A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
Hormônios hipofisários e eixo somatotrófico

Pré-visualização | Página 2 de 4

chamado Somatostatina▪
GHIH (GH Inhibit Hormone) - Inibe a secreção GH○
 Fisio 2 
Também chamado Somatostatina▪
Leva à liberação de dois hormônios gonadotrópicos, o hormônio luteinizante (LH) e o 
hormônio foliculoestimulante (FSH).
▪
GnRH (Gonadotropin Releasing Hormone) - LH e FSH○
IMPORTANTE o fator de inibição por não ter a necessidade de sua liberação na maior 
parte da vida. 
▪
PIH - Inibição da Prolactina ○
 Fisio 2 
FUNÇÕES FISIOLÓGICAS DO GH (SOMATOTROPINA)
Todos os principais hormônios da hipófise anterior, com exceção do hormônio do crescimento, exercem 
seus efeitos, principalmente, por meio do estímulo de glândulas-alvo, incluindo a glândula tireoide, o córtex 
adrenal, os ovários, os testículos e as glândulas mamárias. 
O hormônio do crescimento não age por meio de glândula-alvo específica, mas exerce seus efeitos, 
diretamente, sobre todos ou quase todos os tecidos do organismo.
Causa o crescimento de quase rodos os tecidos do corpo capazes de crescer ○
Promove aumento do tamanho de células e do número de mitoses causando a multiplicação e 
diferenciação específica de alguns tipos celulares, tais como as células de crescimento ósseo e 
células musculares iniciais.
○
Efeitos sobre o crescimento •
Aumento da síntese protéica em todas as células do corpo ○
Mobilização aumentada de Ácidos Graxos a partir do Tecido Adiposo - Aumento da Lipólise ○
Redução da utilização de Glicose pelo organismo○
Assim, de fato, o hormônio do crescimento aumenta a quantidade de proteína do corpo, 
utiliza as reservas de gorduras e conserva os carboidratos.
○
Utiliza gordura como fonte de energia, preservando a utilização de glicose como fonte de 
energia!
○
Efeitos metabólicos do GH•
Fornece substrato para síntese proteica ▪
O hormônio do crescimento aumenta diretamente o transporte da maioria dos 
aminoácidos, através das membranas celulares, para o interior das células. Isso eleva as 
concentrações de aminoácidos nas células e presume-se ser responsável, no mínimo em 
parte, pelo aumento da síntese das proteínas. 
▪
Acentuação do Transporte de Aminoácidos através das Membranas Celulares ○
Mesmo quando as concentrações de aminoácidos não estão elevadas nas células, o 
hormônio do crescimento continua a aumentar a tradução do RNA, fazendo com que a 
▪
Acentuação da Tradução do RNA para causar a síntese proteica pelos Ribossomos ○
Papel do GH Promovendo a Deposição de Proteína •
 Fisio 2 
hormônio do crescimento continua a aumentar a tradução do RNA, fazendo com que a 
síntese proteica pelos ribossomos, no citoplasma, ocorra em quantidades mais elevadas.
Relacionada a Sínese Proteica ▪
Uma das funções mais importantes do GH▪
Em intervalos de tempo mais prolongados (24 a 48 horas), o hormônio do crescimento 
também estimula a transcrição do DNA no núcleo, levando à formação de quantidades 
aumentadas de RNA. Isso promove maior síntese proteica e crescimento se houver 
energia, aminoácidos, vitaminas e outros requisitos para o crescimento estão 
disponíveis. No final das contas, essa pode ser a função mais importante do hormônio 
do crescimento.
▪
Transcrição aumentada de DNA nuclear para formar RNA○
O motivo provável para isso é que o hormônio do crescimento também mobiliza 
grandes quantidades de ácidos graxos livres do tecido adiposo, e estes são utilizados 
para fornecer a maior parte da energia para as células do organismo, agindo, assim, 
como um potente “poupador de proteínas”.
▪
Redução do Catabolismo das Proteínas e Aminoácidos ○
Resumo. O hormônio do crescimento aumenta quase todos os aspectos da captação de aminoácidos e da 
síntese proteica pelas células e, ao mesmo tempo, reduz a destruição das proteínas.
Aumento da Lipólise ▪
Aumenta a Concentração de Ácidos Graxos nos líquidos corporais ○
Fator poupador de proteína ▪
Aumenta a conversão de Ácidos Graxos e Acetil-coenzima A e a sua utilização como fonte de 
energia 
○
Efeitos do GH na Utilização de Lipídeos •
O hormônio do crescimento apresenta um efeito específico, ao liberar os ácidos graxos do tecido 
adiposo, aumentando, assim, a sua concentração nos líquidos orgânicos. Além disso, nos tecidos do 
organismo, ele aumenta a conversão de ácidos graxos em acetilcoenzima A (acetil-CoA) e sua 
utilização como fonte de energia. Consequentemente, sob a influência do hormônio do crescimento, 
a gordura é utilizada como fonte de energia, preferencialmente ao uso de carboidratos e de 
proteínas.
A capacidade do hormônio do crescimento de promover a utilização de gordura, junto com seu 
efeito anabólico proteico, leva ao aumento da massa corporal magra. No entanto, para a mobilização 
de gordura pelo hormônio do crescimento, há necessidade do decurso de diversas horas, enquanto o 
aumento da síntese das proteínas pode se iniciar em período de minutos, sob a influência do 
hormônio do crescimento.
 Fisio 2 
Associado ao excesso de AGL▪
Diminuição da captação de glicose pelos tecidos ○
Acentuação da Deposição de Glicogênio nas Células○
Excesso de Deposição de Glicogênio ▪
Captação diminuída de Glicose pelas células○
Causada pelo aumento de glicose sanguínea▪
Efeito direto do GH▪
Secreção Aumentada de Insulina○
Efeitos do GH sobre o Metabolismo dos Carboidratos •
Necessidade de Insulina e Carboidratos para a ação promotora do GH
EFEITOS DIABETOGÊNICOS
Cada uma dessas alterações resulta da “resistência à insulina”, induzida pelo hormônio do crescimento, que 
atenua as ações da insulina para estimular a captação e a utilização da glicose pelos musculoesqueléticos e 
pelo tecido adiposo e para inibir a gliconeogênese (produção de glicose) pelo fígado; isso leva a um 
aumento da concentração da glicose no sangue e um aumento compensatório da secreção de insulina. Por 
esses motivos, os efeitos do hormônio do crescimento são chamados diabetogênicos, e o excesso do 
hormônio do crescimento pode produzir alterações metabólicas muito semelhantes às encontradas nos 
pacientes portadores de diabetes tipo II (não dependente de insulina), que são também muito resistentes aos 
efeitos metabólicos da insulina.
Os mecanismos exatos pelos quais o hormônio do crescimento provoca resistência à insulina e diminuição 
da utilização da glicose pelas células não são conhecidos. Contudo, os aumentos induzidos pelo hormônio 
do crescimento nas concentrações séricas dos ácidos graxos, provavelmente, contribuem para a deficiência 
das ações da insulina na utilização da glicose pelos tecidos. Estudos experimentais indicam que níveis 
crescentes de ácidos graxos, acima dos valores normais, reduzem, rapidamente, a sensibilidade do fígado e 
do musculoesquelético aos efeitos da insulina no metabolismo dos carboidratos.
FUNÇÕES FISIOLÓGICAS DO GH
Estimulação do Crescimento da Cartilagem e do Osso•
GRANDE EFEITO DO GH
Deposição aumentada de proteína pelas células condrocíticas e osteogênicas, que 
causam o crescimento ósseo
▪
Aumento da taxa de replicação celular ▪
Conversão de Condrócitos em Osteoblastos, ocasionando, assim, a deposição de osso 
novo.
▪
Efeitos:○
Fechamento das Epífises na Adolescência□
Em resposta ao estímulo do hormônio do crescimento, os ossos longos crescem, 
em comprimento, nas cartilagens epifisárias, onde as epífises nas extremidades 
dos ossos estão separadas das partes longas. Esse crescimento, primeiro, provoca 
a deposição de nova cartilagem, seguida por sua conversão em osso novo, 
aumentando, assim, a parte longa e empurrando as epífises cada vez para mais 
longe. Ao mesmo tempo, a cartilagem epifisária passa por um consumo 
progressivo, de modo que, ao final da adolescência, quase não resta qualquer 
cartilagem epifisária para permitir o crescimento adicional do osso. Nesse 
momento, ocorre a fusão das epífises em cada uma de suas extremidades, de 
forma que não é mais possível aumentar o comprimento do osso.
□
Os ossos longos crescem em comprimento nas cartilagens epifisárias▪
Remodelamento Ósseo▪
Mecanismos de Crescimento Ósseo:○
 Fisio 2 
Aumento