A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
284 pág.
Seitas e Heresias

Pré-visualização | Página 8 de 18

DIA
2. DOUTRINA
Aqui “vergonha e horror eterno”, não significa destruição ou aniquilamento. Estas palavras falam do estado de separação entre Deus e o ímpio após a sua morte. Se fosse certo que o ímpio será destruído, por que então terá ele de ressuscitar e depois ser lançado no Lago de Fogo? (Mt 25.41). Apocalipse
14.10,11	diz	que		os	adoradores	do	Anticristo atormentados		“e	a		fumaça	de	seu		tormento	sobe
serão pelos
séculos dos séculos”. Isto não é aniquilamento. Quanto à pessoa de Satanás, Apocalipse 20.10 diz que ele, o Anticristo e o Falso Profeta, “serão atormentados no Lago de Fogo pelos séculos dos séculos”, para sempre. Isto não é aniquilamento.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
2.3. A Doutrina da Expiação
Segundo o Adventismo do Sétimo Dia, a doutrina da expiação é explicada partindo do seguinte raciocínio:
a) Em 1844, Cristo começou a purificação do santuário celestial.
b) O Céu é a réplica do santuário típico sobre a terra, com dois compartimentos: o lugar santo e o santo dos santos.
c) No primeiro compartimento do santuário celestial, Cristo intercedeu durante dezoito séculos (do ano 33 ao ano 1844), em prol dos pecadores penitentes, “entretanto seus pecados permaneciam ainda no livro de registros”.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
d) A expiação de Cristo permanecera inacabada, pois havia ainda uma tarefa a ser realizada, a saber: a remoção de pecados do santuário no Céu.
e) A doutrina do santuário levou o Adventismo do Sétimo Dia finalmente a declarar: “Nós discordamos da opinião que a expiação foi efetuada na cruz, conforme geralmente se admite”.
Refutação:
A Bíblia ensina que:
a) A obra expiatória de Cristo é perfeita (Hb 7.27; 10.12,14).
b) A salvação do crente é perfeita e imediata (Jo 5.24; 8.36; Rm 8.1; 1 Jo 1.7).
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
2.4. Pecados colocados sobre Satanás
“Quando, portanto, os dois bodes eram postos perante o Senhor no Dia da Expiação, representavam Cristo e Satanás... Satanás não somente arrastou o peso e o castigo de seus próprios pecados, mas também dos pecados da hoste dos remidos, os quais foram colocados sobre ele, e também deve sofrer pela ruína de almas por ele causada”.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
“Como o sacerdote, ao remover dos santuários os pecados, confessava-os sobre a cabeça do bode emissário, semelhantemente Cristo porá esses pecados sobre Satanás, o originador e instigador do pecado... Quando Cristo, pelo mérito de seu próprio Sangue, remover do santuário celestial os pecados de seu povo, ao encerrar-se o seu ministério, ele os colocará sobre Satanás que, na execução do juízo, deverá arrostar a pena final”.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
Refutação:
Em Lv 16.5,10 são apresentados dois bodes para expiação dos pecados. Satanás não é nossa oferta pelo pecado. Foi Cristo e não Satanás quem carregou nossos pecados (Is 53.4-6,11,12; comp. Jo 1.29;1 Pe 2.24; 3.18). Não era só o bode expiatório que fazia expiação pelo pecado. Eram os dois bodes (Lv 16.10). Azazel pode ser traduzido por “afastamento”, “remoção” ou “emissário”. Logo, colocar os pecados sobre o bode Azazel significa afastá-los.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
Uma vez que a morte do primeiro bode efetuou plena redenção dos pecados (nisto representando Cristo), a maldição a eles devida foi removida, afastada, e isso de modo a não mais retornar. Aceitar a explicação dos ASD sobre o bode emissário transferiria a obra de Cristo para o diabo. Ele seria um co-salvador, o que perverte e diminui a obra realizada por Jesus Cristo na cruz (2 Co 5.21; Hb 10.18).
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
Arrazoemos se não é assim o ensino adventista:
a) os pecados dos crentes são lançados no santuário do céu e lá ficam;
b) os pecados do santuário celestial são depois transferidos para Cristo e tornam-se dele;
c) estes pecados de Cristo, na sua segunda vinda, são lançados sobre Satanás e passam a lhe pertencer;
d) quando Satanás for aniquilado, também os pecados o serão.
Tal doutrina é uma deturpação do plano de salvação apresentado nas Escrituras planejado, executado e aplicado pelo próprio Deus.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
2.5. A Guarda do Sábado
O crente deve observar o sábado como o dia de repouso e não o domingo. Crê que os que guardam o domingo aceitarão a “marca da besta” sob o governo do Anticristo. Helen White ensina que a observância do sábado é o selo de Deus; enquanto que o domingo será o selo do Anticristo.
A observância do sábado como dia de repouso tomou força quando a senhora Helen White começou a alegar ter recebido uma “revelação”, segundo a qual Jesus descobriu a arca do concerto e ela pôde ver dentro as tábuas da Lei. Para sua surpresa, o quarto mandamento estaria no centro, rodeado de uma auréola de luz.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
Refutação:
Dos	dez	mandamentos	em	Êxodo	20,	todos,	exceto	o sábado, são ratificados no Novo Testamento.
1.	“...	vos	convertais	ao	Deus	vivo,	que	fez	o	céu,	e	a terra...” (At 14.15).
2. “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos” (1 Jo 5.21).
3. “... não jureis nem pelo Céu, nem pela terra” (Tg 5.12).
4. ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ?
5. “Filhos, obedecei a vossos pais” (Ef 6.1).
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
6. “Não matarás” (Rm 13.9).
7. “Não adulterarás” (Rm 13.9).
8. “Não furtarás” (Rm 13.9).
9. “Não mintais uns aos outros” (Cl 3.9).
10. “Não cobiçarás” (Rm 13.9).
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
O Novo Testamento repete pelo menos:
50 vezes o dever de adorar só a Deus;
12 vezes a advertência contra a idolatria;
4 vezes a advertência para não tomar o nome do Senhor em vão;
6 vezes a advertência contra o homicídio;
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
12 vezes a advertência contra o adultério;
6 vezes a advertência contra o furto;
4 vezes a advertência contra o falso testemunho;
9 vezes a advertência contra a cobiça.
Em nenhum lugar do Novo Testamento, no entanto, é encontrado o mandamento de se guardar o sábado.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
O Sábado ou o Domingo?
O
Novo	Testamento	ratifica	o	que	está	escrito	no
Antigo, que, ninguém jamais foi capaz de cumprir a lei na sua plenitude. A necessidade da encarnação de Cristo se constitui numa das mais evidentes provas da incapacidade do homem em cumprir a lei divina, por isso Ele mesmo disse: "Não penseis que vim revogar a Lei ou os profetas: não vim para revogar, vim para cumprir." (Mt 5.17).
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
O sábado realmente é um símbolo destinado a lembrar a Israel a vinda do Messias, como diz Paulo em Colossenses 2.16,17: “Ninguém, pois, vos julgue por causa da comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo”.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
Jesus violou e aboliu o sábado como dia obrigatório de descanso?
Jesus afirmou que "o sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é Senhor também do sábado” (Mc 2.27,28). Jesus condena abertamente o cerimonialismo, e revela a sua autoridade divina sobre o sábado, para cumpri-lo, aboli-lo ou mudá-lo.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
O sentimento moral é a necessidade de se descansar um dia por semana. O apóstolo Paulo escreveu: "Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. Cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente. Quem distingue entre dia e dia, para o Senhor o faz” (Rm 14.5,6).
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA
2. DOUTRINA
Por que o domingo?
Cristo ressuscitou no primeiro dia da semana (Mc 16.9).
O
primeiro	dia	da	semana	foi	o	dia	especial	das
manifestações de Cristo ressuscitado. Manifestou-se cinco vezes no primeiro domingo e outra vez no domingo seguinte (Jo 20.13-19,26).
O Espírito Santo foi derramado no dia de Pentecoste, um dia de domingo (Lv