P Penal 10 1
18 pág.

P Penal 10 1


DisciplinaProcesso Pena54 materiais204 seguidores
Pré-visualização6 páginas
1 
www.g7juridico.com.br 
 
 
 
INTENSIVO I 
Renato Brasileiro 
Direito Processual Penal 
Aula 10 
 
 
ROTEIRO DE AULA 
 
 
Competência criminal II 
 
8. Competência criminal da Justiça Federal 
 
Conforme o artigo 106 da Constituição Federal são órgãos da Justiça Federal: 
 
\u2022 Tribunais Regionais Federais (5)1. 
 
\u2713 1ª Região: DF, MG, GO, MT, MA, PA, AM, RO, AP, RR, AC, BA, PI e TO. 
\u2713 2ª Região: RJ e ES. 
\u2713 3ª Região: SP e MS. 
\u2713 4ª Região: RS, SC e PR. 
\u2713 5ª Região: PE, AL, CE, PB, RN e SE. 
 
\u2022 Juízes Federais. 
Tecnicamente, o art. 106 está incompleto, pois não são apenas esses os órgãos que atuam na Justiça Federal. Além 
deles, há: 
 
\u2022 Tribunal do Júri Federal. 
 
1 Houve uma emenda constitucional (n. 73) que tinha por objetivo aumentar o número de Tribunais (6º, 7º, 8º e 9º). No 
entanto, não obstante sua promulgação, a emenda teve sua eficácia suspensa em uma decisão proferida pelo então 
Ministro Joaquim Barbosa. 
 
 
2 
www.g7juridico.com.br 
\u2022 Juizados Especiais Criminais Federais. 
 
8.3.4. Infrações penais praticadas em detrimento de bens, serviços ou interesses da União ou de suas entidades 
autárquicas ou empresas públicas 
 
I \u2013 CF, art. 109: \u201cAos juízes federais compete processar e julgar: 
(...) 
IV - os crimes políticos e as infrações penais praticadas em detrimento de bens, serviços ou interesse da União ou de 
suas entidades autárquicas ou empresas públicas, excluídas as contravenções e ressalvada a competência da Justiça 
Militar e da Justiça Eleitoral; 
(...)\u201d. 
 
II \u2013 De acordo com o inciso IV do art. 109 a competência da Justiça Federal será fixada quando visualizada uma lesão a 
um dos pontos dos dois tripés: 
 
Lesão 
Bens. 
Serviços. 
Interesses. 
União. 
Autarquias federais. 
Empresas públicas. 
 
Observação n. 1: interesses da União: CF, art. 21. Exemplo: o crime de falsificação de moeda é da competência da 
Justiça Federal. 
 
III - Não obstante no Brasil a União ter interesse em praticamente tudo, na visão dos Tribunais Superiores a 
competência para ser federal pressupõe uma lesão direta ou imediata. Do contrário, caso a lesão seja indireta, reflexa, 
remota ou mediata, a competência será da Justiça Estadual. Exemplo: 
 
S. 107 STJ: \u201cCompete à Justiça Comum Estadual processar e julgar crime de estelionato praticado mediante falsificação 
das guias de recolhimento das contribuições previdenciárias, quando não ocorrente lesão à autarquia federal\u201d. 
 
Na hipótese do enunciado acima, a vítima não é o INSS, mas as pessoas jurídicas que foram enganadas e 
patrimonialmente lesadas. 
IV - Exemplos: 
 
1) Fraude eletrônica praticada em detrimento de correntista da Caixa Econômica Federal, cuja agência está localizada 
em São Paulo e os saques fraudulentos são realizados em Curitiba. 
`ˆÌi`ÊÕȘ}Ê̅iÊvÀiiÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ\ufffd˜vˆÝÊ*\ufffd\ufffdÊ
`ˆÌœÀʇÊÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“
 
 
3 
www.g7juridico.com.br 
 
Questão n. 1: a fraude eletrônica configura furto qualificado pela fraude (CP, art. 155, § 4º, II) ou estelionato (CP, art. 
171)? Depende do caso concreto. No estelionato a vítima é enganada e entrega a coisa ao agente; e no furto 
qualificado, por exemplo, o agente instala um vírus no computador da vítima, obtém sua senha e ele mesmo movimenta 
a conta bancária. 
 
Assim, no exemplo citado, temos o crime de furto qualificado pela fraude (CP, art. 155, § 4º, II). Questão n. 2 quem foi a 
vítima desse delito? A jurisprudência dominante entende que o correntista é mero prejudicado. A vítima do delito seria 
a instituição financeira bancária que teve seu sistema de vigilância burlado. Assim, como o sujeito passivo do delito é 
uma empresa pública federal (CEF), a competência é da Justiça Federal. 
 
Por fim, qual é a seção judiciária competente (competência territorial)? Na visão dos Tribunais Superiores, a 
competência territorial será de São Paulo. Por mais que isso ocorra eletronicamente, o dinheiro está \u201ccustodiado\u201d em 
São Paulo e o crime de furto se consuma no exato momento em que a coisa é retirada da esfera de disponibilidade da 
vítima. 
 
Jurisprudência: STJ: \u201c(...) O furto mediante fraude não se confunde com o estelionato. A distinção se faz 
primordialmente com a análise do elemento comum da fraude que, no furto, é utilizada pelo agente com o fim de burlar 
a vigilância da vítima que, desatenta, tem seu bem subtraído, sem que se aperceba; no estelionato, a fraude é usada 
como meio de obter o consentimento da vítima que, iludida, entrega voluntariamente o bem ao agente. Hipótese em 
que o Acusado se utilizou de equipamento coletor de dados, popularmente conhecido como "chupa-cabra", para copiar 
os dados bancários relativos aos cartões que fossem inseridos no caixa eletrônico bancário. De posse dos dados obtidos, 
foi emitido cartão falsificado, posteriormente utilizado para a realização de saques fraudulentos. No caso, o agente se 
valeu de fraude - clonagem do cartão \u2013 para retirar indevidamente valores pertencentes ao titular da conta bancária, o 
que ocorreu, por certo, sem o consentimento da vítima, o Banco. A fraude, de fato, foi usada para burlar o sistema de 
proteção e de vigilância do Banco sobre os valores mantidos sob sua guarda, configurando o delito de furto qualificado\u201d. 
(STJ, 5ª Turma, Resp 1.412.971/PE, Rel. Min. Laurita Vaz, j. 07/11/2013, Dje 25/11/2013). 
 
2) Roubo contra casa lotérica. 
 
Não obstante a casa lotérica manter vínculos com a CEF, sua natureza jurídica é de pessoa jurídica de direito privado 
(concessionária de um serviço público federal). Em outras palavras, o fato de vender jogos de azar, por exemplo, não 
afasta sua natureza jurídica. 
Portanto, a competência para julgar o roubo contra casa lotérica será da Justiça Estadual. 
 
3) Roubo contra agência dos Correios. 
 
`ˆÌi`ÊÕȘ}Ê̅iÊvÀiiÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ\ufffd˜vˆÝÊ*\ufffd\ufffdÊ
`ˆÌœÀʇÊÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“
 
 
4 
www.g7juridico.com.br 
No Brasil há duas formas de agência dos Correios: 
 
\u2022 Explorada pela própria EBCT (empresa pública federal): competência da Justiça Federal. 
\u2022 Franquia (pessoa jurídica de direito privado): competência da Justiça Estadual. 
 
4) Crime cometido em detrimento da FUNASA. 
 
A FUNASA é uma fundação pública federal. 
 
Ao menos criminalmente falando, o STF entende que a fundação pública federal seria uma espécie do gênero autarquia 
federal. Portanto, eventual crime cometido contra a FUNASA deve ser processado e julgado pela Justiça Federal. 
 
5) Crime cometido em detrimento da OAB. 
 
Observação n. 2: STF \u2013 ADI 3.026 (OAB teria natureza jurídica \u201csui generis\u201d). 
 
Os Tribunais Superiores vêm entendendo que crime cometido em detrimento da OAB é da competência da Justiça 
Federal, sobremaneira quando o delito envolver a função da OAB de fiscalizar o exercício da atividade profissional dos 
advogados (assemelha-se às autarquias federais). 
 
Exemplo de crime nesse sentido: 
 
CP, art. 205: \u201cExercer atividade, de que está impedido por decisão administrativa: 
Pena - detenção, de três meses a dois anos, ou multa\u201d. 
 
6) Roubo contra o Banco do Brasil. 
 
A competência é da Justiça Estadual porque o Banco do Brasil é uma sociedade de economia mista \u2013 a Constituição 
Federal cita União, autarquias federais e empresas públicas federais. 
 
Sobre o assunto: S. 42 STJ: \u201cCompete a justiça comum estadual processar e julgar as causas cíveis em que é parte 
sociedade de economia mista e os crimes praticados em seu detrimento\u201d. 
No mesmo sentido, a competência para crimes contra empresas concessionárias de serviços públicos (interesse 
indireto): STJ: \u201c(...) Compete à