PLANO DE AULA VI FINANCEIRO TRIBUTÁRIO I
1 pág.

PLANO DE AULA VI FINANCEIRO TRIBUTÁRIO I


DisciplinaDireito Financeiro e Tributário1.059 materiais2.441 seguidores
Pré-visualização1 página
PLANO DE AULA VI FINANCEIRO TRIBUTÁRIO I 
Aluna: Paula Fontoura 
Matrícula: 201502162016 
CASO CONCRETO: 
Servidor estadual ingressa com ação de repetição de indébito 
contra o Estado respectivo em função de uma retenção na fonte de 
imposto de renda retido na fonte pelo órgão ao qual pertencia a 
servidora. O Estado alega ilegitimidade passiva tendo em vista que 
a competência tributária para legislar sobre o imposto de renda é 
da União. Comente se procede a alegação do Estado. 
 
R: A competência tributária no imposto de renda é de fato da união, entretanto 
o Estado é parte legítima para figurar no polo passivo da ação de repetição de 
indébito promovida por seus servidores em relação ao imposto retido na fonte 
pagadora, esse é o posicionamento do STJ veiculado na súmula 447. Isso porque, 
o ART. 157, I, da CF, dispõe que pertence ao Estado 100% do produto da 
arrecadação do IR incidente na fonte sobre os rendimentos pagos por eles aos 
seus servidores. Essa questão envolve o princípio da simetria em interpretação 
extensiva ; Súmula 447: "Os Estados e o Distrito Federal são partes legítimas na 
ação de restituição de imposto de renda retido na fonte proposta por seus 
servidores". 
 
Questão objetiva: 
Na relação abaixo, de transferências intergovernamentais de receitas 
tributárias, MARQUE as da União para os Estados/DF (1), as da União para os 
Municípios (2) e as dos Estados/DF para os Municípios (3): 
 
(3) 50% do IPVA; 
(2) 20% dos impostos de competência residual; 
(1) 50% do ITR; 
(2) 21,5% do IPI e do IR para Fundo de Participação; 
(3) 25% do ICMS; 
(1) 22,5% do IPI e do IR para Fundo de Participação; 
(1) 70%do IOF sobre o ouro ativo financeiro ou instrumento cambial.