Buscar

introdução a anatomia dental

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 5 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

resumo de anatomia dental
introdução a anatomia dental
Dentes mudam de textura conforme idade, pois desgastam com o tempo, dente “encurta”. 
nomenclatura de dentes permanentes 
Os dentes podem ser divididos conforme a anatomia de suas coroas, posição na cavidade oral ou mesmo conforme suas funções.
· Dentes anteriores: incisivos e caninos.
· Dentes posteriores: pré-molares e molares.
· Dentes superiores ou arcada superior. 
· Dentes inferiores ou arcada inferior.
dentes divididos por faces
faces livres 
· Vestibular: face voltada o vestíbulo da boca (bochecha).
· Lingual: face em contato com a língua (parte inferior da boca que encontra os dentes inferiores).
· Palatina: face em contato com a língua, porém é a parte que está em contato com a palatina, na parte superior da boca, e dos dentes superiores.
faces de contato (proximais)
· Mesial: todo lado do dente mais próximo ao corte sagital mediano.
· Distal: face contraria a Mesial, ou a mais distante do corte sagital mediano.
· Oclusal: superfície da coroa que entra em contato com os dentes antagonistas (molar e pré-molar).
· Incisal: a face é a parte de contato nas bordas dos dentes incisivos e caninos (correspondentes as faces oclusais).
arcada dentaria
A boca é dividida em quadrantes em sentido horário:
· Quadrante 1: superior direito.
· Quadrante 2: superior esquerdo.
· Quadrante 3: inferior esquerdo.
· Quadrante 4: inferior direito.
· 11- incisivo central superior direito
· 12- incisivo lateral superior direito
· 13- canino superior direito 
· 14- primeiro pré-molar superior direito
· 15- segundo pré-molar superior direito
· 16- primeiro molar superior direito
· 17- segundo molar superior direito
· 18- terceiro molar superior direito 
· 21- incisivo central superior esquerdo 
· 22- incisivo lateral superior esquerdo
· 23- canino superior esquerdo
· 24- primeiro pré-molar superior esquerdo
· 25- segundo pré-molar superior esquerdo
· 26- primeiro molar superior esquerdo
· 27- segundo molar superior esquerdo
· 28- terceiro molar superior esquerdo 
· 31- incisivo central inferior esquerdo 
· 32- incisivo lateral inferior esquerdo
· 33- canino inferior direito
· 34- primeiro pré-molar inferior esquerdo
· 35- segundo pré-molar inferior esquerdo
· 36- primeiro molar inferior esquerdo 
· 37- segundo molar inferior esquerdo
· 38- terceiro molar inferior esquerdo
· 41- incisivo central inferior direito
· 42- incisivo lateral inferior direito
· 43- canino inferior direito
· 44- primeiro pré-molar inferior direito
· 45- segundo pré-molar inferior direito
· 46- primeiro molar inferior direito
· 47- segundo molar inferior direito 
· 48- terceiro molar inferior direito
anatomia dental
Parte da anatomia humana que estuda dentes e periodonto formando o complexo aparelho mastigador. 
generalidades: elemento dental
· Trama conjuntiva (fibra que liga o osso ao dente)
· Dentina 
· Esmalte
· Cemento 
· Dente: esmalte/dentina/polpa
· Periodonto: Cemento/ligamento/gengiva e osso alveolar. 
funções dos dentes
· Estética
· Fonética
· Mastigação
· Proteção e sustentação dos tecidos moles
Fonética: 
· Apoio da língua ou lábio, na pronuncia do F, V, T, D, N e SS.
· Na falta de molares timbre se modifica.
· Pacientes sem dentes apresentam pronuncias modificadas.
estética da face
· Apoio para lábio e bochecha. Mantem o contorno facial.
· Desdentados- lábio se introduzem na boca, as bochechas se tornam flácidas, s sulcos se tornam exagerados e a ponta do nariz se desloca para baixo.
Dentes permanentes- 32 dentes:
· Arcada superior- 14 dentes.
· Arcada inferior- 14 dentes.
· Terceiros molares podem estar ausentes.
dentes deciduos 20 dentes:
Os dentes, articulações, inervações, músculos fazem parte de um sistema biodinâmico, o sistema estomatognático. Para o bom funcionamento tudo deve estar em equilíbrio e harmonia.
funções dos tipos de dentes
· Incisivos: morder e cortar alimentos. 
· Caninos: furar e rasgar alimentos.
· Pré-molares: esmagar triturar alimentos.
· Molares: mastigar alimentos.
Partes dos dentes
Coroa: é a porção visível e funcional na mastigação. Permanece acima dos ossos suportes e da gengiva. 
Raiz: fixação dos dentes no osso alveolar, através do ligamento periodontal. Sempre possui o comprimento maior que a coroa, é revestida por uma fina camada de cemento dentário. 
Colo: é o segmento intermediário entre a coroa e a raiz; é a porção mais estrangulada do dente e é limitada pela disposição sinuosa do esmalte a este nível. 
importancia de conhecer anatomia dental
· Dentística: restauração.
· Prótese: provisórios e coroas protéticas. 
· Periodontia: acesso. 
· Ortodontia: alinhamento dental.
· Cirurgia e implantes remoção dos dentes.
detalhes anatômicos da coroa dental
· Bossa
· Cíngulo
· Cúspides
· Cristas marginais 
· Ponte de esmalte
· Tubérculos 
· Sulcos: principais e secundários
· Fóssulas
características anatômicos 
bossa 
Elevação arredondada presente em dentes permanentes e dentes decíduos. Correspondente aos pontos e maior espessura de esmalte (parte que tem mais contato/atrito).
Função: protege as partes marginais gengivais desviando os alimentos durante a mastigação e permite ligeiro grau de fricção gengival sem possibilidade de os alimentos forçarem as bordas gengivais. 
· Vestibular: no 1/3 cervical. 
· Lingual: no 1/3 cervical dos dentes superiores e nos dentes anteriores inferiores; no 1/3 médio dos dentes posteriores inferiores.
· Mesial: no 1/3 oclusal.
· Distal: no 1/3 médio.
linha equatorial 
· Linha sinuosa formada pela união das bossas, também pode ser chamada de linha de maior contorno do dente. 
· Separa a área retentiva da área expulsiva. 
· Área retentiva: nos dentes superiores é acima do equador e nos dentes inferiores é abaixo do equador.
· Área expulsiva: nos dentes superiores e abaixo do equador e nos dentes inferiores é acima do equador.
colo ou linha cervical
Linha sinuosa côncavo-convexa presente em todos os dentes, marcando o termino de esmalte.
cíngulo 
Área presente no terço cervical, é uma saliência acentuada na face lingual dos dentes anteriores que representa o vestígio de uma cúspide lingual que não se desenvolveu, e pode apresentar um sulco.
cúspide 
Saliência piramidal de volume variável presente na faces oclusais dos molares e pré-molares. Formado por arestas e vertentes, e separadas por sulcos.
Cúspides: formações piramidais de base quadrangular nos dentes posteriores; tem quatro faces que se unem entre si por intermédio de arestas e que convergem para o ápice. As faces de uma cúspide são verdadeiras vertentes.
arestas e vertentes 
Componentes das cúspides, que apresentam a forma de pirâmide de base quadricular.
· Vertentes: são as faces de um a cúspide; podem ser vestibulares quando na cúspide vestibular, linguais quando na cúspide lingual (lisas ou externa) e oclusais (triturantes ou interna) 
· Arestas: diedros; são segmentos de retas formados pela união de vertentes de uma mesma cúspide; podem ser longitudinais que separam as vertentes livres das vertentes oclusais, ou transversais que separam as vertentes distais das mesiais. 
tubérculo
Elevação arredondada, com maior deposito de esmalte, ex. tubérculo anômalo de carabelli 
Contato Interproximal 
Área de encontro das bossas das faces proximais, local onde se tocam as faces proximais na normal posição nas arcadas dentárias; determina espaços ou áreas distintas.
Fossa
Depressão ampla de profundidade variável, localizada de preferência na face lingual dos dentes incisivos e às vezes, caninos.
ameias
Espaço triangular nas faces vestibular ou lingual, situado entre as faces de contato de dois dentes na mesma arcada, as ameias linguais são maiores que as ameias linguais.
· Sulco interdental: espaço que parte da área de contato em direção incisal/ oclusal. 
· Espaço interdental: espaço existente a partir da área de contato Interproximal em direção à porção cervical da coroa; aloja a papila dentária.
sulcos
· Está na vista oclusal.
· Depressão linear, quem separa uma cúspide da outra, pode ser chamada fissura ou fenda.
· Sulcoprincipal: Mesial- Distal.
· Sulco secundários: oclusal – lingual ou vestibular.
· Longitudinais (mésio-distais): separam as cúspides vestibulares das linguais, e estão geralmente mais próximos da cúspide lingual (ocasiona a diferença de volume entre as cúspides); muito frequentemente, não são contínuos e se apresentam como em linha quebrada ou sinuosa, no entanto, sempre partem de um a fosseta proximal à outra. Podem ser quase retilíneos (MS), retilíneos (PMS e MI) ou curvilíneos (PMI). 
· Vestibular: ocluso-vestibular; parte da fosseta central e dirige-se para a face vestibular terminando na fosseta vestibular; separa as cúspides vestibulares em distal e mesial. 
· Lingual: ocluso-lingual; parte do segmento distal do sulco longitudinal em direção a cúspide lingual.
fóssulas 
Encontro de dois ou mais sulcos, formando uma depressão de profundidade variável no trajeto do sulco longitudinal e mediano da face oclusal e na face vestibular dos dentes posteriores, com valor clínico, pois é onde se inicia, constantemente, os processos destrutivos do esmalte coronário. Geralmente, são em 4: vestibular, central, mesial e distal (em PM são 2: mesiais e distais); as mesiais e distais ficam nos extremos do sulco principal da face oclusal, já a central localiza-se no centro da face oclusal e a vestibular situa –se. Como depressão discreta no 1/3 médio da face vestibular marcando o término do sulco que invade está face.
ponte de esmalte ou linha oblíqua
Saliência de esmalte que une as cúspides vestibulares das linguais e as cúspide mésio-lingual à disto-vestibular dos dentes tetracuspidados, interrompendo o sulco principal longitudinal
cristas marginais 
Pilares de reforço que unem face vestibular e face palatina/lingual nos molares e pré-molares e presente também nos dentes anteriores, favorecendo o contato oclusal.
Elevação linear que une cúspides ou reforça a periferia de certas faces dos dentes.
· Dentes anteriores: na margem distal e mesial da face lingual.
· Dentes posteriores: na margem distal e medial da face oclusal; une as cúspides vestibulares as cúspides linguais.
lóbulos de desenvolvimento 
Segmento da face vestibular separados por leves sulcos, caracterizado por leves sulcos, caracterizados deste jovens ou recém-interrompidos, pois em adultos desaparece devido ao atrito de lábios e bochechas; geralmente me número de 3 (mesial, mediano e distal).
características gerais comuns entre os dentes
1. Faces mesiais-mais alta e mais plana.
2. Faces vestibulares- maiores L
1. Ângulo coroa-raiz
2. Convergências: 
· M para D
· I para C e O para C
· V para L
estruturas anatômicas comum em dentes
1. Linha de colo côncavo convexo 
2. Borda Incisal 
3. Bossas: vestibular, Mesial, distal e lingual.
4. Linha equatorial 
5. Cristas
estruturas anatômicas dos dentes anteriores 
· Cíngulo 
· Fossa lingual
· Sulcos de desenvolvimento (tem 2)
· Borda Incisal
· Flor de liz
· Mamelos

Outros materiais