A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
A Face 2 Atlas ilustrado de anatomia clínica 2

Pré-visualização | Página 23 de 41

direita da cabeça) na gálea aponeurótica, com o ventre posterior do músculo 
occipitofrontal e o músculo auricular superior em vista dorsal. 
121 
A face 
1 . 6 O pescoço
Fig. 1-115 O pescoço em vista anterior. 
Fig. 1-116 O pescoço em vista lateral. 
122 
' 
1.6.1 O pescoço em vista anterior 
• Figs. 1-115 e 1-116 O pescoço em vistas anterior e lateral
respectivamente.
• Fig. 1-117 O platisma é inervado pelo nervo facial (VII par) 
e, portanto, forma um dos grupos de músculos da expressão 
facial. O platisma é embutido na camada adiposa subcutânea. 
Em geral, a parte laríngea do pescoço não é coberta pelo
platisma, de modo que a lâmina superficial da fáscia cervical 
(camada de revestimento) continua sem a cobertura muscular. 
• Fig. 1-118 A quantidade de gordura abaixo do platisma 
varia de uma pessoa para outra. A lâmina superficial da fáscia 
cervical cobre a região submentual e a região infra-hióidea e
cobre também o músculo esternocleidomastóideo.
As veias submentuais coletam o sangue das regiões subman-
dibular e submentual, drenando-o para a veia facial, que 
então drena na veia jugular interna. Na região infra-hióidea, 
o sangue pode ser coletado também pela veia jugular externa. 
O nervo cervical transverso faz trajeto ao longo da lâmina 
superficial da fáscia cervical, enquanto o ramo cervical do 
nervo facial se encontra mais próximo do ramo da mandíbula. 
Esses dois nervos são conectados pela alça cervical superficial 
(parte do plexo cervical), que fornece a inervação para o pla-
tisma. O nervo auricular magno situa-se mais em direção 
lateral e faz trajeto no sentido craniano sobre o músculo ester-
nocleidomastóideo. 
O pescoço caracteriza-se pela presença de 200 a 300 linfonodos, 
cuja maioria situa-se ao longo dos feixes neurovasculares. 
O pescoço 
Contudo, um número significativo de línfonodos também 
é encontrado na superfície da lâmina superficial da fáscia 
cervical; eles são conhecidos como linfonodos cervicais super-
ficiais anterior e laterais. A veia jugular externa, em particular, 
é circundada por esses linfonodos cervicais superficiais laterais, 
que drenam as áreas subcutânea e epifascial do pescoço. Além 
disso, os linfonodos submentuais e submandibulares loca-
lizam-se na lâmina superficial da fáscia cervical ao longo na 
borda interna da mandíbula. 
• Fig. 1-119 Quando a lâmina superficial da fáscia cervical 
é aberta, os músculos do assoalho da boca ficam expostos, 
junto com os linfonodos submentuais e submandibulares,
que se localizam na borda interna da mandíbula. O linfo-
nodo jugulodigástrico, que se localiza entre a margem 
anterior do músculo esterno-hióideo e o ângulo da mandí-
bula na margem caudal da glândula parótida, é um dos lin-
fonodos especialmente mais profundos. Outra janela na 
lâmina superficial da fáscia cervical expõe o músculo esterno-
cleidomastóideo. Ao contrário, os músculos infra-hióideos
permanecem cobertos por outra fáscia cervical, que se 
estende da curvatura do pescoço, incluindo o hioide e indo
até o esterno. Essa é a lâmina pré-traqueal da fáscia cervical. 
Na curvatura do pescoço, a veia jugular interna, que coleta
o sangue da região submandibular profunda, é visível em 
profundidade. A veia jugular anterior, que corre acima da 
camada superficial da fáscia cervical na região submandibular,
continua seu percurso sob a lâmina superficial da fáscia cer-
vical na região pré-traqueal. Nesse ponto, ela não repousa 
diretamente sobre o músculo esterno-hióideo, porque ele é
coberto pela lâmina pré-traqueal da fáscia cervical. 
123 
A face 
Compartimento adiposo 
submentual acima 
do platisma 
......;.. _ _ _ _ _ _ _ N. occipital menor 
(C2, C3) 
, - - - - - - - - - N. auricular magno 
(C2, C3) 
- - ! ! . = ' ; . "--,---=,..-..,:;;i�'--..:o..., _ _ _ _ _ _ Camada de revestimento, 
Fig. 1-117 Região do pescoço em vista anterior com a pele removida do lado 
esquerdo da face, de modo a revelar a camada adiposa subcutânea com o platisma. 
124 
f�scia cervical. lamina 
superficial 
N. occipital menor - - - - - - . . : . . -
(C3) 
N. auricular magno _ _ _ _ _ _ _ _;__; , 
(C2, C3} 
N. cervical transverso - - - - - - - - = - -
(C2, C3} 
O pescoço 
--:--r-c.a::-L---__; -------..,:....-- Compartimento adiposo 
submentual, abaixo do 
platisma 
' - - - , R . : . - ' - - - - - - - - Linfonodos cervicais 
laterais 
- - - - - - - ' 1 - . ; . , . _ . J - - - ' - - - ' - - - - - - - - Alça cervical 
superficial 
= - - - - ' - - - - - - - - N. cervical transverso 
(C2, C3) 
----_;;_;_----'-'- ....:..=e..,,..------- Camada de revestimento, 
fáscia cervical, lâmina 
superficial 
Fig. 1-118 Região do pescoço em vista anterior. O lado direito mostra o platisma. 
À esquerda, o platisma é removido para expor a lâmina superficial da fáscia cervical. 
125 
A face 
, - - - - - - - - - - - M d19ástnco, 
ventre anterior 
Camada de revestimento, - - - " ' - , ' : - - - - - - - - - - � � � = - ' - - - = - ' ' = -
fáscia cervical. 
lamina superficial 
Compartimento adiposo - - - - - - - - - - - ,
submentual, abaixo 
do platisma 
V. submentual - - - - - - - " ! - ' - - - � l ! C i í - . , . . , _ _ _ _ _ , 
N. occipital menor - - - - - - - - ' -
(C2, C3) 
Alça cervical - - - - - - - - e - - - ' - - � \ ' t o - , - - - - - ' - : : r ' - - - . . . . : . : 
superficial 
Camada de revestimento, - - - - - - - - - - - - - - -
fáscia cervical, 
lamina superficial 
N. auricular magno (C2, 0 ) - - - - - - - - '
N. cervical transverso - - - - - - - �
(C2. C3) 
� - - - ; - - - - - - - V Jugular externa 
- - : - - - � � - - - - - - Linfonodos cerv1Ca1s profundos 
1 - l - - - - - - - - - - - Linfonodos 
cervicais laterais 
�, - - - : - . ; ;� - -+ - - - - - - - - - F�scia cervical, 
lamina paratraqueal 
: : . . . . ; , . - i - - - = - - : - : - - - - - - - - - - - Arco venoso jugular ... .... ,_--
Fig. 1·119 Região do pescoço em vista anterior. A metade direita mostra a lâmina superficial da fáscia cervical. 
A metade esquerda mostra os músculos do assoalho da boca e expõe a lâmina pré-traqueal da fáscia cervical. 
126 
• Figs. 1-120 e 1-121 Na região da bochecha e do pescoço, 
todos os músculos são ligados com mais ou menos firmeza,
porém são continuamente conectados entre si e com a pele,
por meio de tecido conjuntivo entrelaçado. A camada de 
tecido conjuntivo que cobre os músculos faciais é chamada 
Fig. 1-120 Ligamentos subcutâneos (sistema musculo-
·aponeurótico superficial) dos compartimentos de gordura
na região do pescoço em vista lateral.
O pescoço 
sistema musculoaponeurótico superficial. A partir desse ponto, 
filamentos correm em direção à pele e formam os septos dos 
compartimentos. Há também filamentos de tecido conjuntivo 
que se inserem no osso; eles são chamados de fibras de 
sustentação. 
Fig. 1-121 Ligamentos subcutâneos (sistema musculo-
·aponeurótico superficial) dos compartimentos de gordura
na região do pescoço em vista anterior.
127 
A face 
1.6.2 O pescoço em vista lateral 
• Fig. 1-122 Na reg1ao do pescoço, o platisma localiza-se
entre a pele e a lâmina superficial da fáscia cervical. Como
ele pertence aos músculos da expressão facial (inervada pelo
nervo facial), está embutido na camada adiposa subcutânea.
Essa camada adiposa tem volume variável entre os indivíduos.
A camada de gordura na região dorsal do pescoço também
pode ter espessura variável.
A veia jugular externa coleta sangue da veia occipital e da 
veia auricular posterior. Está localizada na lâmina super-
ficial da fáscia cervical antes de cruzar sobre o músculo 
esternocleidomastóideo. Nesse trajeto, é circundada pelos 
linfonodos cervicais superficiais laterais. O músculo esterno-
cleidomastóideo também é cruzado pelos ramos cutâneos 
do plexo cervical, que emerge