BDQ ETICA
3 pág.

BDQ ETICA


DisciplinaÉtica Profissional5.671 materiais74.030 seguidores
Pré-visualização2 páginas
1a Questão (Ref.:201505545458) Acerto: 1,0 / 1,0
Assinale a alternativa que apresenta uma informação CORRETA:
Os advogados públicos não integram a OAB.
no processo judicial, o advogado contribui na postulação de decisão favorável ao seu constituinte, ao
convencimento do julgador, mas seus atos não constituem múnus público.
o estagiário de advocacia, regularmente inscrito, pode praticar todos os atos previstos no Estatuto da Advocacia e
da OAB, na forma do Regulamento Geral, isoladamente ou em conjunto com advogado e sob responsabilidade
deste, com carga horária de 250h.
o advogado que renunciar ao mandato continuará, durante os 15 (quinze) dias seguintes à notificação da
renúncia, a representar o mandante, salvo se for substituído antes do término desse prazo.
 no seu ministério privado, o advogado presta serviço público e exerce função social.
Respondido em 04/11/2019 16:36:38
2a Questão (Ref.:201505547822) Acerto: 1,0 / 1,0
A obrigatoriedade do visto do advogado em atos constitutivos de pessoa jurídica, sejam contratos sociais ou estatutos,
decorre do Estatuto da Advocacia (Lei 8.906, de 4 de julho de 1994), que dispõe sobre o exercício da profissão de
advogado. Sobre esta obrigatoriedade é correto afirmar:
Há dispensabilidade do visto apenas para o empresário individual
 há dispensabilidade do visto para as Microempresas e empresas de pequeno porte.
há dispensabilidade do visto para as sociedades limitadas.
há dispensabilidade do visto para sociedades anônimas.
há dispensabilidade do visto para as sociedades empresárias em geral.
Respondido em 04/11/2019 16:37:53
3a Questão (Ref.:201503225343) Acerto: 1,0 / 1,0
O certificado de aprovação no Exame da OAB:
É um dos requisitos para inscrição de advogados e estagiários nos quadros da OAB.
É válido pelo prazo de 5 anos.
 É válido por tempo indeterminado.
Não é expedido enquanto não for prestado o compromisso perante órgão da OAB.
Não poderá ser obtido em caso de impedimento ao exercício da advocacia.
Respondido em 04/11/2019 16:41:53
4a Questão (Ref.:201503629670) Acerto: 1,0 / 1,0
O requerente à inscrição principal no quadro de advogados presta o seguinte compromisso perante o Conselho Seccional,
a Diretoria ou o Conselho da Subseção: Prometo exercer a advocacia com dignidade e independência, observar a ética, os
deveres e prerrogativas profissionais e defender a Constituição, a ordem jurídica do Estado Democrático, os direitos
humanos, a justiça social, a boa aplicação das leis, a rápida administração da justiça e o aperfeiçoamento da cultura e das
instituições jurídicas. Esse compromisso solene e personalíssimo é imposto pelo
 Regulamento Geral da Ordem dos Advogados do Brasil
Provimento 144/2011.
Regimento Interno dos Conselhos Seccionais.
Código de Ética e Disciplina da OAB.
Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil.
Respondido em 04/11/2019 16:42:23
5a Questão (Ref.:201503484668) Acerto: 1,0 / 1,0
(XVII Exame Unificado/2015/ADAPTADA) - Patrícia foi aprovada em concurso público e tomou posse como Procuradora do
Município em que reside. Como não pretendia mais exercer a advocacia privada, mas apenas atuar como Procuradora do
Município, pediu o cancelamento de sua inscrição na OAB. A partir da hipótese apresentada, assinale a afirmativa correta.
 Patrícia não agiu corretamente, pois os advogados públicos estão obrigados à inscrição na OAB para o exercício de
suas atividades.
Patrícia não agiu corretamente, pois como é advogada pública está impedida de exercer a advogacia em qualquer
hipótese.
Patrícia não agiu corretamente, pois deveria ter requerido apenas o licenciamento do exercício da advocacia e não
o cancelamento de sua inscrição.
Patrícia agiu corretamente, pois, uma vez que os advogados públicos não podem exercer a advocacia privada,
estão obrigados a requerer o cancelamento de suas inscrições.
Patrícia poderia ter pedido o licenciamento do exercício da advocacia, mas nada a impede de pedir o cancelamento
de sua inscrição, caso não deseje mais exercer a advocacia privada.
Respondido em 04/11/2019 16:44:28
6a Questão (Ref.:201503630548) Acerto: 1,0 / 1,0
O artigo 6º e seu parágrafo único do EOAB ressalta o princípio constitucional da isonomia e independência que visam
garantir o efetivo exercício profissional da advocacia.
Devemos combiná-los com os artigos 133, CR/88, art. 2°, 27 e 28, CED que tratam da importante atuação do advogado
na administração da justiça e do seu dever de urbanidade.
Tendo em vista o que foi afirmado acima, assinale a aletrnativa incorreta:
O advogado observará, nas suas relações com os colegas de profissão, agentes políticos, autoridades, servidores
públicos e terceiros em geral, o dever de urbanidade, tratando a todos com respeito e consideração, ao mesmo
tempo em que preservará seus direitos e prerrogativas, devendo exigir igual tratamento de todos com quem se
relacione.
O advogado tem o dever de urbanidade, ou seja, deve tratar a todos com respeito e consideração, ao mesmo
tempo em que preservará seus direitos e prerrogativas, devendo exigir igual tratamento de todos com quem se
relacione.
 No caso de ofensa à honra do advogado ou à imagem da instituição, adotar-se-ão as medidas cabíveis,
instaurando-se apenas processo ético-disciplinar.
As autoridades, os servidores públicos e os serventuários da justiça devem dispensar ao advogado, no exercício da
profissão, tratamento compatível com a dignidade da advocacia e condições adequadas a seu desempenho.
O dever de urbanidade há de ser observado, da mesma forma, nos atos e manifestações relacionados aos pleitos
eleitorais no âmbito da Ordem dos Advogados do Brasil.
Respondido em 04/11/2019 16:45:48
7a Questão (Ref.:201503549861) Acerto: 1,0 / 1,0
Cristiano, advogado criminalista, compareceu à Delegacia de Polícia no município X, a fim de colher informações e cópias
de inquérito policial em que seu cliente figurava como indiciado. Ao comparecer à Unidade Policial, solicitou vista dos
autos, o que lhe foi negado pelo Delegado de Polícia sob dois argumentos: o primeiro, pelo fato de Cristiano não portar
procuração outorgada pelo indiciado; o segundo, em virtude de o inquérito policial tramitar em sigilo. À luz das regras
estatutárias, assinale a alternativa correta:
Agiu incorretamente o Delegado de Polícia, visto que é direito do advogado ter vista de autos de inquérito policial,
salvo se conclusos à autoridade, hipótese em que será exigida a procuração
Agiu corretamente o Delegado de Polícia, visto que a natureza sigilosa do inquérito policial impede sua consulta
por qualquer pessoa, inclusive advogados
 Agiu incorretamente o Delegado de Polícia, pois o sigilo do inquérito policial não constitui obstáculo para que o
advogado a ele tenha acesso, independentemente de procuração.
Advogados não possuem a prerrogativa, nem mesmo munido de procuração.
Agiu incorretamente o Delegado de Polícia, visto que o direito de vista de autos de inquérito policial é irrestrito aos
advogados, independentemente, em qualquer caso, de procuração
Respondido em 04/11/2019 16:54:22
8a Questão (Ref.:201503484669) Acerto: 1,0 / 1,0
(XVII Exame Unificado/2015/ADAPTADA) - A advogada Maria foi presa em flagrante por furto cometido no interior de uma
loja de departamentos. Na Delegacia, teve a assistência de advogado por ela constituído. O auto de prisão foi lavrado sem
a presença de representante da Ordem dos Advogados do Brasil, fato que levou o advogado de Maria a arguir sua
nulidade. Sobre a hipótese, assinale a afirmativa correta.
O auto de prisão em flagrante é nulo, pois advogados não podem ser presos por crimes afiançáveis
O auto de prisão em flagrante não é nulo, pois a presença de representante da OAB é facultativa em qualquer
caso, podendo sempre ser suprida pela presença de advogado indicado pelo preso.
O auto de prisão em flagrante é nulo, pois a presença de representante da OAB em