a velha da lambreta
7 pág.

a velha da lambreta

Pré-visualização2 páginas
Escola Municipal Monteiro Lobato
2º Ciclo Intermediário 	 - 		Português 	
__________________________________________________
\ufffd
		
Diz que era uma velhinha que saiba andar de lambreta. Todo dia ela passava pela fronteira montada na lambreta, com um bruto saco atrás, na garupa da lambreta. O pessoal da Alfândega \u2013 tudo malandro velho \u2013 começou a desconfiar da velhinha.
	Um dia, quando ela vinha na lambreta com o saco atrás, o fiscal da Alfândega mandou ela parar. A velhinha parou e então o fiscal perguntou assim para ela:
	- Escuta aqui, vovozinha, a senhora passa por aqui todo dia, com esse saco aí atrás. Que diabo a senhora leva nesse saco?
	A velhinha sorriu com os poucos dentes que lhe restavam e mais os outros que ela adquiria no odontólogo, e respondeu:
	- É areia!
				
	
	Aí quem sorriu foi o fiscal. Achou que não era areia nenhuma e mandou a velhinha saltar da lambreta para examinar o saco. A velhinha saltou, o fiscal esvaziou o saco e dentro só tinha areia. Muito encabulado, ordenou à velhinha que fosse em frente. Ela montou na lambreta e foi embora, com o saco de areia atrás.
	Mas o fiscal desconfiado ainda. Talvez a velhinha passasse num dia com areia e no outro com muamba, dentro daquele maldito saco.
No dia seguinte, quando ela passou na lambreta com o saco atrás, o fiscal mandou parar outra vez. Perguntou o que é que ela levava no saco e ela respondeu que era areia, uai! O fiscal examinou e era mesmo. Durante um mês seguido o fiscal interceptou a velhinha e, todas as vezes, o que ela levava no saco era areia.
	Diz que foi aí que o fiscal se chateou:
	- Olha, vovozinha, eu sou fiscal de alfândega com quarenta anos de serviço. Manjo essa coisa de contrabando pra burro. Ninguém me tira da cabeça que a senhora é contrabandista.
- Mas o saco só tem areia! \u2013 insistiu a velhinha. E já ia tocar a lambreta, quando o fiscal propôs:
	- Eu prometo à senhora que deixo a senhora passar. Não dou parte, não apreendo, não conto nada a ninguém, mas a senhora vai me dizer: qual é o contrabando que a senhora está passando por aqui todos os dias?
	- O senhor promete que não \u201cespáia\u201d? \u2013 quis saber a velhinha.
	- Juro \u2013 respondeu o fiscal.
	- É lambreta.
PONTE PRETA, Stanislaw. A velha contrabandista. 
Para gostar de ler. São Paulo: Àtica, 1979. v. 8 (coletânea)
	
\ufffd
Antes de iniciar o trabalho com o texto, discuta com seus colegas e com sua professora os seguintes textos informativos.
	Eles os ajudarão a entender ainda mais a história da velha contrabandista.
ALFÂNDEGA ou ADUANA é a repartição pública encarregada de fiscalizar a entrada e saída de mercadorias do país e de cobrar, quando necessário, os impostos estabelecidos por lei sobre essas mercadorias. A alfândega reprime o contrabando e apreende o que for proibido importar. No Brasil, a lei 1.455, de 7 de abril de 1976, obriga o passageiro procedente do exterior a fazer declaração de sua bagagem (espécie e quantidade) antes do desembarque. Considera-se como bagagem, para efeitos fiscais, os bens do passageiro que não tenham destino comercial. Se forem encontrados na bagagem objetos sujeitos a taxas não declarados, o passageiro paga multa.
CONTRABANDO é a importação ou exportação de mercadoria proibida por um determinado país, com o fim de evitar o pagamento total ou parcial dos direitos ou impostos devidos. Na legislação brasileira, o contrabando é definido como crime praticado por uma pessoa contra a administração em geral, e está conceituado nos dispositivos específicos do Código Penal. Os direitos cobrados pela entrada e saída de mercadorias denominam-se direitos alfandegários.
Em outras legislações, costuma-se incluir no conceito de contrabando também as pessoas, além dos bens proibidos à circulação interna ou externa. A maioria dos países tem um corpo especializado de funcionários encarregados de fiscalizar a regularidade das importações, notadamente do ponto de vista fiscal aduaneiro.
	No Brasil, a pena prevista para o contrabandista é a prisão e não a multa simplesmente. Em outros países, o contrabando pode ser punido com multa e prisão, ou apenas com multa, dependendo da gravidade que se atribua ao fato. É fundamental para a caracterização do crime, nesses países, a intenção ou não de cometê-lo. No Brasil, contudo, o fato em si é suficiente para caracterizar a violação da norma penal.
para a caracterização do crime, nesses países, a intenção ou não de cometê-lo. No Brasil, contudo, o fato em si é suficiente para caracterizar a violação da norma penal.
TARIFA é um tributo pago sobre as mercadorias que um país importa de outro. Muitos países lançam mão das tarifas para proteger sua indústria da competição estrangeira. A tarifa da competição estrangeira. A tarifa aumenta o preço do produto importado, estimulando, portando, os consumidores a preferirem o produto nacional. Raramente os governos criam tarifas para produtos a serem exportados, porque seu interesse é justamente exportar o mais possível. Sem tarifas, os produtos exportáveis ficam mais baratos.
	Um país também pode usar as tarifas para pressionar outro país. Por exemplo, uma nação pode criar taxas especialmente altas para os produtos importados de um país que não respeite os direitos humanos.
ENCICLOPÉDIA DELA UNIVERSAL. v. 1, 2 e 9. 
Rio de Janeiro: Delta, [s.d]
Analisando o significado
de algumas palavras
1) Você já aprendeu que o significado de uma palavra depende do contexto em que ela está.
	Observe, nas frases abaixo, as palavras em destaque e dê o significado que elas têm fora do contexto e dentro do contexto.
(No caderno)
a) \u201cTodo dia ela passava pela fronteira montada na lambreta, com um bruto saco atrás da lambreta.\u201d
- fora do contexto: 
- dentro do contexto: 
b) \u201cO pessoal da Alfândega \u2013 tudo malandro velho \u2013 começou a desconfiar da velhinha.\u201d
- fora do contexto: 
- dentro do contexto:
c) \u201cTalvez a velhinha passasse num dia com areia e no outro com muamba, dentro daquele maldito saco.\u201d
- fora do contexto: _____________________________________________________
- dentro do contexto: ___________________________________________________
	
Escola Municipal Monteiro Lobato
2º Ciclo Intermediário 	 - 		Português 	
Trabalhando as idéias do texto
Responda às questões, de acordo com o que você leu. (No caderno)
1) Qual é o principal assunto do texto?
2) Que título você daria para essa história? Registre-o na linha acima do texto.
3) Quais foram os fatos que fizeram com que os fiscais da Alfândega desconfiassem da velhinha?
4) Releia o trecho abaixo.
\u201c- Escuta aqui, vovozinha, a senhora passa por aqui todo dia, com esse saco aí atrás. Que diabo a senhora leva nesse saco?\u201d
a) Por que o fiscal se referiu à velhinha como \u201cvovozinha\u201d?
b) Releia a pergunta acima.
Que sentimento você percebeu, por parte do fiscal, quando ele fez a pergunta para a velhinha?
5) Mesmo sabendo que a velhinha carregava areia, o fiscal desconfiou de que, num dia, ela realmente levava areia e, no outro, muamba. O que ele fez para tentar resolver a situação?
6) A situação foi resolvida? Qual foi a atitude do fiscal para tentar, de uma vez por todos, descobrir aquele mistério?
7) O fiscal afirmava:
\u201cManjo