APOSTILA DE FUNDAMENTOS DA LUDOPEDAGOGIA
6 pág.

APOSTILA DE FUNDAMENTOS DA LUDOPEDAGOGIA


DisciplinaLudopedagogia61 materiais139 seguidores
Pré-visualização1 página
Fundamentos da 
Ludopedagogia 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
FUNDAMENTOS DA LUDOPEDAGOGIA 
 
A palavra lúdico é originária do latim \u201cludus\u201d, que tem como significado, \u201cjogo\u201d. 
Podemos acrescentar como algo prazeroso, divertido. 
Na medida em que o homem é um ser social, esta sociedade também impõe a 
ele, que se tem tempo para brincar, sonhar, aprender, dormir e que primeiro se 
cumpre as obrigações, depois se dedica algum tempo ao prazer. 
O código moral social, trás implícito na educação formal este construto. 
Já tivemos épocas em que o professor estava sobre um tablado, sua mesa 
posicionada em meio a este, a sala de aula era totalmente silenciosa e, enfim, 
uma disciplina extremamente rígida. 
No entanto, com o passar do tempo e com a vinda das novas gerações, com o 
advento do computador, da internet, de uma sucessão de acontecimentos e da 
vida fluindo de forma muito rápida, vários conceitos começam a se modificar, e 
o lúdico começou a ser visto e revisto pelos psicomotricistas passou também a 
ser mais e melhor estudado. A visão do mesmo começa a ser entendida de 
forma diferente, aonde se entende que faz parte da psicofisiologia do 
desenvolvimento humano, não sedo mais vista como apenas o equivalente ao 
brincar.Em realidade, é essencial para a vida do ser humano em geral, 
trazendo benefícios para o corpo, para o cognitivo e para o emocional. 
Quanto mais integrado está o ser humano, mais completo e saudável este vai 
ser no decorrer de sua vida e no exercer suas atividades diárias. 
De acordo com LUCKESI ( 2000),é uma forma de viver qualquer situação de 
forma total e global. 
Tudo o que é bem vivenciado, de forma que não se encontre uma definição 
para as sensações sentidas, é algo lúdico. 
 
 
 
Quando se refere a uma aula lúdica, é necessário que se reflita não apenas 
nas atividades a serem executadas, mas no sentimento e postura do educador. 
Educar com prazer, trabalhar o corpo do aluno, principalmente nas séries 
iniciais, não é somente prazeroso mas também possibilita o planejamento de 
atividades que despertem a atenção, sejam motivadoras trabalhem a 
autoestima, os relacionamentos sociais. 
É extremamente necessário que o educador esteja com seus objetivos bem 
definidos que tenha um forte conhecimento da teoria, no sentido de poder 
planejar as atividades direcionadas com um objetivo específico. 
Antigamente, o ensino tradicional apenas focava na transmissão de conteúdos 
formais, cujo conhecimento era literalmente \u201cdespejado\u201d e a compreensão 
muitas vezes distante de acontecer. 
A integração de sentimento, pensamento e ação no processo de ensino, é 
extremamente importante para que o sujeito se sinta mais inteiro, que 
compartilhe situações, pensamentos e experiências com os colegas e 
apreenda os conteúdos ensinados de maneira mais intensa e inteira. 
Quando se integra o conteúdo pedagógico com a atenção, interesse, 
percepção, fantasia, se está estimulando a criatividade do aluno, a vivência e 
elaboração dos papéis sociais e de seus conflitos cognitivo-emocionais vividos 
no dia a dia. 
Com a intenção de aprofundar e deixar mais claros os conceitos e a 
importância da ludicidade na Pedagogia, segue Artigo na íntegra para fazê-lo: 
Primeiro Artigo: Ludicidade e Transdisciplinaridade 
file:///C:/Users/FCE2/Downloads/8540-37985-1-PB.pdf 
 
 
file:///C:/Users/FCE2/Downloads/8540-37985-1-PB.pdf
 
 
 
É importante que se reveja cada vez mais não só os conteúdos Pedagógicos, 
mas a Formação dos professores. Aqueles que são responsáveis pela 
aprendizagem dos alunos, não como arquivos cheios de conteúdos, mas 
aqueles que realmente possam aprender apreender e memorizar conteúdos. 
No que diz respeito a Formação de Professores segue para uma explanação 
maior: 
Segundo Artigo: FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UM ESPAÇO 
QUE POSSIBILITA TRABALHAR A EDUCAÇÃO EMOCIONAL E 
COMPREENDER O ESTRESSE DO PROFESSOR 
file:///C:/Users/FCE2/Downloads/754-7172-3-PB.pdf 
 
REFERÊNCIAS 
 
VYGOTSKY, L.S. (1993) Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes. 
 
FORTUNA, Tânia Ramos. Formando professores na Universidade para brincar. 
In: SANTOS, Santa Marli P.dos (org.). A ludicidade como ciência. Petrópolis: 
Vozes, 2001, p.116. 
 
FAZENDA, I. C. (1995) A Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 
Campinas/SP, Papirus. 
 
MORIN, E. (1999). Amor, Poesia e Sabedoria. Lisboa: Instituto Piaget. 
 
 
file:///C:/Users/FCE2/Downloads/754-7172-3-PB.pdf
 
 
 
LUCKESI, Cipriano Carlos. Educação, ludicidade e prevenção das neuroses 
futuras: uma proposta pedagógica a partir da Biossíntese. In: 
LUCKESI, Cipriano Carlos (org.) Ludopedagogia - Ensaios 1: Educação e 
Ludicidade. Salvador: Gepel, 2000. 
 
 
 
 
Apostila Organizada por: 
PROFA. MS. THAIS SISTI DE VINCENZO SCHULTHEISZ