com conseqüente 
diminuição da capacidade tamponante e alteração na função da 
barreira (Okano, Y. In: Functional Cosmetology, 2001) 
SUSCEPTIBILIDADE 
EVOLUÇÃO 
• Hiperatividade das glândulas 
sebáceas, associada à 
hiperqueratose; 
 
• Lesões provocadas pela 
obstrução dos folículos 
pilossebáceos  abscesso; 
 
• Proliferação e ação das 
bactérias; 
 
• Reação inflamatória local. 
EVOLUÇÃO 
 
 
 
 
 
 
Aumento da 
produção da 
secreção sebácea 
Hiperqueratinização 
com obstrução do 
folículo 
pilossebáceo 
Proliferação e ação 
das bactérias 
 Reação inflamatória 
local 
Pápulas  Pústulas  Nódulos  Cicatriz 
LOCALIZAÇÃO 
 
• Localiza-se na face, região 
anterior e posterior do tórax 
TERMOS E DEFINIÇÕES 
Comedão fechado: O acúmulo de 
sebo converte o microcomedão em 
comedão fechado 
Comedão aberto: Quando o orifício 
folicular é aberto e distendido 
Melanina + queratinócitos sobrepostos + 
lipídeos oxidados  cor escura 
Fonte: google imagens 
Cistos: Quando ocorre a ruptura do 
folículo na região do tecido, 
resultando em 
pápula/pústula/nódulo 
Fonte: google imagens 
TERMOS E DEFINIÇÕES 
NÓDULO: Uma formação sólida, com 0,5 a 1 cm de diâmetro, que pode ser 
 elevada. Algumas vezes, ele parece formar-se abaixo da superfície 
 cutânea e pressionar para cima. 
 
PÁPULA: Uma protuberância sólida com menos de 1 cm de diâmetro. As verrugas, 
 as picadas de insetos, os pólipos cutâneos e alguns cânceres de pele são 
 pápulas. 
 
PÚSTULA: Uma bolha com conteúdo purulento (acúmulo de leucócitos). 
TERMOS E DEFINIÇÕES 
AVALIAÇÃO CLÍNICA 
 Diagnostico com base na identificação das lesões 
 Espectro das lesões: 
─ Lesões não-inflamatórias (comedão aberto) 
─ Lesões inflamatórias (comedão fechado) 
 Lesões são mais comuns em áreas com alta concentração de glândulas 
sebáceas (face, pescoço, peito e costas) 
 Importante diferenciar as lesões de outras desordens cutâneas 
 Graus de acne são baseados nas características da lesão e isto define o 
tratamento 
(Dieamant, 2016) 
CLASSIFICAÇÃO – GRAUS DA ACNE 
1. Acne comedônica (Grau I) 
2. Acne Pápulo-pustulosa (Grau II) 
3. Acne Nódulocística (Grau III) 
4. Acne Conglobata (Grau IV) 
5. Acne Fulminans (Grau V) 
1. Acne comedônica (Grau I) 
Característica das lesões: 
– Não-inflamatória; caracteriza-se pela presença de comedões, existência de 
algumas pápulas e raríssimas pústulas 
• Comedões: 
» Micro-comedão 
» Comedão fechado 
» Comedão aberto 
 
1. Acne comedônica (Grau I) 
Fonte: google imagens 
2. Acne Pápulo-pustulosa (Grau II) 
Característica das lesões: 
– Presença de comedões, pápulas eritematosas e pústulas 
– O quadro tem intensidade variável, desde poucas lesões até numerosas 
– Comedões podem estar presentes 
2. Acne Pápulo-pustulosa (Grau II) 
Fonte: google imagens 
3. Acne Nódulocística (Grau III) 
Característica das lesões: 
– Há comedões, pápulas e pústulas 
– Devido à ruptura da parede folicular, há reação inflamatória que atinge a 
profundidade do folículo até o pêlo, formando nódulos furunculóides 
– No interior destes nódulos (cistos) pode ocorrer a formação de pús 
3. Acne Nódulocística (Grau III) 
Fonte: google imagens 
4. Acne Conglobata (Grau IV) 
Característica das lesões: 
– Forma grave de acne, em que ao quadro anterior (Grau III), associam-
se nódulos purulentos (com pús) numerosos e grandes, formando 
abscessos e fístulas que drenam pus. Esta forma, em geral, acomete 
face, pescoço, faces anterior e posterior do tórax, podendo chegar até a 
região glútea 
4. Acne Conglobata (Grau IV) 
Fonte: google imagens 
5. Acne Fulminans (Grau IV) 
Característica das lesões: 
– Forma extremamente rara em nosso meio, na qual, associado às 
formas de acne nódulo-cística ou conglobata, surge subitamente febre, 
leucocitose, poliartralgia. 
5. Acne Fulminans (Grau IV)