A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Ralfo Felix Miguel Ambrete.docx

Pré-visualização | Página 1 de 1

Ralfo Félix Miguel Ambrete 
 
 
 
 
 
 
 
Texto sobre O conceito da Aula 
 
 
Licenciatura em Estatística e Gestão de Informação 
 
 
 
 
4° Ano 
 
 
 
 
 
 
 
Universidade Licungo 
 Extensão Beira 
2020 
 
 
 
Ralfo Félix Miguel Ambrete 
 
 
 
 
 
 
Texto sobre O conceito da Aula 
 
 
Licenciatura em Estatística e Gestão de Informação 
 
 
Trabalho de pesquisa da cadeira de Didática de 
Estatística a ser entregue ao departamento de 
Matemática e Estatística, para fins de classificação. 
 
 Docente: Prof. Dr. Paulo Diniz Bene 
 
 
 
 
 
 
Universidade Licungo 
Extensão Beira 
2020
AULA 
1. Conceito 
Para Houaiss (2001) " A aula é entendida como unidade de tempo, espaço e forma de 
trabalho, por isso é usual a visão de aula que acontece em espaço físico – sala de aula- e 
em uma unidade de tempo determinada." 
A aula passa a constituir-se em um projeto coletivo de apropriação critica do 
conhecimento cientifico envolvendo o educador e o educado. A aula tem um ponto de 
partida inspirado naquilo que o aluno já domina e naquilo que não domina. 
Os elementos necessários para definir uma aula variam muito conforme a necessidade 
de professores e alunos, mas o mais recomendado é que tenha sempre um: plano de aula 
com (Identificação, tema, subtema, justificativa, objetivos, conteúdos envolvidos, 
estratégias – recursos e técnicas, procedimentos, avaliação – objetivos e instrumentos). 
Com tudo, chama-se sala de aula ao espaço físico onde são ditadas matérias. 
2. Tipos de aulas 
cada aula se diferencia na forma como é preparada e, posteriormente, conduzida. Entre 
os tipos fundamentais de aula, temos o seminário, a aula expositiva, a aula 
demonstrativa e a aula prática. 
Seminário 
Como o colóquio, o seminário é uma modalidade de apresentação muito comum em 
congressos ou reuniões científicas, no qual um especialista discorre sobre um 
determinado tema de sua área de atuação, para uma plateia formada por especialistas. 
Aula expositiva 
A aula expositiva é a mais comum nas escolas de todos os níveis. Nesse tipo de aula, o 
professor discorre sobre determinado assunto durante algum tempo, sendo que a postura 
dos alunos é totalmente passiva 
Aula demonstrativa 
A demonstração é um tipo de aula em que o professor, com o uso de equipamentos e 
outros materiais, inclusive experimentais, demonstra a operação, os efeitos ou mesmo 
https://conceito.de/sala
uma lei científica. Ao mesmo tempo, o professor discorre sobre o tema, relacionando 
seus aspetos teóricos e práticos. 
Aula prática 
A aula prática tem como principal característica o uso de equipamentos e materiais, com 
os quais os alunos fazem algum tipo de experiência sobre uma lei científica ou os 
efeitos dela, relacionando seus aspetos teóricos e práticos, sendo, por isso, uma 
metodologia de trabalho ativa. 
3. Estrutura de uma aula 
Uma boa aula deverá ter em conta quatro etapas: 
 Introdução; 
 Construção do conteúdo; 
 Aplicação do conteúdo; 
 Fixação do conteúdo. 
Introdução 
A introdução de um assunto poderá valer-se de uma abordagem, de um fato do 
cotidiano, de uma notícia. Poderá ser um material do conhecimento do professor ou 
pelos alunos. Pode ainda, um professor experiente, formular um problema para ser 
debatido e que sirva de ponte entre a aula anterior e o conteúdo futuro. 
Construção do conteúdo 
Na construção do conteúdo é importante tratar de fatos, conceitos e princípios, além de 
uma rápida revisão dos conhecimentos prévios naquela disciplina, para se entender o 
que se pretende, agora, ensinar. Se a escola tiver recursos tecnológicos tudo fica mais 
fácil. Não havendo, é importante aproveitar os saberes dos próprios alunos, hoje 
frequentadores de muitas lan houses e que têm contato com muitas informações. O mais 
importante é que a aula deve ser dada para os alunos e não para nós mesmos. 
Aplicação do conteúdo 
A terceira etapa trata da aplicação do conteúdo estudado. Não se trata de resolver, 
apenas, exercícios. Pode, o professor e seus alunos procurarem no entorno da escola, da 
cidade e mesmo do mundo com as informações que nos chegam, algumas aplicações 
daquilo que foi estudado. É importante encontrar na vida que nos cerca as relações com 
o que acabou de ser ensinado para que os conteúdos ganhem mais importância. 
Fixação do conteúdo 
etapa refere-se à fixação da aprendizagem e, portanto, desejo concluir indicando a 
importância do dever de casa. Se um aluno não fizer isto ele não aprenderá. Não se pode 
acreditar em escola que não passa dever de casa para os alunos. É importante nesta 
etapa que se faça uma distinção entre exercício e problema ou desafio. Um exercício 
costuma tomar pouco tempo do aluno, é feito sem ajuda de outra pessoa e serve para 
fixar o conteúdo na memória de curta duração. Um problema pode tomar muito tempo 
para ser resolvido, pode não ser compreendido pelos alunos e geralmente precisa de 
ajuda. Portanto, exercícios sejam enviados para casa, problemas deixem para a sala de 
aula porque ali o professor será uma ajuda, um aluno que já assimilou o conteúdo 
ensinado poderá ser um bom monitor. 
Referencias 
GONÇALVES EL. - Pedagogia e didática: relações e aplicações no ensino médico. 
Rev Bras Educ Méd 2001; 25(1): 20-6. 
PAZIN FILHO A., SCARPELIN S., SCHIMIDT A. – "Análise qualitativa da 
elaboração e apresentação de aulas teóricas por alunos de pós-graduação da Faculdade 
de Medicina de Ribeirão Preto". 2007; 40 (1): 51-62.