A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
34 pág.
direito-constitucional-p-policia-federal-agente-e-escrivao_aula-03_aula-03-pf_23758 (2)

Pré-visualização | Página 1 de 9

D. Constitucional p/Polícia 
Federal (Agente e Escrivão) 
Profa. Nádia Carolina – Aula 03 
 
 
 
 
Prof. Nádia Carolina www.estrategiaconcursos.com.br 1 de 34 
 
 
AULA 03: Poder Executivo. 
 
SUMÁRIO PÁGINA 
1-Teoria 1-15 
2-Questões Comentadas 16-27 
3-Lista de Questões 28-32 
4-Gabarito 33-34 
Presidencialismo 
 No presidencialismo, o Presidente da República acumula as funções de 
Chefe de Governo e Chefe de Estado. Já no parlamentarismo, o chefe de 
Estado é o Rei ou o Presidente da República, enquanto o chefe de Governo é o 
Gabinete, chefiado pelo Primeiro-Ministro. 
 “Puxa, Nádia... Estou confuso (a)...Qual a diferença entre chefe de 
Governo e chefe de Estado?” 
A chefia de Estado é a própria representação do Estado, principalmente 
no que se refere às relações internacionais. O chefe do Estado está acima da 
política, e por isso é responsável pela nomeação de cargos sem caráter 
político. Por isso, no presidencialismo, quando exerce a função de chefe de 
Estado, o Presidente da República não presta contas de seus atos ao Poder 
Legislativo, pois não há cunho político em suas decisões. 
Por outro lado, a chefia de Governo está fortemente relacionada à 
política, visando principalmente à realização de ações e tomada de decisões 
com base nos anseios dos diversos setores sociais. 
Assim, de posse desses conceitos, podemos perceber que o 
presidencialismo se diferencia do parlamentarismo pela maior independência 
de poderes. No presidencialismo, o chefe do governo escolhe e nomeia seus 
ministros, sem qualquer interferência do Legislativo, enquanto no 
parlamentarismo o Parlamento e o Gabinete não subsistem sem o apoio um do 
outro. Em alguns casos, é o Parlamento que nomeia os integrantes do 
Gabinete. Em outros, é o chefe do Executivo que os nomeia, desde que haja 
apoio da maioria parlamentar (é o caso da Inglaterra, por exemplo). 
Outro importante aspecto do presidencialismo é que os governantes 
possuem mandato por prazo certo. No Parlamentarismo, isso não ocorre: o 
Primeiro-Ministro permanece no cargo enquanto possuir maioria parlamentar. 
Por fim, no Presidencialismo há responsabilidade do governo 
diretamente perante o povo. Já no Parlamentarismo esta se dá perante o 
parlamento: caso o Primeiro Ministro perca o apoio parlamentar, exonera-se 
imediatamente. 
D. Constitucional p/Polícia 
Federal (Agente e Escrivão) 
Profa. Nádia Carolina – Aula 03 
 
 
 
 
Prof. Nádia Carolina www.estrategiaconcursos.com.br 2 de 34 
 
 
O quadro a seguir resume as principais características do 
Presidencialismo: 
 
Com base no que acabamos de estudar e no art. 1º da Constituição 
Federal, podemos concluir que a República Federativa do Brasil apresenta as 
seguintes características: 
 
Funções do Poder Executivo 
 A função típica do Poder Executivo é a executiva, que se consubstancia 
pela aplicação da lei aos casos concretos. Essa função executiva subdivide-se 
em função de governo (atribuições de decisão política) e função administrativa 
(intervenção, fomento e prestação de serviço público). 
 Além de sua função típica, o Executivo exerce outras, atípicas. Cabe a 
esse Poder legislar (por meio da edição de medidas provisórias e decretos 
autônomos) e julgar (contencioso administrativo). 
Investidura e posse 
P
R
E
S
I
D
E
N
C
I
A
L
I
S
M
O
 
MAIOR INDEPENDÊNCIA ENTRE OS PODERES 
MANDATO POR PRAZO CERTO 
ACÚMULO DAS FUNÇÕES DE CHEFE DE GOVERNO E 
CHEFE DE ESTADO 
RESPONSABILIDADE PERANTE O POVO 
República Federativa do Brasil 
•Forma de estado = Federação 
•Regime político = Democracia 
•Forma de governo = República 
•Sistema de governo = Presidencialismo 
D. Constitucional p/Polícia 
Federal (Agente e Escrivão) 
Profa. Nádia Carolina – Aula 03 
 
 
 
 
Prof. Nádia Carolina www.estrategiaconcursos.com.br 3 de 34 
 
 
 Determina o art. 77, § 1º, da Constituição, que a eleição do Presidente 
da República importará a do Vice-Presidente com ele registrado. O § 2º do 
mesmo artigo estabelece, ainda, que será considerado eleito Presidente o 
candidato que, registrado por partido político, obtiver a maioria absoluta de 
votos, não computados os em branco e os nulos. 
 Assim, tanto o Presidente quanto o Vice-Presidente da República são 
eleitos pelo sistema majoritário, no qual é eleito o candidato com maior 
número de votos. Esse sistema se divide em duas espécies básicas: sistema 
majoritário puro ou simples ou sistema majoritário de dois turnos. 
 Pelo primeiro (puro ou simples), considera-se eleito o candidato que 
obtiver o maior número de votos. A Carta Magna adotou esse sistema para a 
eleição dos Senadores (art. 46, CF) e de prefeitos municipais, em Municípios 
com menos de 200 mil eleitores (CF, art. 29, II). 
Já pelo segundo (sistema de dois turnos), será considerado eleito o 
candidato que obtiver a maioria dos votos válidos (não computados os em 
branco e os nulos). Caso não obtenha essa maioria na primeira votação, será 
realizado um novo turno de votações. Esse método é adotado pela Lei 
Fundamental para as eleições de Presidente da República, Governador de 
Estado e Distrito Federal e Prefeitos de Municípios com mais de 200 mil 
eleitores (CF, art. 77). 
Questão de prova: 
1. (Cespe/2013/TRE-MS) A eleição do presidente da República, 
simultaneamente com a do vice-presidente, é feita mediante voto 
direto e secreto, pelo sistema de representação proporcional, sendo 
realizada nos estados, nos territórios e no Distrito Federal. 
Comentários: 
A eleição do Presidente e do Vice-Presidente se dá pelo sistema majoritário, 
não pelo sistema proporcional. Questão incorreta. 
 O art. 77, “caput”, da Constituição Federal, determina que a eleição do 
Presidente e do Vice-Presidente da República realizar-se-á, simultaneamente, 
no primeiro domingo de outubro, em primeiro turno, e no último domingo de 
outubro, em segundo turno, se houver, do ano anterior ao do término do 
mandato presidencial vigente. Com isso, determina que à eleição para esses 
cargos aplica-se o sistema majoritário de dois turnos, pelo qual o candidato só 
se elege pela maioria absoluta dos votos, que, não sendo obtida no primeiro 
turno, será garantida em um segundo turno. 
A Constituição define, ainda, nos § 4º e 5º do art. 77 da CF, que se, 
antes de realizado o segundo turno, ocorrer morte, desistência ou 
impedimento legal de candidato, convocar-se-á, dentre os remanescentes, o 
D. Constitucional p/Polícia 
Federal (Agente e Escrivão) 
Profa. Nádia Carolina – Aula 03 
 
 
 
 
Prof. Nádia Carolina www.estrategiaconcursos.com.br 4 de 34 
 
 
de maior votação. Além disso, se remanescer, em segundo lugar, mais de um 
candidato com a mesma votação, qualificar-se-á o mais idoso. 
 O Presidente e o Vice-Presidente da República tomarão posse em sessão 
conjunta do Congresso Nacional, em 1º de janeiro, prestando o compromisso 
de manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o 
bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a 
independência do Brasil. Se, decorridos dez dias da data fixada para a posse, o 
Presidente ou o Vice-Presidente, salvo motivo de força MAIOR, não tiver 
assumido o cargo, este será declarado vago. 
 Observe que o cargo só será considerado vago se nenhum dos 
candidatos (Presidente e Vice) comparecer. A existência de força maior 
também modifica a situação, conforme o esquema abaixo: 
 
 
 Sobre o mandato presidencial, destaca-se ainda que, de acordo com o 
art. 82 da Carta Magna, este é de quatro anos e terá início em primeiro de 
janeiro do ano seguinte ao da eleição do Presidente da República. É permitida 
a reeleição para um único período subsequente. 
 Para finalizar o tópico, destaca-se que a Constituição exige alguns 
requisitos para a candidatura ao cargo de Presidente