A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
172 pág.
Psicologia da Comunicação

Pré-visualização | Página 8 de 42

dos elementos que seriam as sensações e imagens que as constituem. Portanto, a Gestalt propõe 
um estudo global do homem e do mundo e seu lema é “o todo é mais que a soma das suas partes”.
Os estudiosos desta teoria deram início às suas pesquisas a partir da análise da 
percepção e sensação do movimento. Isto porque estavam interessados em entender quais os 
processos psicológicos envolvidos na ilusão de ótica, na qual a percepção do estímulo físico 
pelo indivíduo é vista com uma forma diferente da que ele tem na realidade.
FIGURA 15 - ILUSÃO DE ÓTICA
FONTE: Disponível em <http://alunosonline.uol.com.br/matematica/ilusao-
otica.html>. Acesso em: 6 jul. 2016.
O que vem a ser a ilusão de ótica?
Vamos pensar no caso do cinema. Quem já viu uma fita cinematográfica sabe que ela 
é composta de fotogramas estáticos. O movimento que vemos na tela é uma ilusão de ótica 
causada pela pós-imagem retiniana (a imagem demora um pouco para se “apagar” em nossa 
retina). Como as imagens vão se sobrepondo em nossa retina, temos a sensação de movimento. 
Mas o que de fato está na tela é uma fotografia estática (BOCK; FURTADO; TEIXEIRA, 2001).
A partir do exposto podemos constatar o papel importantíssimo da percepção dentro 
UNIDADE 1TÓPICO 226
P
S
I
C
O
L
O
G
I
A
D
A
C
O
M
U
N
I
C
A
Ç
Ã
O
dos enfoques da Gestalt. Assim, os experimentos voltados para a percepção levaram os 
teóricos a questionarem um princípio da teoria Behaviorista, o estímulo-resposta. De acordo 
com os estudiosos da Gestalt, entre o estímulo que o meio fornece e a resposta do indivíduo 
existe o processo de percepção. Tal processo interfere diretamente na compreensão sobre o 
comportamento humano.
Nesse sentido, há um confronto de ideias entre essas duas tendências frente ao objeto 
da Psicologia, o comportamento. Isto porque as duas definem a Psicologia como a ciência que 
estuda o comportamento. Contudo, o Behaviorismo estuda o comportamento a partir da relação 
estímulo-resposta, isolando o estímulo relacionado à resposta esperada, desconsiderando os 
aspectos da consciência. A Gestalt critica tal abordagem por entender que o comportamento 
não pode ser estudado de forma isolada de um contexto mais abrangente, pois pode perder 
seu verdadeiro significado sob o olhar do psicólogo. 
Na visão dos gestaltistas, o comportamento deveria ser estudado nos seus 
aspectos mais globais, levando em consideração as condições que alteram 
a percepção do estímulo. Para justificar essa postura, eles se baseavam na 
teoria do isomorfismo, que supunha uma unidade no universo, onde a parte 
está sempre relacionada ao todo. [...] Rudolf Arnheim dá um bom exemplo da 
tendência à restauração do equilíbrio na relação parte-todo: De que modo o 
sentido da visão se apodera da forma? Nenhuma pessoa dotada de um sistema 
nervoso perfeito apreende a forma alinhavando os retalhos da cópia de suas 
partes [...] o sentido normal da visão [...] apreende um padrão global (BOCK; 
FURTADO; TEIXEIRA, 2001, p. 78).
Para os teóricos da Gestalt, não é possível analisar as partes sem pensar no todo. Não 
existe a possiblidade de se analisar o comportamento de forma fragmentada, desprezando os 
elementos que o constituem.
FIGURA 16 - PRINCÍPIO DA ABORDAGEM GESTÁLTICA
FONTE: Disponível em <http://esquizoestetica.blogspot.com.br/2011/12/postado-
por-larissa-cosmi-o-que-e.html>. Acesso em: 21 jun. 2016.
UNIDADE 1 TÓPICO 2 27
P
S
I
C
O
L
O
G
I
A
D
A
C
O
M
U
N
I
C
A
Ç
Ã
O
Conforme salientam Bock, Furtado e Teixeira (2001), daí a necessidade em compreender 
quais condições podem alterar a percepção do estímulo. A combinação dos elementos sensoriais 
resulta em uma nova configuração, a qual não poderá ser constatada a partir da análise isolada 
de tais elementos. 
QUADRO 2 - PRINCÍPIOS DA PSICOLOGIA GESTALT
Lei da segregação
A segregação é a capacidade perceptiva de separar, evidenciar, destacar, 
identificar unidades formais na composição de um todo. Seria uma parte 
segregada, diferenciada, isolada da constituição do todo.
Lei da proximidade
Os elementos mais próximos tendem a se agrupar. Os elementos que estão 
mais perto de outros numa mesma região tendem a ser percebidos como 
um grupo.
Lei da continuidade Há uma tendência de buscarmos unir os elementos de modo que pareçam contínuos.
Lei da semelhança Eventos que são similares tendem a se agrupar entre si.
Lei da pregnância Todas as formas tendem a ser percebidas em sua forma mais simples. Este princípio é denominado simplificação natural da percepção.
FONTE: Adaptado de Schultz e Schultz (2009)
A Psicologia da Gestalt também faz referência à questão da “figura/fundo”. De acordo 
com esta teoria, buscamos organizar percepções do objeto observado, que seria a figura, e o 
plano contra o qual ela se destaca, o fundo. Na figura a seguir a imagem se destaca de forma 
mais substancial e se sobressai do fundo. Além disso, quanto mais clara for a forma (Boa 
forma), mais perceptível será a distinção entre a figura e o fundo. Já a Figura 18 apresenta a 
questão da perspectiva da imagem, a qual nos permite interpretações distintas de acordo com 
o ângulo da observação.
FIGURA 17 - FIGURA/FUNDO NA GESTALT
FONTE: Disponível em: <http://ascessetha.blogspot.com.br/2008/09/
figura-e-fundo.html>. Acesso em: 10 jul. 2016.
UNIDADE 1TÓPICO 228
P
S
I
C
O
L
O
G
I
A
D
A
C
O
M
U
N
I
C
A
Ç
Ã
O
FIGURA 18 - FIGURA/FUNDO
FONTE: Disponível em: <http://www.megatopico.com/sapo-ou-cavalo-t16683.html>. Acesso 
em: 10 jul. 2016.
NO
TA! �
 Você sabia que essa alternância entre a figura e o fundo acontece 
também em nossas vidas? Nossa figura muda de acordo com nossas 
necessidades e interesses. Por exemplo, se estou escrevendo algo 
e sinto fome, a fome passa a ser minha figura e o escrever se 
torna o meu fundo até que a minha fome seja saciada. Por isso, 
na Gestalt, esse processo é denominado alternância de fluido.
A Psicologia da Gestalt, de forma oposta ao Associacionismo, define a aprendizagem 
por meio de uma relação intrínseca entre o todo e as partes. Sendo que o todo tem um papel 
fundamental na compreensão do objeto percebido. Vejamos um exemplo: Uma criança de 
três anos que ainda não está alfabetizada pode perfeitamente, a partir de um rótulo, identificar 
determinado produto. No caso da imagem da Coca-Cola, ela consegue identificar e pronunciar 
que se refere ao produto Coca-Cola sem ter realizado a união das palavras para formar as 
letras, ou seja, ela foi capaz de significar o todo. Ela separou a palavra na sua totalidade, 
distinguindo a figura e o fundo.
UNIDADE 1 TÓPICO 2 29
P
S
I
C
O
L
O
G
I
A
D
A
C
O
M
U
N
I
C
A
Ç
Ã
O
FIGURA 19 - IMAGEM NA GESTALT
FONTE: Disponível em: <http://themediaandi.blogspot.com.br/>. 
Acesso em: 21 jun. 2016.
Na nossa vida cotidiana nem sempre conseguimos perceber de forma imediata certas 
situações. Isto porque, muitas vezes, não apresentam uma distinção clara entre figura e fundo. 
Contudo, muitas vezes nos deparamos com imagens que aparentemente não representam 
nada para nós e de repente, sem grande esforço, esta imagem se torna lúcida e conseguimos 
estabelecer a relação figura/fundo. Esse fenômeno dentro da Gestalt é denominado insight, 
que remete a uma compreensão imediata de algo. 
4 PSICANÁLISE
A Psicanálise tem como seu principal propagador Sigmund Freud (1856-1939), médico 
psiquiátrico austríaco. Ele foi capaz de alterar radicalmente o modo de pensar sobre a vida 
psíquica. A psicologia, enquanto ciência, precisava buscar por teorias científicas que pudessem 
atender aos anseios da sociedade naquele período histórico em seus aspectos econômicos, 
políticos e sociais. Neste contexto, a teoria psicanalítica de Freud buscou entender as percepções 
sensoriais interiores do homem, tais como as fantasias, os sonhos, os esquecimentos, vistos 
por ele como problemas científicos, levando à criação da Psicanálise. 
Essa teoria é fundamentada por conhecimentos científicos relacionados ao psiquismo. 
Seu método de investigação é interpretativo, pois busca explicações

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.