A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Modelo - PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE Gestao de Seguranca Privada II - 2019

Pré-visualização | Página 1 de 2

�PAGE �
UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL
CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E NEGÓCIOS
CURSO SUPERIOR EM GESTÃO DE SEGURANÇA PRIVADA
SEGURANÇA PRIVADA
ALISON GLEIBER BUENO ANGELO RGM:18.799.361
	
Pouso Alegre - MG
2019
�
UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL
CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E NEGÓCIOS
CURSO SUPERIOR GESTÃO DE SEGURANÇA PRIVADA
SEGURANÇA PRIVADA
Projeto Multidisciplinar de Gestão de Segurança Privada II apresentado à Universidade Cruzeiro do Sul, como exigência do Curso Superior em Gestão de Segurança Privada sob orientação da Prof. Dr. João Luiz Souza Lima e do tutor Júlio Cesar Gomes.
Pouso Alegre - MG
2019
�
SUMÁRIO 
4INTRODUÇÃO	�
51. CONCEITOS	�
82. O ESTADO DA ARTE EM SEGURANÇA PRIVADA	�
94. CONSIDERAÇÕES FINAIS / CONCLUSÃO	�
�
�
INTRODUÇÃO
	A Segurança Privada é um ramo de atividade que vem evoluindo ao longo do último século, e ganhando cada vez mais notoriedade nas últimas décadas. Em virtude das mudanças ocorridas no setor é importante explanar os principais tópicos da área da segurança privada, começando por sua origem até a legislação e o mercado atual.
	Em virtude dessa importância, faz-se necessário primeiramente conceituar a segurança privada e seu contexto histórico, para que se possa entender de forma mais ampla toda evolução histórica da área até os dias atuais. Também é apresentado como está o cenário atual da Segurança Privada, tanto nas inovações tecnológicas como nas relações de livre mercado, além, é claro, dos dispositivos legais que regulamentam e permitem a atuação da Segurança Privada nos seus diversos nichos mercadológicos.
	Por fim, faz-se um detalhamento das atividades desenvolvidas pela Segurança Privada como segurança pessoal e patrimonial e também transporte de valores e escolta armada.
	O trabalho foi realizado em forma de pesquisa bibliográfica, através de material desenvolvido por autores especializados no assunto e também por intermédio de empresas conceituadas no ramo da Segurança Privada.
�
1. CONCEITOS
	A segurança privada é o ramo que trata de medidas de proteção para corporações ou indivíduos. Enquanto a segurança pública é dever do Estado, a segurança privada é uma faculdade do particular de proteger a si, sua família, seus empregados, seus bens e seus interesses, nos limites permitidos pela lei.
	Conforme Portaria DPF 387/06, as atividades de segurança privada serão reguladas, autorizadas e fiscalizadas pelo Departamento de Polícia Federal – DPF e serão complementares às atividades de segurança pública nos termos da legislação específica.
	A Lei Federal 7.102 de 1983 em seu artigo 10º elencou outras atividades de segurança privada: Art. 10. São considerados como segurança privada as atividades desenvolvidas em prestação de serviços com a finalidade de: 
	I – Proceder à vigilância patrimonial das instituições financeiras e de outros estabelecimentos, públicos ou privados, bem como a segurança de pessoas físicas; 
	 II – Realizar o transporte de valores ou garantir o transporte de qualquer outro tipo de carga
		
1.1 HISTÓRICO DA SEGURANÇA PRIVADA
	
	É no ano de 1850 que se conhece a primeira empresa de vigilância, a Pinkerton, nos Estados Unidos da América, quando o Norte-Americano Allan Pinkerton organizou um grupo de homens para dar proteção ao então presidente Abrahan Lincoln. 	Nascida como corpo de detectives e posteriormente, ainda nessa década, fazendo serviços de vigilância a valores e outros serviços de guarda-costas. Em 1852, que, devido às deficiências naturais do poder público, os americanos Henry Wells e Willian Fargo, criaram a primeira empresa de segurança privada do mundo, a Wellfargo.
	A partir do início de 1900 a vigilância cresce nos EUA com outras empresas e estende-se por toda a América do Norte e desta, para a América Latina. Só muito mais tarde, passados quase 100 anos (em 1996) é que uma empresa Americana, a Pinkerton aposta na Europa, havendo já nessa altura muitas empresas de vigilância ativas.
	Por volta dos anos 80 dá-se a proliferação das empresas de vigilância.
	A Atividade de segurança privada no Brasil teve início em 1967. A primeira legislação sobre o assunto surgiu em 1969, com a instituição do Decreto Lei 1.034/69, que autorizou o serviço privado em função do aumento de assaltos a bancos, obrigados à época a recorrer à segurança privada.
	Em 1983, foi promulgada a Lei número 7.102 que regulamentou as atividades de segurança privada em todo território nacional. Nessa lei, estão as normas para a constituição e o funcionamento das empresas privadas interessadas em explorar os serviços de segurança, vigilância, proteção e escolta.
	
1.2 Cenário atual da Segurança Privada
	Apresentar os dados sobre a Segurança Privada no Brasil, realizando uma breve crítica sobre a qualidade da Segurança Privada, bem como sobre a quantidade de empresas que prestam o serviço de segurança no Brasil.
	Atualmente, a demanda pelos serviços de segurança privada no Brasil tem crescido em face à dificuldade que os governos federal, estaduais e municipais têm em inibir as atividades dos malfeitores.
	A demanda por segurança privada tem crescido à medida que os problemas sociais aumentam no país. A crise econômica e política que castiga o país fomenta a criação das mais diversas organizações criminosas cujo poder de atuação avança em alguns estados da federação.
	O uso da tecnologia tem sido um aliado de primeira ordem para as empresas e para os clientes, pois permite que imagens sejam visualizadas em tempo real através da internet. O acionamento da polícia ou de equipes especializadas, dependendo da situação, pode ser feito com sistemas informatizados adaptados às necessidades de cada instalação.
	Vários dispositivos móveis, como smartphones ou tablets podem ser empregados para o acompanhamento e monitoramento, além de computadores e notebooks.
�
2. O ESTADO DA ARTE EM SEGURANÇA PRIVADA
	A segurança privada tem como objetivo fornecer serviços de proteção tanto pessoal como patrimonial. São atividades de segurança criadas por organizações especializadas e autorizadas pela Polícia Federal.
	Existem quatro tipos principais que definem bem a abrangência deste serviço. São eles:
	Segurança pessoal: Atividade exercida para garantir a integridade física das pessoas. Envolve um conjunto de ações técnicas defensivas e preventivas para proteção do indivíduo em qualquer ambiente. É um tipo de serviço muito contratado por celebridades e outras figuras públicas. Pode ser usado para crianças, adultos e idosos de todas as classes sociais.
	Segurança patrimonial: Muito comum em eventos sociais e dentro de estabelecimentos públicos, privados, urbanos ou rurais, a segurança patrimonial tem como foco garantir a segurança das pessoas e a integridade do patrimônio.
O maior objetivo é livrar o patrimônio de uma empresa ou pessoa física das consequências geradas por danos (seja acidentes, roubos ou furtos), perturbações (greves e paralisações) e até interferências externas, como sabotagem e espionagem de assuntos sigilosos.
	Transporte de valores: Transporte de bens e valores por meio de veículos comuns ou ainda especiais, a exemplo do carro forte. Por se tratar da movimentação de dinheiro em espécie, exige uma segurança altamente qualificada para evitar a ocorrência de roubos e assaltos. Engloba não somente o transporte de moeda. Além disso, pode ser usado no translado de joias, metais preciosos, documentos, provas (usadas em concursos públicos e vestibulares, por exemplo), chips, celulares, processadores e servidores de alto valor agregado.
	Escolta armada: Tem como objetivo garantir o transporte de qualquer tipo de carga de valor nas estradas e rodovias. A escolta armada atua de forma preventiva. Possui como foco principal proteger a carga valiosa dos clientes e assegurar que a mesma chegue ao destino com a mercadoria nas condições necessárias, dentro do prazo