A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
69 pág.
1_Elementos_Geometricos_de_projeto

Pré-visualização | Página 1 de 3

Via Tamoios
Traçado de uma Estrada
Projeto de Estradas I
Ligar dois pontos
Raramente é uma 
linha reta
Balanço entre 
custo total e os 
benefícios 
advindos da 
execução da obra
Na escolha do local onde passará a estrada, todos os fatores que possam influir no
custo, deverão ser analisado e balanceados, por exemplo: dureza do material
escavado implica em técnicas especiais de escavação e custos maiores; problemas
com estabilidade de taludes (obras caras); cortes que atinjam o lençol freático
implicam em obras adicionais de drenagem. Deve-se também evitar obras de
retificação de rios e córregos.
A topografia da região é um fator predominante: regiões com topografia
desfavoráveis acarretam grandes movimentos de terra, portanto, altos custos para a
execução da infraestrutura da estrada.
Questões geológicas e geotécnicas: obras adicionais necessárias à estabilização dos
cortes e aterros em locais desfavoráveis, podem representar custos adicionais
consideráveis.
Hidrologia: a escolha de um traçado ruim pode exigir um custo elevado em obras de
arte e obras de drenagem.
Mais importante que poucas curvas, é ter curvas de raios grandes.
Geologia: estrutura da Terra (terreno, rochas e fenômenos que trata essa ciência).
Geotecnia: interpretação e uso dos conhecimentos dos materiais da crosta terrestre e materiais terrestres (previsão ou 
mitigação de danos causados por desastres naturais como avalanches, deslizamentos de rochas/solo, fluxos de lama.
Topografia: função dos movimentos de terra; harmonia com a 
topografia local.
Geologia / geotecnia: estabilização de cortes aterros em terrenos 
desfavoráveis (rochas, solos moles, etc.)
Combinação de 
elementos em planta 
e em perfil:
•Buscar a 
continuidade 
espacial dos 
traçados , mediante 
intencional e 
criteriosa 
coordenação dos 
seus elementos 
geométricos 
constituintes, em 
especial dos 
elementos 
planimétricos e 
altimétricos. 
Regiões desenvolvidas com existência de edificações aumentam
o custo com as desapropriações.
Interferência no meio ambiente: a estrada por apresentar
pequena largura e grande extensão é geralmente um fator
agressivo ao meio ambiente. Por onde passa divide a região
entre duas áreas isoladas entre si. O projetista deve ter em mente
que a construção da estrada exige a derrubada da vegetação e
que a execução de corte e aterros altos podem acarretar danos ao
ecossistema local.
Outros fatores: interesse local, social, estratégicos regionais ou
mesmo nacionais podem influenciar tanto na escolha do traçado
como na definição dos demais elementos do projeto da estrada.
As boas ou más qualidades de um projeto rodoviário estão
inseridos na geometria do traçado definido.
Um projeto de engenharia é materializado em um ou mais
desenhos técnicos.
O projeto de estrada assim como um projeto de engenharia,
também é representado por um conjunto de desenhos.
Tendo em vista a predominância da dimensão longitudinal, a via
é representada pelo seu eixo projetado na horizontal, a planta.
Na dimensão vertical os desenhos são conhecidos como perfil
longitudinal.
Planta = representação da estrada sobre um plano horizontal
Perfil longitudinal = interseção da estrada com a superfície vertical, que contém o eixo da estrada.
Seções transversais = corte de estradas feitos por planos verticais, geralmente na estacas de 20 em 
20 metros
Elementos Geométricos das Estradas
No plano transversal apresenta-se a seção-tipo da via
com todos os detalhes.
Uma vez definido o eixo longitudinal do projeto, ele
passa a ser denominado diretriz.
Todos os elementos característicos da diretriz constam
da planta e do perfil longitudinal, permitindo que de
posse do desenho se tenha todas as características da
diretriz.
Elementos Geométricos das Estradas
Etapas para o anteprojeto
➢ Reconhecimento da região:
• Possíveis locais de passagem
• Levantamento de obstáculos topográficos, geológicos,
hidrológicos.
➢ Coleta de dados:
• Mapas, cartas, fotos aéreas, topografia, dados
socioeconômicos, de tráfego, estudos anteriores, etc.
➢ Escala 1:10.000 (pelo menos) – cada cm equivale a 100
metros.
Etapas para o anteprojeto
➢ Levantamento de alternativas possíveis:
• Traçado da rodovia: representação espacial da rodovia (planta e perfil);
• Diretriz do traçado: ampla faixa de terreno ao longo e ao largo da qual se
presume que possa ser lançado o traçado da rodovia.
➢ Determinação de pontos de passagem obrigados:
• De condições: obrigatoriedade de serem atingidos (ou evitados), por
razões sociais, econômicas ou estratégicas (cidades, vilas, povoados,
áreas de reserva, indústria, etc.)
• De passagem: a obrigatoriedade de serem atingidos (ou evitados) é
devido a razões técnicas (condições topográficas, geotécnicas,
hidrológicas, etc.)
Etapas para o anteprojeto
➢ Levantamento de quantitativo e custos preliminares das
alternativas:
• Avaliação dos traçados;
• Elaboração de planta e perfil;
• Comparação e escolha do traçado mais conveniente.
➢ Melhor solução para ligação entre dois pontos é seguir a
diretriz geral:
• Obstáculos, pontos de interesse, forçam o desvio de seu traçado
“ideal”.
Etapas para o anteprojeto
➢ Declividade muito íngreme:
• Desenvolver o traçado
Etapas para o anteprojeto
➢ Traçado acompanha curvas de nível:
• Há redução do volume escavado: plataforma cruzará menos com as
curvas de nível.
Etapas para o anteprojeto
➢ Se o traçado cruza um espigão:
• Procurar pelos pontos mais baixos (gargantas);
• Rampas com declividades menores = menor movimentação de terra.
Tangentes e curvas horizontais 
➢ CONCEITOS:
• O traçado de uma rodovia é constituído por trechos retos e trechos curvos
alternadamente.
• Trechos retos são as TANGENTES (trechos retos situados entre duas curvas de
concordância.
• Trechos curvos são as CURVAS HORIZONTAIS.
Levantamento Altimétrico
SEÇÃO EM ATERRO
SEÇÃO EM CORTE
SEÇÃO MISTA: CORTE E ATERRO
Exemplo de planta topográfica de uma estrada.
O Desenho Topográfico consiste na representação fiel do terreno em 
planta, com seus acidentes naturais, hidrografia, uso do solo, benfeitorias, 
bem como todos os elementos relevantes para atender a finalidade do
levantamento.
• Estudos geológicos/geomorfológicos
Visão macro da área atravessada, com enfoque para genealogia dos materiais e do 
modelado. 
São executados em duas: Fase Preliminar e Fase Definitiva
F
a
se
 p
re
lim
in
a
r
Coleta e pesquisa 
de dados
Interpretação de 
fotografias aéreas
Investigação de 
campo
• Estudos geológicos/geomorfológicos
Visão macro da área atravessada, com enfoque para genealogia dos materiais e do modelado. 
São executados em duas: Fase Preliminar e Fase Definitiva
F
a
se
 d
e
fi
n
it
iv
a
Plano de sondagens
Mapeamento 
geológico
Descrição geológica 
da região
Recomendações
Cortes e aterros em 
zonas de instabilidade
Aterros em solos 
compressíveis
• Estudos geotécnicos
São estudos necessários à definição de parâmetros do solo ou rocha, tais como 
sondagem, ensaios de campo ou ensaios de laboratório. São complementados por 
serviço de escritório que abrangem a elaboração de perfis com as características dos 
solos, indicação dos universos de solos para subleito e plano de exploração para 
jazidas.
✓ Caracterização dos materiais do subleito;
✓ Caracterização dos materiais de empréstimos;
✓ Definição dos parâmetros de controle geotécnico na execução;
✓ Definição de parâmetros para soluções especiais;
✓ Definição dos fatores de empolamento.
• Estudos geotécnicos
➢ Projeto