Os desafios da terapia - Yalom
252 pág.

Os desafios da terapia - Yalom


DisciplinaPsicologia Humanista, Existencial e Fenomenológica69 materiais324 seguidores
Pré-visualização48 páginas
Os desafios da terapia 
REFLEXÕESPARAPACIENTESETERAPEUTAS
IrvinD.Yalom
TRADUÇÃO
VeradePaulaAssis
REVISÃOTÉCNICA
PauloSchiller
 
http://groups.google.com.br/group/digitalsource 
Títulooriginal
Thegiftoftherapy
Copyright©IrvinD.Yalom,2002
Copyrightdatradução©EdiouroPublicaçõesS.A,2006
Primeira edição pela Ediouro Publicações. Direitos para tradução
negociadosporSandraDijkstraAgencyeSandraBrunaLiterária,SL.
Copidesque
PauloCorrêa
Revisão
JacquelineGutierrez
IsabellaLeal
Produçãoeditorial
CristianeMarinho
CIP-BRASIL.CATALOGAÇÃO-NA-FONTESINDICATO
NACIONALDOSEDITORESDELIVROS,RJ.
Yl7d
Yalom,IrvinD.,1931-
Os desafios da terapia / Irvin D. Yalom ; tradução Vera de Paula
Assis.\u2014RiodeJaneiro:Ediouro,2006
Traduçãode:Thegiftoftherapy
ISBN85-00-02034-2
1.Yalom,IrvinD.,1931-.2.Psicoterapia.3.Psicoterapeutaepaciente.
06-2734.CDD616.8914
CDU615.851
0708091087654321
TodososdireitosreservadosàEdiouroPublicaçõesS.A.
RuaNovaJerusalém,345Bonsucesso
RiodeJaneiro\u2014RJ\u2014CEP21.042-235
Tel.:(21)38828200Fax:(21)3882-8212/3882831I
www.ediouro.com.br
ParaMarilyn,
almagêmeahámaisdecinqüentaanos.
Semprepresente.
Sumário
1 Livredosobstáculoscontraocrescimento
2 Eviteodiagnóstico(excetoparaosistemadeassistênciamédicagerenciada)
3 Terapeutaepacientecomo"companheirosdeviagem"
4 Empenheopaciente
5 Dêapoio
6 Empatia:veromundocomosolhosdopaciente
7 Ensineempatia
8 Permitaopacienteserimportanteparavocê
9 Reconheçaseuserros
10 Crieumaterapiaparacadapaciente
11 Oatoterapêutico,nãoapalavraterapêutica
12 Dedique-seàterapiapessoal
13 Oterapeutatemmuitospacientes;opaciente,umúnicoterapeuta
14 Oaqui-e-agora\u2014use-o,use-o,use-o
15 Porqueusaroaqui-e-agora?
16 Usandooaqui-e-agora\u2014cultiveouvidosafiados
17 Buscapelosequivalentesdoaqui-e-agora
18 Trabalhandoasquestõesnoaqui-e-agora
19 Oaqui-e-agorarevigoraaterapia
20 Useseusprópriossentimentoscomoinformações
21 Estruturecomcuidadooscomentáriossobreoaqui-e-agora
22 Tudoéexperiênciaútilparaoaqui-e-agora
23 Verifiqueoaqui-e-agoraacadasessão
24 Quementirasvocêmecontou?
25 Telaembranco?Esqueça!Sejaverdadeiro
26 Trêstiposdeauto-revelaçãodoterapeuta
27 Omecanismodaterapia\u2014sejatransparente
28 Revelandoossentimentosdoaqui-e-agora\u2014useoseutato
29 Revelandoavidapessoaldoterapeuta\u2014sejaprudente
30 Revelandosuavidapessoal\u2014advertências
31 Transparênciaeuniversalidadedoterapeuta
32 Ospacientesresistirãoàsuarevelação
33 Eviteacuradistorcida
34 Sobrelevarospacientesmaislongedoquevocêfoi
35 Sobrereceberajudadeseupaciente
36 Incentiveaauto-revelaçãodopaciente
37 Feedbackempsicoterapia
38 Ofereçafeedbackcomeficiênciaedelicadeza
39 Melhoreareceptividadeaofeedbackcomousode"partes"
40 Feedback:nãomalheemferrofrio
41 Conversesobreamorte
42 Morteemelhoriadaqualidadedevida
43 Comoconversarsobreamorte
44 Conversesobreosignificadodavida
45 Liberdade
46 Ajudandoospacientesaassumiremresponsabilidade
47 (Quase)Nuncatomedecisõespelopaciente
48 Decisões:umaviarégiaparaosfundamentosexistenciaisbásicos
49 Focosobrearesistênciaàdecisão
50 Dandoconselhosparafacilitarapercepção
51 Facilitandoasdecisões\u2014outrosexpedientes
52 Conduzaaterapiacomoumasessãocontínua
53 Façaanotaçõesdecadasessão
54 Incentiveoautomonitoramento
55 Quandooseupacientechora
56 Reserveumtempoparavocêmesmoentreospacientes
57 Expresseseusdilemasabertamente
58 Façaconsultasdomiciliares
59 Nãolevemuitoasérioasexplicações
60 Recursosparaaceleraraterapia
61 Terapiacomoumensaiogeralparaavida
62 Useaqueixainicialcomoumaalavanca
63 Nãotenhamedodetocarseupaciente
64 Nuncaseenvolvasexualmentecomospacientes
65 Busqueaniversáriosequestõesrelacionadasaoestágiodavida
66 Nuncaignorea"ansiedadedaterapia"
67 Doutor,acabecomaminhaansiedade
68 Sobreserocarrascodoamor
69 Extraindoumahistória
70 Umahistóriadasrotinasdiáriasdopaciente
71 Quemfazpartedavidadopaciente?
72 Entrevisteooutrosignificante
73 Exploreaterapiaanterior
74 Compartilhandooladosombrio
75 Freudnemsempreesteveerrado
76 ATCCnãoétãoboaquantodizem...ou:nãotenhamedodatemívelTEV
77 Sonhos\u2014use-os,use-os,use-os
78 Interpretaçãocompletadeumsonho?Esqueça!
79 Useossonhospragmaticamente:pilhagemesaque
80 Dominealgumastécnicasdenavegaçãopelossonhos
81 Conheçaavidadopacientepelossonhos
82 Presteatençãoaoprimeirosonho
83 Fiqueatentoaossonhoscomoterapeuta
84 Tenhacuidadocomosriscosocupacionais
85 Dêvaloraosprivilégiosocupacionais
 
 Referênciasbibliográficas
Agradecimentos 
 
Muitos me ajudaram na redação deste livro. Em primeiro
lugar, comosempre,devomuitoàminhamulher,Marilyn,sempre
minha primeira e mais atenta leitora. Vários colegas leram e
criticaram com competência o manuscrito inteiro: Murray Bilmes,
PeterRosenbaum,DavidSpiegel,RuthellenJosselsoneSaulSpiro.
Vários colegas e estudantes contribuíram com críticas a partes do
manuscrito: Neil Brast, Rick Van Rheenen, Martel Bryant, Ivan
Gendzel, Randy Weingarten, Ines Roe, Evelyn Beck, Susan
Goldberg, Tracy Larue Yalom e Scott Haigley. Membros do meu
grupodeapoioprofissionalgenerosamenteconcederamumtempo
considerável de horas de trabalho para discutir seções deste livro.
Vários dos meus pacientes permitiram que eu incluísse sonhos e
incidentesdesuaterapia.Atodos,aminhagratidão.
Introdução 
 
Estáescuro.Venhoaoseuconsultório,masnãoconsigoencontrarvocê.O
consultórioestávazio.Entroeolhoparatodososlados.Aúnicacoisaaliéo
seuchapéu-panamá.Eestátodocobertocomteiasdearanha.
Os sonhosdosmeuspacientesmudaram.As teiasdearanha
cobremomeuchapéu.Meuconsultórioestáescuroedeserto.Não
possoserencontradoemlugarnenhum.
Meus pacientes se preocupam com a minha saúde: Estarei
presentena longa trajetóriada terapia?Quandosaiode férias, eles
ficam com medo de que eu nunca volte. Imaginam que estarão
presentesaomeufuneralouquevisitarãomeutúmulo.
Meus pacientes não me deixam esquecer que eu envelheço.
Mas estão apenas fazendo o seu trabalho: Não lhes pedi que
revelassem todosos sentimentos,pensamentose sonhos?Mesmos
novospacientesempotencialsejuntamaocoroe,semexceção,me
cumprimentam com a pergunta: "O senhor ainda está aceitando
pacientes?"
Umdosnossosprincipaismodosdenegaçãodamorteéuma
crençanoespecialismopessoal,umaconvicçãodequesomoslivresda
necessidade biológica e de que a vida não lida conosco da mesma
maneiraseveracomquelidacomtodasasoutraspessoas.Lembro-
medeterconsultado,hámuitosanos,umoptometristaporsentira
visão reduzida. Ele perguntou minha idade e depois reagiu:
"Quarentaeoito,hein?Sim,senhor,estábemdentrodoprazo!"
É claro que eu sabia, conscientemente, que ele estava
inteiramente certo, mas um grito brotou bem lá do fundo: "Que
prazo?Queméqueestánoprazo?Éperfeitamentecorretoquevocê
eosoutrosestejamnoprazo,mascertamentenãoeu!"
E,portanto,édesalentadorperceberqueestouentrandonuma
era de vida denominada tardia. Meus objetivos, interesses e
ambiçõesestãomudandodeumamaneiraprevisível.ErikErikson,
noseuestudodociclodavida,descreveuesseestágiotardiodavida
como generatividade, uma era pós-narcísica em que a atenção se
transferedaexpansãodesipróprioparaoscuidadosepreocupação
pelas gerações subseqüentes. Pois bem, por já ter passado dos
setenta,possoapreciaraclarezadavisãodeErikson.Seuconceito
de generatividade me parece correto. Quero passar adiante aquilo
queaprendi.Eomaisrapidamentepossível.
Mas oferecer orientação e inspiração para a próxima geração
de psicoterapeutas é extremamente problemático, hoje, porque o
nosso campo se encontra numa grande crise. Um sistema de
assistência médica impulsionado pela economia exige uma
modificação radical no tratamento psicológico, e a psicoterapia
agora é obrigada a ser ágil \u2014 isto é, acima de tudo, econômica e,
forçosamente,breve,superficialeinconsistente.
Preocupa-me onde a próxima geração de psicoterapeutas
eficazes receberá o treinamento. Não nos programas de residência
em psiquiatria.