A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
60 pág.
Anatomia dos animais de produção I

Pré-visualização | Página 1 de 13

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS 
INSTITUTO DE BIOLOGIA 
DEPARTAMENTO DE MORFOLOGIA 
CURSO DE ZOOTECNIA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ANATOMIA DOS ANIMAIS DE 
PRODUÇÃO I 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Professoras: 
Dra Ana Luisa Valente (Regente) 
Dra Ana Cristina Pacheco de Araújo 
 
Colaborador: 
Professor Dr. Althen Teixeira Filho 
 
 
 
 
 
 
 
 
PELOTAS, 2010 
 2
SUMÁRIO 
 
1. Considerações gerais .............................................................................. 03 
 
2. Osteologia geral ........................................................................................ 08 
 
3. Artrologia geral ........................................................................................ 12 
 
4. Miologia geral ........................................................................................... 14 
 
5 Esqueleto axial........................................................................................... 18 
 
6 Esqueleto apendicular............................................................................... 32 
 
7 Anatomia comparada do sistema tegumentar........................................ 45 
 
8. Estruturas músculo-esqueléticas das aves ............................................. 55 
 
Bibliografia ................................................................................................... 60 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 3
2. CONSIDERAÇÕES GERAIS 
 
 A anatomia é um ramo do conhecimento que estuda a forma, a disposição e a estrutura 
dos componentes dos seres vivos. O termo, de origem grega, significa “cortar fora”, por isso, a 
dissecação do cadáver é o meio tradicional de estudá-la, além de primordial. 
Anatomia Macroscópica é o estudo das estruturas que podem ser dissecadas e estudadas a olho 
nu. 
Divisão da anatomia: anatomia especial e anatomia comparada. 
A anatomia especial: é aquela que compreende o estudo de uma única espécie. 
A anatomia comparada: compara uns indivíduos com outros de espécies diferentes e descobre 
as analogias e diferenças de organização existente entre eles. 
 
A anatomia apresenta as seguintes subdivisões: 
 
 
 Osteologia 
 Sindesmologia 
 Miologia 
 Sistemática Neurologia 
 Angiologia 
 Descritiva Esplacnologia 
 Normal Estesiologia 
 
ANATOMIA 
Topográfica 
ou Médico Cirúrgica 
 Regional 
Artística ou 
escultural 
 
 Microscópica 
 
ou 
Histológica 
 
 Patológica 
 Teratológica 
 Desenvolvimento 
 Filogenética 
 
 
 A Anatomia Normal estuda os indivíduos que gozavam de bom estado de saúde, antes 
do abate ou sacrifício e está dividida em Descritiva e Microscópica ou Histológica. 
 
Anatomia Descritiva: é a que estuda sucessivamente, os diferentes órgãos. Descrever um 
órgão é informar o seu nome, sua situação, sua forma, peso, volume, cor, consistência, relações e 
a disposição relativa de suas diferentes partes, quando subdividido. 
 Anatomia Microscópica ou Histológica (geral): estuda as estruturas e seus detalhes 
invisíveis a olho nu com o uso da microscopia óptica e eletrônica. 
 
Anatomia Descritiva: está dividida em sistemática e topográfica ou regional. 
 4
 Anatomia Sistemática: estuda grupos de órgãos que estejam tão estreitamente 
relacionados em suas atividades que constituem os sistemas corpóreos com função comum. Ex. 
sistema muscular, nervoso e circulatório. 
 
O estudo da anatomia sistemática está subdividido nas seguintes partes: 
1) Osteologia: estuda os ossos que compõe o esqueleto. 
2) Sindesmologia: estuda as articulações que são os meios de uniões entre osso. 
3) Miologia: estuda os músculos que são elementos ativos do movimento. 
4) Neurologia: é o estudo do sistema nervoso. Este sistema está subdividido em central e 
periférico. 
5) Angiologia: estuda o coração e vasos (artérias, veias e linfáticos) por onde circula o 
sangue e a linfa encarregados de nutrir e drenar todos os tecidos do corpo. 
6) Esplacnologia ou organologia: estuda as vísceras que compõe os sistemas localizados no 
interior do corpo do animal. Ex.: sistemas respiratório, digestório, urinário, etc. 
7) Estesiologia: estuda os órgãos que se destinam a captação das sensações, como o olho, 
orelha, papilas gustativas, etc. 
 
A pele e seus anexos são estudados no sistema tegumentar. 
 
As glândulas de secreção interna são estudadas no sistema endócrino ou juntamente com 
os sistemas que estão relacionados funcionalmente. Ex. a hipófise no sistema nervoso, o 
testículo no sistema genital masculino, etc. 
 
 Anatomia Topográfica ou Regional: é a que está diretamente envolvida com a forma e 
as relações de todos os órgãos presentes numa região especifica ou parte do corpo dos seres 
vivos. Os conhecimentos da anatomia topográfica são empregados na clínica e cirurgia (médico 
cirúrgica) e nas belas artes (artística ou escultural). 
 
 Anatomia Patológica: estuda as alterações do estado normal dos órgãos quando o animal 
adoece ou seus componentes funcionam mal. 
 
 Anatomia Teratológica: é o que estuda o desenvolvimento anormal, vícios de 
conformação compatíveis ou não com a vida. Ex: animal com duas cabeças. 
 
 Anatomia do Desenvolvimento: estuda as fases pelas quais os organismos passam desde 
a concepção, o nascimento, a juventude, a maturidade até a idade avançada. A embriologia 
estuda o desenvolvimento do indivíduo desde a fecundação do oócito até o nascimento. 
 
 Anatomia Filogenética: é o estudo das transformações da espécie no tempo. Por 
exemplo, o ancestral do cavalo possuía cinco dedos e o atual, apenas um. 
 
 
NOMENCLATURA ANATÔMICA 
 
 Como toda a ciência, a anatomia tem sua linguagem própria. O conjunto de termos 
empregados para designação e descrição de um organismo ou suas partes denomina-se 
nomenclatura anatômica. Foi realizado em Paris, em 1955, um Congresso de Anatomia visando 
uma uniformização internacional da nomenclatura anatômica. Foi escrito em latim com a 
permissão de cada nação traduzi-la para sua língua. 
 5
 Em 1968 foi publicado em Viena, pela Comissão Internacional de Nomenclatura 
Veterinária, sob responsabilidade da Associação Mundial de Anatomistas Veterinários, a 
Nomina Anatômica Veterinária (NAV); essa nomina é periodicamente revista, sendo a quarta em 
1994, e tentaremos usá-la de forma permanente neste trabalho. E escrita em latim e pode ser 
traduzida para a língua do profissional que a emprega, por exemplo, o latim hepar torna-se 
fígado em português, higado em espanhol, liver em inglês, foie em Frances e leber em alemão. 
 
POSIÇÃO ANATÔMICA 
 
 Para evitar o uso de termos diferentes nas descrições anatômicas, considerando-se que a 
posição pode variar, convencionou-se uma posição padrão (posição anatômica). Para os animais 
quadrúpedes, a posição anatômica é aquela em que o animal está com os quatro membros em 
estação (de pé) e alerta. Esta posição é diferente da posição anatômica humana. Quando 
descrevemos um órgão, não interessando se o cadáver está sobre uma mesa, por exemplo, 
sempre temos em mente a posição anatômica. 
 
 
EIXOS DOS CORPOS DOS QUADRÚPEDES: 
 
 São linhas imaginárias traçadas no animal considerando sua inclusão no paralelepípedo. 
Os principais são: 
a) Eixo longitudinal – crânio-caudal – unindo o centro do plano cranial ao centro do 
plano caudal. 
b) Eixo vertical – dorso ventral – unindo o centro do plano dorsal ao centro do plano 
ventral. 
c) Eixo transversal – latero-lateral – unindo o centro do plano lateral direito com o 
centro do plano lateral esquerdo. 
 
PLANOS PARA O CORPO DOS ANIMAIS QUADRUPEDES: 
 
 Plano é uma superfície, real