A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
126 pág.
acne e rosacea

Pré-visualização | Página 7 de 8

Peg 
PPG-18/Meticone e adicionar os óxidos de ferro e dióxido de titânio. Adicionar a 
fase C item por item. 
 
3) Em outro becker pesar o ciclomet/dimet e o DC5225C e homogeneizar. 
4) Verter o item 3 no item 2. 
6) Adicionar a fase F 
7) Emulsionar 
Blur FPS 15 - Pele Oleosa 
Base em Mousse FPS 30 – Pele Oleosa 
Fases Ingredientes % Função 
FASE B 
Lauril Peg PPG-18/ Meticone 5 emulsionante 
Ciclometicona DC 245 6,45 agente condicionante da pele/ emoliente 
Óxido de ferro vermelho (novo) 0,3 pigmento 
Óxido de ferro amarelo (novo) 1,73 pigmento 
Óxido de ferro preto (novo) 0,15 pigmento 
Dióxido de titânio (novo) 7,32 pigmento 
Caprililmeticone 5 condicionante da pele/ oclusivo 
FASE C 
Água 17,55 veículo/solvente 
Neo Heliopan Hydro 2 fotoprotetor da pele 
Neo Heliopan AP 4 fotoprotetor da pele 
Aminometilpropanol 1,78 ajustador pH 
FASE A 
DC 5225C 4,45 emulsionante 
Cilcomet/dimet crospolímero 30 condicionante da pele 
 p-metoxi 3 fotoprotetor da pele 
FASE D 
Dimeticone/ Vinil dimeticone crospolímero 4,47 agente condicionante da pele/ aumenta a viscosidade 
Silica 0,5 absorvente/ anticaking 
FASE E 
Alcool benzílico 0,2 conservante 
Fenoxietanol 0,6 conservante 
Retinaldeído 0,03 ativo 
Óleo de rícino PEG 40 0,5 solubilizante 
FASE F 
Polimetilsilsesquioxano 2 modificador sensorial 
Amido 1,9 opacificante 
 Total 100 
Processo: 
FASE B 
2) Pesar o Lauril PEG PPG-18/ Meticone e a ciclometicona DC 245 e agitar; 
3) Adicionar os óxidos de ferro um á um até completa dispersão; 
 
FASE C 
1) Em outro becker, ajustar o pH da água com aminometilpropanol, para 7,2, adicionar os filtros 
(Neoheliopan AP e Hydro) e o cloreto de sódio e agitar até completa solubilização; Adicionar a fase E. 
 
FASE E 
1) Pesar a essência, os conservantes e o óleo de rícino. Aquecer essa mistura até 40 ºC e sob alta 
agitação até que fique homogênea. Adicionar a fase C. 
 
FASE A 
1) Em um becker pesar, DC 5225C, 9040. Agitar até completa solubilização. Adicionar o p-metoxi. 
 
2) Verter a FASE B sobre a FASE A. Homogeneizar; 
3) Após completa homogeneização, adicionar LENTAMENTE a FASE C; 
4) Adicionar a FASE D e a FASE F 
5) Homogeneizar a formulação no silverson a 3000 rpm. 
 
 
 
Base em Mousse FPS 30 – Pele Oleosa 
ROSÁCEA 
 Definição; 
 Epidemiologia; 
 Prevalência; 
 Características; 
 Classificação; 
 Estratégias Tratamentos; 
 Ativos Cosméticos; 
 
ROSÁCEA 
• Doença crônica, inflamatória, com predisposição 
genética 
• Atinge 10% da população: período de melhora e piora 
• Indivíduos de pele clara 
• Predomínio em mulheres 
• Forma severa: homens 
• Caracterizada por eritema frequente e persistente 
• Telangiectasias, lesões inflamatórias com pápulas e 
pústulas 
• Não está associada a seborreia 
 
• Localiza-se geralmente na zona 
central do rosto (nariz, bochechas, 
testa e queixo) 
• Pode aparecer no tronco, couro 
cabeludo, pescoço ou extremidades 
• Manifesta-se de forma bilateral e 
simétrica 
Crawford GH, Pelle MT, James WD. (2004) Rosacea: I. Etiology, pathogenesis, 
and subtype classification. American Academy of Dermatology. 51: 327-341. 
ROSÁCEA 
ETIOPATOGENIA 
• Causada por um processo inflamatório que envolve vasos da pele e a 
unidade pilosebácea, levando ao desenvolvimento de eritema, com 
sintomas de dor, queimação, prurido e flushing (crises de rubor facial). 
• O papel de microrganismos, bactérias assim como radiação UV podem 
desencadear o processo 
• Outros propõem uma reatividade vascular anormal 
• Associação de Rosácea a enxaqueca 
• Manifestação cutânea da infecção pelo HIV 
• Autores concordam que o paciente apresenta pele sensível, naturalmente 
avermelhada 
• Comum em pessoas com ascendência do norte da Europa e da Europa 
Ocidental, sendo muito comum também em norte-americanos, ocorre 
com menor frequência em outros grupos étnicos 
Mcaleer MA, Fitzpatrick P, Powell FC. (2010) Papulo pustular rosacea: Prevalence and relationship to photodamage. 
American Academy of Dermatology. 63:33-39. 
• Erupção pode variar em função do 
grupo étnico, sendo que as pápulas e 
pústulas são menos comuns nos negros 
e seus descendentes. 
CLASSIFICAÇÃO 
• Rosácea Eritêmato telangiectásica (subtipo I) 
• Rosácea papulopostular (subtipo II) 
• Rosácea fimatosa (subtipo III) 
• Rosácea ocular (subtipo IV) 
ROSÁCEA 
ROSÁCEA ERITÊMATO TELANGIECTÁSICA OU SUBTIPO I 
• Caracteriza-se por episódios de rubor 
• Desencadeados por fatores como: a ingestão de bebidas 
quentes, alimentos picantes, exercício físico e álcool 
• Aplicação de produtos tópicos 
• Queixa de prurido, descamação, sensação de calor e que a 
pele fica mais sensível 
• É considerado como o gênero de rosácea mais comum 
ROSÁCEA PAPULOPOSTULOSA OU SUBTIPO II 
• Caracteriza-se pela presença de pápulas e pústulas e 
eritema na zona central da face no entorno de nariz, olhos 
e boca 
• Diferencia-se da acne pela ausência de comedões 
ROSÁCEA FIMATOSA OU SUBTIPO III 
• Caracteriza-se pela presença de 
pápulas e nódulos 
• Há um engrossamento da pele 
dando-lhe um aspeto irregular 
• Este engrossamento ocorre 
devido a hiperplasia das glândulas 
sebáceas acompanhada de 
fibrose 
• Aparecem principalmente na zona 
do nariz, pálpebras, queixo, 
bochechas, ouvidos entre outras 
áreas 
• É uma forma de rosácea 
predominante no sexo masculino 
ROSÁCEA OCULAR OU SUBTIPO IV 
• Caracterizada por desconforto ocular 
• Hipersensibilidade à luz 
• Sensação de um corpo estranho, irritação, sensibilidade à luz e 
córnea e as conjuntivas, podendo ser acompanhada ou não de 
outras lesões na pele 
• As lesões variam desde ligeiras a blefarite da córnea, podendo 
levar a opacidade, formação de cicatrizes até perda de visão 
ESTRATÉGIAS TRATAMENTO 
EVITAR 
• Agentes irritantes (sabonetes ou álcool, abrasivos e adstringentes) 
• Comidas quentes, chá, café, sol, vinagre, berinjela banhos quentes, 
alimentos condimentados 
• Exercícios físicos em locais mal ventilados 
• Vento, frio, calor, ar seco, estresse e ansiedade 
RECOMENDA-SE 
• Fotoprotetores com filtros físicos 
• Compressas de chá de camomila (frio) 
• Sabonetes glicerinados e linhas de cosméticos específicos 
TRATAMENTO MEDICAMENTOSO 
• Antibióticos e Metronidazol 
• Corticosteroides por curtos períodos 
EVITAR 
• Acetona, álcool, mentol, 
cânfora, propilenoglicol, 
α-hidroxiácidos, 
laurilsulfato de sódio, 
óleo de eucalipto, hortelã, 
pimenta, fragrâncias e 
bases oleosas oclusivas. 
• Castanha da índia, 
Gingko biloba, Vaccinium 
myrtillus e Ruscos 
aculeatus 
(vasoconstritores) 
• Esfoliantes 
 
IMPORTANTE 
ESTRATÉGIAS TRATAMENTO 
ATIVOS ROSÁCEA 
ROSAGE® 
• Extrato de semente da tamareira 
• Efeito antogonista sobre o receptor alfa-2 adrenérgico 
• alfa 2-adrenérgico é responsável pela vasoconstrição, 
consequentemente, reduz sintomas da rosácea e 
olheiras 
• Usado em concentração de 3 a 5% 
 
Ativo Propriedades Concentração Uso 
SymSitive Minimiza as reações de hipersensibilidade cutânea, 
reduzindo a ardência e a sensação de irritação. 
2% 
Telangyn Tetrapeptídeo com ação anti-inflamatória. Reduz a 
liberação das citocinas pró-inflamatórias como,IL-6 
e IL-8. 
Diminui a degradação da MEC. 
Previne a hiperpigmentação pós-inflamatória. 
2% 
 
Madecassoside 
 
Modulador da resposta inflamatória (IL1, IL8 e 
PGE2), normalizador da hiperproliferação de 
queratinócitos e reestruturador da MEC (ativação 
filagrina). 
3% 
Ambora Extract Controla a vermelhidão pela diminuição do fluxo 
capilar, a inflamação cutânea, a irritação, além de

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.