introducao_a_administracao_online
160 pág.

introducao_a_administracao_online


DisciplinaAdministração143.137 materiais1.024.250 seguidores
Pré-visualização35 páginas
Introdução à 
Administração
In
tr
o
d
u
çã
o
 à
 A
d
m
in
is
tr
aç
ão
Introdução à 
Administração
João Bonome
Fundação Biblioteca Nacional
ISBN 978-85-387-2958-7
Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., 
mais informações www.iesde.com.br
Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., 
mais informações www.iesde.com.br
João Bonome
IESDE Brasil S.A.
Curitiba
2012
Edição revisada
Introdução à Administração
Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., 
mais informações www.iesde.com.br
© 2008 \u2013 IESDE Brasil S.A. É proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo, sem autorização por 
escrito dos autores e do detentor dos direitos autorais.
Capa: IESDE Brasil S.A.
Imagem da capa: IESDE Brasil S.A.
IESDE Brasil S.A.
Al. Dr. Carlos de Carvalho, 1.482. CEP: 80730-200 
Batel \u2013 Curitiba \u2013 PR 
0800 708 88 88 \u2013 www.iesde.com.br
Todos os direitos reservados.
CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE
SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ 
__________________________________________________________________________________
B712i
 
Bonome, João Batista Vieira
 Introdução à administração / João Bonome. - 1.ed., rev. - Curitiba, PR : IESDE Brasil, 
2012. 
 156p. : 24 cm
 
 Inclui bibliografia
 ISBN 978-85-387-2958-7
 
 1. Administração de empresas. I. Título. 
 
12-4940. CDD: 658.4
 CDU: 005.366
 
12.07.12 30.07.12 037448 
__________________________________________________________________________________
Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., 
mais informações www.iesde.com.br
João Batista Vieira Bonome
Mestrando em Administração Pública com 
ênfase em Políticas Sociais pela Fundação João 
Pinheiro. Especialista em Relações de Trabalho e 
Negociações pelo Instituto de Educação Conti-
nuada (IEC) da Pontifícia Universidade Católica 
de Minas Gerais (PUC Minas). Bacharel em Admi-
nistração de Empresas pela PUC Minas.
Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., 
mais informações www.iesde.com.br
su
m
ár
io
su
m
ár
io
su
m
ár
io
su
m
ár
io
História da Administração 
7
A Revolução Industrial e a Administração 
19
O planejamento e suas principais características 
35
35 | O que é Administração
37 | Situação real passível de administração
38 | Planejamento
A organização e suas principais características 
49
49 | Continuação da situação real passível de administração
50 | A função organização 
56 | Centralização X descentralização
A liderança e suas principais características 
63
63 | Continuação da situação real passível de administração
64 | Meios e processos usados pela direção
65 | Princípios básicos da liderança
66 | Liderança
67 | Organização como um sistema social cooperativo
O controle e suas principais características 
79
79 | Continuação da situação real passível de administração
80 | Alguns conceitos sobre controle
As habilidades administrativas e suas características 
91
91 | As habilidades administrativas
94 | Níveis organizacionais
96 | As necessidades do administrador
Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., 
mais informações www.iesde.com.br
Ambiente organizacional e as 
implicações para o gerenciamento 
103
103 | O ambiente empresarial
108 | A incerteza ambiental
109 | A incerteza organizacional
O empreendedorismo como nova 
possibilidade gerencial para administradores 
117
117 | O empreendedorismo
119 | Características dos empreendedores
119 | O cenário de desenvolvimento do empreendedorismo
120 | Empreendedorismo na formação acadêmica
Teorias administrativas 
129
129 | As primeiras teorias administrativas
130 | Administração científica: ênfase nas tarefas
Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., 
mais informações www.iesde.com.br
Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., 
mais informações www.iesde.com.br
História da Administração
O significado da palavra administração deriva dos termos em latim ad e 
minister \u2013 respectivamente direção para, e tendência e obediência, ou seja, 
alguém que presta um determinado serviço a outra pessoa.
Contemporaneamente a atividade administrativa não obtém corres-
pondência direta àquela da sua definição inicial e, portanto, sua primordial 
função passou a ser a de interpretar os objetivos escolhidos pelas empre-
sas e conseguir transformá-los em atividades organizativas utilizando-se do 
método de planejamento, organização, direção e controle de todas as ações 
desenvolvidas em todas as áreas e em todos os níveis hierárquicos da em-
presa, tendo em vista o alcance dos objetivos da forma mais conveniente 
possível. Toda essa atividade deve, portanto, ser direcionada no sentido de 
coordenar os recursos existentes nas empresas, como pode ser visto no de-
senho a seguir:
Tarefas
Organização
Pessoas
Tecnologia
Ambiente
Estrutura
Mas nem sempre o parâmetro central da administração embasou-se no 
direcionamento para essas ações.
A Administração, considerada uma prática relacionada à cooperação entre 
as pessoas, sempre existiu. Entretanto, a noção científica de administração 
7Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., 
mais informações www.iesde.com.br
8
História da Administração
ocorreu há bem pouco tempo. Porém, se analisarmos em termos históricos, a 
administração sempre foi objeto de estudo; neste caso, especialmente atra-
vés de métodos, processos e interesses variados e distintos.
Considerando que a atividade administrativa está estreitamente vincula-
da à tarefa de coordenação, é preciso concluir que é dada atenção à ativida-
de administrativa somente no momento em que a dimensão da organização 
chega ao ponto de necessitar de coordenação entre tarefas interdependen-
tes executadas por diferentes indivíduos. É nesse sentido que surgiram, no 
decorrer da história, preocupações sobre como administrar quando orga-
nizações (ou agregados organizados) atingiram proporções consideráveis 
quanto à quantidade de pessoas envolvidas nesses agregados.
Referências históricas documentam que as preocupações voltavam-se 
fundamentalmente para a realização de monumentais construções erigidas 
na Antiguidade, bem como na coordenação de grandes contingentes popu-
lacionais da época, ou seja, na própria administração.
Dessa forma, enquanto o povo que habitava a Suméria procurava desen-
volver alguma outra maneira de resolver suas questões práticas, eles esta-
vam, a bem da verdade, desempenhando a chamada arte de administrar.
Na época do antigo Egito (Era Ptolomaica) já havia sido preestabelecido 
um conjunto de elementos econômicos suficientemente planejados, mas 
que não seria devidamente operacionalizado se não houvesse, em contra-
partida, um modelo de Administração Pública que fosse organizada e siste-
matizada. Em outra região \u2013 na antiga China, em 500 a.C. \u2013 tanto os trabalhos 
de Meng-tzu quanto a constituição Chow (que regulamentava os diferentes 
setores do governo) e as regras de Administração Pública de Confúcio não 
prescindiam a urgência em criar um sistema mais organizado de governo 
para o império, pois era preciso conhecer objetivamente a realidade para 
que o exercício do governo fosse bem destacado e adquirisse relevância.
Mas os exemplos não param por aí. Na antiga Turquia as instituições apre-
sentavam um sistema de gestão extremamente aperfeiçoado. Por sua vez, na 
Roma antiga, a forma desenvolvida pelos gestores públicos para fazer fun-
cionar a máquina administrativa dentro de um