A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Relatório homeopatia aula II

Pré-visualização | Página 1 de 1

Associação Paraibana de Ensino Renovado – ASPER
Graduação em Farmácia 2016.1
RELATÓRIO DA AULA PRÁTICA DE HOMEOPATIA: PREPARO DE PONTO DE PARTIDA DE DROGA SOLÚVEL
JOÃO PESSOA-PB
2019
Associação Paraibana de Ensino Renovado – ASPER
Graduação em Farmácia 2016.1
RELATÓRIO DA AULA PRÁTICA DE HOMEOPATIA: PREPARO DE PONTO DE PARTIDA DE DROGA SOLÚVEL
Trabalho apresentado à Associação Paraibana de Ensino Renovado - ASPER, como atividades práticas da disciplina de Homeopatia do curso de Farmácia com a finalidade de obtenção de nota, referente ao 8º período, orientada pelo Profª.
 
 
JOÃO PESSOA-PB
2019
INTRODUÇÃO:
O presente relatório tem por finalidade discorrer sobre a aula prática em laboratório, realizada na Faculdade Asper, em cumprimento a ementa da disciplina de Homeopatia, Ministrada pela Profª 
OBJETIVO
Executar os conhecimentos adquiridos das aulas teóricas da disciplina de Homeopatia, baseada nas orientações contidas na RDC 67/2007 da farmacopeia.
Procedimento de preparo de Ponto de partida, com droga Solúvel para utilização das manipulações dos produtos homeopáticos.
Materiais
	Equipamentos
	Produtos Químicos
	Becker (2)
	Cloreto de Potássio
	Proveta de 100 mL (2)
	Álcool a 70% 
	Pipetas de 10 mL (2)
	Álcool a 30% 
	Bastão de Vidro (1)
	 
	Vidro de relógio (1)
	 
	Balança Analítica (1)
	 
	Espátula (1)
	 
Procedimento antes da realização.
Iniciamos realizando a leitura de parte da RDC, reforçando os métodos de Preparação das formas Farmacêuticas Derivadas. Foi relatado as diferenças entre os métodos:
Konsakoviano – único frasco;
Fluxo Continuo – Altas Potências;
Hahnemanniano – com suas escalas de potências:
Centesimal 1:100, onde as 3 primeiras diluições, devem ser utilizadas a mesma diluição de álcool da Tintura mãe.
Exemplo: medicamento de 4 CH e TM com álcool 70%, nesse caso, as 3 primeiras diluições serão feitas com álcool a 70% e a 4 deve-se utilizar álcool a 30%.
Decimal 1:10, onde as 6 primeiras diluições, devem ser utilizadas a mesma diluição de álcool da Tintura mãe.
Exemplo: medicamento de 7 DH e TM com álcool 70%, nesse caso, as 6 primeiras diluições serão feitas com álcool a 70% e a 7 deve-se utilizar álcool a 30%.
Observação: Se a prescrição médica vier com uma diluição inferior as citadas anteriormente, para realizar a diluições de forma correta, cabe ao farmacêutico, no ato da entrega da medicação, orientar ao paciente que o mesmo dilua o medicamento em agua antes de ingerir, pois alguns pontos de partida, o concentração de álcool utilizado chega a 80%.
Preparo do Ponto de Partida
Ponto de Partida, Tintura Mãe, droga solúvel em água ou etanol de diferentes graduações com solubilidade igual ou superior a 10% (DH) ou 1% (CH).
1º Utilizamos o vidro de relógio, espátula e a balança digital, para pesarmos 1 grama da substância KCL;
2º Dentro de uma proveta, adicionamos 100 mL de Álcool a 70%, separamos 1 becker de 250 mL e adicionamos dentro dele os 100 mL de Álcool e 1 grama de KCL e com auxilio do bastão vidro, diluímos bem;
3º Recebemos a orientação de preparar 10 mL de solução, para isso, faremos o calculo da diluição em escala Decimal e Centesimal:
	Centesimal 1:100
	10 mL
	0,01 mL KCL
	
	100 mL
	9,99 mL Álcool
	
	
	
	Decimal 1:10
	10 mL
	1 mL KCL
	
	10 mL
	9 mL Álcool
Então com auxilio de uma pipeta, colocamos dentro de 3 beckers 9,9 mL de álcool a 70 % e em 1 becker 9,9 mL Álcool a 30%. 
4º Identificamos os Beckers contendo Álcool a 70% com os numero 1CH, 2CH e 3CH. Iniciamos o processo de diluição.
Frasco 1 CH contendo 9,9mL álcool a 70%, adicionamos 0,1 mL da TM KCL e dinamizamos;
Frasco 2 CH contendo 9,9mL álcool a 70%, adicionamos 0,1 mL da TM KCL do frasco 1 e dinamizamos;
Frasco 3 CH contendo 9,9mL álcool a 70%, adicionamos 0,1 mL da TM KCL do frasco 2 e dinamizamos;
Frasco 4 CH contendo 9,9mL álcool a 30%, adicionamos 0,1 mL da TM KCL do frasco 3 e dinamizamos;
4º Rotulamos a Tintura Mãe e o frasco do 4 Ch com o nome do grupo e data de fabricação do mesmo.
Conclusão
Considero que a aprendizagem da técnica de preparo do Ponto de Partida com Droga Solúvel, aliando a técnica de preparação da diluição, baseados na rotina da farmácia homeopática foi fundamental para a atividade do farmacêutico, reconhecendo a sequência dos procedimentos a serem tomados, contribui para sua qualificação profissional o que, consequentemente, resultará na melhoria do atendimento aos pacientes e no preparo das formulas.
Desta forma, é possível afirmar que a realização da técnica contribuiu para uma efetiva aprendizagem, pois a mesma oportunizou a aplicação dos conhecimentos teóricos obtidos em sala de aula, bem como ofereceu condições ao desenvolvimento de habilidades e competências.