A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
45 pág.
Resumo de Agrometeorologia

Pré-visualização | Página 1 de 7

TEMPERATURA DO AR E DO SOLO
-- RN E BALANÇO DE ENERGIA se destinam a 2 processos:
	- Fluxo convectivo de calor sensível
	- Fluxo por condução de calor
-- Que resultam em aquecimento do ar e do solo
-- Para ambiente úmido:
	-O solo se aquece durante o dia, e durante a noite transfere sua energia para a atmosfera.
	-Durante o dia, o ar se aquece e durante a noite ele se resfria.
-- Para ambiente seco
	- LE não ocorre, e o H aumenta excessivamente
-- O regime térmico de um solo é determinado pelo aquecimento da superfice pela incidência de radiação solar.
-- A transferência de energia para as camadas mais profundas do solo se dá por condução.
-- A noite, o resfriamento da superfície por emissão de radiação de ondas longas, inverte-se o fluxo que passa a ser do solo para a superfície.
-- TAUTOCRONAS – perfis de avaliação de temperatura.
-- Na superfície a amplitude térmica é máxima, e a medida que a profundidade aumenta, a amplitude diminui até chegar em 0. Varia de acordo com o tipo de solo e temperatura ambiente.
-- Os fatores determinantes para a temperatura do solo (fluxo de calor no solo) são:
	- Condutividade térmica—capacidade do solo conduzir temperatura.
	- Calor especifico quantidade de energia necessária para promover mudança de temperatura do sistema.
	- Emissividade é um parâmetro que compara a emitir radiação de onda longa de um corpo para um corpo negro, por exemplo plantas.
	- Interação com outros fatores, como os externos que são relacionados a elementos meteorológicos, e fatores intrínsecos, que são o tipo de solo, relevo e tipo de cobertura do terreno.
		- Textura do solo proporção entre areia, argila, silte, etc... e formatos de agregados. Os solos arenosos apresentam maiores amplitudes térmicas na superfície e menores em profundidade, isto ocorre por que solos arenosos tem maior porosidade principalmente macroporos, que armazenam em geral ar que são péssimos condutores de ar. E os solos argilosos possuem mais microporos, onde há uma maior quantidade de agua, conduzindo melhor o calor resultando em menor amplitude térmica na superfície. Portanto, o papel do solo como armazenador de calor depende da sua estrutura e composição.
		- Relevo fator topoclimatico que altera a exposição do solo a radiação solar
		- Cobertura do terreno fator microclimático. Solos sem cobertura apresentam maior amplitude. A vegetação modifica o balanço de radiação , pois intercepta a radiação, impedindo em que ela atinja o solo.
	-- VARIAÇÃO DA TEMPERATURA DO SOLO
	- Diária: varia de acordo com a profundidade, tendo sua temperatura máxima entre as 13 e 14 h
	- Anual: varia de acordo com a estação do ano 
-- Para medir a tempertatura do solo:
	- Geotermometro, geotermografo, termistor, instalados em solos gramados e desnudos.
	- Geotermografo mede e registra em um gráfico. Existem outros métodos de determinação da temperatura mais baratos.
	-- Calculo da temperatura média do solo
 	Tmed do solo = Ts7h +Ts14g + Ts21h)/3
	Tmed do solo = Somatorio Ts/ N
-- Estimativa da temperatura media mensal do solo, utilizada quando na há como medi-la fisicamente.
y= ax + bx
ax= variável resposta
bx =variável produtora
Se dá pelo modelo de regressão linear simples
ou seja
Ts = a + b.Tar
Os valores de a e b dependem do tipo de solo e também da profundidade de determinação de Ts. Esses valores são obtidos pela estatística.
TEMPERATURA DO AR
	- A temperatura do ar é um dos efeitos mais importantes da radiação solar. O aquecimento da atmosfera próxima a superficie ocorre principalmente por transporte de calor, a partir do aquecimento da superfície pelos raios solares. O transporte de calor sensível (H) na atmosfera se da por dois processos.
	- Condução molecular Processo lento de troca de H, ocorre pelo contato das moléculas de ar, tendo extensão espacial limitada e fica restrito a camada limite superficial.
	- Disfusão turbulenta processo rápido de troca de H em que as parcelas de ar aquecidas pela superfície entram em movimento convectivo desordenado, transportando calor sensível para o ar, calor latente para as camadas superiores da atmosfera. Principal processo de troca de energia
FATORES DETERMINANTES DA TEMPERATURA DO AR
--Fatores Macroclimaticos relacionados a altitude, longitude, oceanidade, etc..
-- Fatores Topoclimaticos relacionados a exposição do terreno, relevo.
-- Fatores Microclimaticos cobertura do terreno, etc..
VARIAÇÃO TEMPORAL DA TEMPERATURA DO AR
-- Diária A temperatura do ar varia bastante em função da disponobilidade de radiação. O valor máximo diário ocorre notmalmente de 2 a 3 h após o pico de energia radiante, o que se deve ao fato da temperatura ser medida a cerca de 1,5 a 2, m da superfície. A temperatura mínima ocorre na madrugada.
-- Anual ~~também segue a disponibilidade a energia da supercficie
VARIAÇÃO ESPACIAL DA Tar
	Durante o dia, e mais fácil encontrar o ar quente próximo a superfície. Quanto mais nos elevamos, mais frio fica, pois mais longe estamos do ponto de troca de calor entre ar e solo.
	O gradiente térmico se inverte durante o dia
MEDIDA DA Tar
 -- O padrão de medida do ar visa homogeinizar as condições de medida com relação a topo e microclima, deixando essa variável apenas dependente das condições macroclimaticas, o que possibilita a comparação entre locais. Assim mede-se a temperatura do ar com os sensores instalados em um abrigo meteorológico a 1,5 – 2,0 M de altura em área plana e gramada.
-- Os sensores podem ser divididos em dois tipos: 
	- Dilatação de líquidos são utilizados em estações convencionais onde ficam instalados em abrigos. Dois termômetros são utilizados a medir, os de extrema (Tmax e Tmin) e outros dois que se destinam a medir a temperatura do bulbo seco (Ts) e do bulbo úmido (Tu).
(VER EXERCICIOS NA ULTIMA FOLHA DO CADERNO OU NA PASTA)
TEMPERATURA DO AR COMO FATOR AGRONOMICO 
-- Os seres vivos requerem certas condições térmicas adequadas para seu desenvolvimento para que seus processos metabólicos ocorram dentro da normalidade.
	-- TEMPERATURA DO AR E PRODUÇÃO ANIMAL
-- Animais homeotermos necessitam do ar e temperatura corporal em certos limites para que seus processos fisiológicos não sejam afetados negativamente, repercutindo em rendimento de produção.
-- O desempenho orgânico dos animais depende do ambiente.
-- Os elementos são Tar, UR, radiação solar e balanço de energia.
	-- THI: INDICE BIOMETEOROLOGICO DE CONFORTO
- THI = Tar + 0,36.To + 41,2
Para isso precisamos de es, ea para calcular To
 To = (237,3 x log (ea/0,611))/7,5 – log ea
-- O THI deve ser qualificado para cada espécie de interesse.
THI = (1,8 x T + 32) - ((0,55 -0,0055 x HR) x (1,8 x T - 26))
***13/05***
-- Para determinar THI é necessário ter-se a temperatura e UR do ambiente, ou então as temperaturas de bulbo seco e do bulbo úmido, quando determina-se ea pela equação psicrométrica.
-- O THI deve ser qualificado para cada espécie animal de interesse econômico de modo a se determinar os níveis de desconforto ou estresse ambiental.
TEMPERATURA DO AR E DORMENCIA DE PLANTAS DO CLIMA TEMPERADO
-- Especies frutíferas de clima temperado, de folhas caducas apresentam um período de repouso invernal, durante o qual as plantas não apresentam crescimento vegetativo.
-- REPOUSO : A temperatura do ar é o fator ambiental reconhecidamente importante no balanço hormonal das frutíferas de clima temperado, condicionando o repouso ou a dormência.
-- CICLO VEGETATIVO/REPRODUTIVO: Um novo ciclo vegetativo/reprodutivo será iniciado somente após as plantas sofrerem a ação das baixas temperaturas, sendo que a quantidade de frio requerida para o término do repouso é conhecida como Número de Horas de Frio (NHF).
-- O NHF é definido como o número de horas em que a temperatura do ar permanece abaixo de determinada temperatura crítica durante certo período, durante o inverno. Essa temperatura crítica é considerada igual a 7 °C por ser aplicável à maioria das espécies criófilas, mais exigentes em frio. Para as espécies

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.