A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Atividade 03

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 - Assinale a alternativa que não corresponde à discussão acerca da busca do Islamismo disposto no texto A HERMENÊUTICA TEOLÓGICA E O DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO: CRISTIANISMO E ISLAMISMO (de Thiago Luiz Bernardo e Walter Ferreira Salles):
A. 	O povo árabe, tendo contato com os judeus e cristãos, acreditava que estes possuíam uma forma mais aperfeiçoada de se comunicar com o Sagrado do que sua tradição. Diante disso, começam a observar suas práticas e a questionar se havia alguma divindade presente ou não na cultura árabe.
B. 	Entre zombarias de cristãos e judeus, considerados os que adoravam o Deus verdadeiro, único, a ponto de afirmarem que os árabes tinham sido esquecidos dos desígnios de Deus, surgia o questionamento do "porquê" Deus não falava árabe. Isso causava grandes diferenças entre os considerados "lembrados" por Deus, que lhes falou por meio de profetas e pela Escritura, e árabes, os "esquecidos", até o dia 17 do mês do Ramadã, do ano de 610 d.C., quando na cidade de Meca , "Maomé, ao acordar, se percebeu subjugado por uma presença devastadora, que o estreitava firmemente até ele ouvir as primeiras palavras de um novo livro sagrado árabe que saíam de seus próprios lábios. . .
C. 	Os árabes acabaram por experimentar Deus que se revela em sua cultura a partir de Muhammad Ibn Abdallah. Tal revelação feita ao povo árabe por meio do profeta foi transcrita em um livro, o chamado Alcorão, ou Corão (quran = recitação [10]). Esta nascente Religião recebe o nome de Islã, que significa completa e total submissão a Deus, Alá, Deus Uno; e muçulmano é aquele que completamente se rende a Alá.
D. 	Diferente dos judeus e cristãos os islâmicos acreditam em um Deus supremo que ramifica a sua presença por meio de outros Deuses menores.
2 - A título de conhecimento geral, assinale a alternativa aos tópicos que correspondem aos cinco pilares da moral do Islamismo disposto no texto A HERMENÊUTICA TEOLÓGICA E O DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO: CRISTIANISMO E ISLAMISMO (de Thiago Luiz Bernardo e Walter Ferreira Salles).
I - professar a fé em Alá como Deus único, e em Muhhammad, seu Profeta.
II - rezar obrigatoriamente todos os dias, 5 vezes, segundo a tradição .
III - pagar o imposto social ou a contribuição aos pobres, anualmente.
IV - guardar durante todo o mês do Ramadã, do nascer ao pôr do sol, o jejum completo.
A. 	I - Salat; II - Shahada;III - Zakat; IV - Siam.
B. 	I - Shahada; II - Salat; III - Zakat; IV - Siam.
C. 	I - Salat; II - Shahada;III - Siam; IV - Zakat.
D. 	I - Siam; II - Salat; III - Zakat; IV - Shahada.
3 - Assinale a alternativa que não corresponde aos tópicos acerca do Islamismo disposto no texto A HERMENÊUTICA TEOLÓGICA E O DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO: CRISTIANISMO E ISLAMISMO (de Thiago Luiz Bernardo e Walter Ferreira Salles).
A. 	Quando nos referimos ao Islamismo, muitas vezes por influência de um pensamento dominante em determinadas culturas, pode-se cair no risco da obscuridade desta característica tão importante do Islamismo: a luta pela paz.
B. 	Apesar do episódio de 11 de setembro de 2001, o mundo não olha para o Islamismo com uma lente de desconfiança, medo e terror. Mas se recorda que etimologicamente, a palavra Islam está intrinsecamente relacionada com a paz, Salam, e é o primeiro pressuposto que indica esta busca.
C. 	O Alcorão prega uma cultura de antiviolência e respeito, contra a guerra, a fim de salvaguardar a vida, arraigada na ética muçulmana : ". . . quem matar uma pessoa, sem que esta tenha cometido homicídio ou semeado a corrupção na terra, será considerado como se tivesse assassinado toda a humanidade. . ." (Sura 5,32). A esse respeito diz Karen Armstrong: "O Corão não santifica a guerra. Nele, desenvolve-se a noção de uma guerra justa, de autodefesa, que visa proteger os valores decentes, mas condena o ato de matar e a agressão."
D. 	Há que se considerar mais um ponto importante que aproxima o Cristianismo do Islamismo: a busca pela paz que deve ser muito maior que as características próprias de cada tradição, por vezes divergentes. Somente assim, como veremos adiante, seremos capazes de dialogar e lutar por uma ética mundial.
4 - Do texto de Haroldo Heimer (na unidade 25) há a seguinte informação sobre o judaismo:
O TaNaK, enquanto conjunto de textos sagrados do Judaísmo, quer testemunhar primeiramente sobre a existência de um Deus chamado pelo nome de Yahveh ou Jeová, o qual tem uma história de comunicação especial com o povo hebreu.
Assinale a alternativa que não corresponde à proposta reflexiva lançada.
A. 	Deus é testemunhado e afirmado como o criador do universo e da humanidade, conforme indicado no livro de Gênesis. Leis e preceitos morais, alimentares e sexuais estão contidos nos textos do TaNaK.
B. 	As mensagens dos profetas têm aí o seu lugar, ganhando relevância a dimensão ética da denúncia dos abusos e opressões dos mais fortes contra os mais pobres.
C. 	O Deus Yahveh é afirmado como tomando opção preferencial pelo empobrecidos. Há também outras indicações de ordem doutrinária, como por exemplo, o fato de que este Deus não deve ser representado em imagens.
D. 	Deus também é entendido como o Uno e trino, falando-se, por isso, de "monoteísmo trinitário". Os textos também falam da vontade divina de enviar um Messias para salvar a humanidade e criação no tempo oportuno.
5 - Qual informação sobre o cristianismo não corresponde ao disposto no texto de Haroldo Heimer (na unidade 25)
A. 	O Cristianismo é uma expressão religiosa que, historicamente, brotou do Judaísmo. Jesus de Nazaré era judeu. No entanto, os primeiros cristãos eram majoritariamente pagãos que buscavam inspiração nas Escrituras Sagradas judaicas.
B. 	Estas foram assumidas como próprias também deste novo movimento. A estes textos foram agregados os textos do Novo Testamento, os quais ensinam fundamentalmente que Jesus de Nazaré é o Messias prometido nas Escrituras judaicas.
C. 	Jesus é visto como o Salvador que Deus enviou "na plenitude do tempo" para a obra de redenção da humanidade no evento da cruz e da ressurreição. Isso é afirmado como um ato de amor e de gratuidade de Deus por toda a humanidade, ao qual a pessoa pode responder afirmativamente através da fé.
D. 	O Novo Testamento guarda também a memória das palavras do próprio Jesus, bem como as orientações dos primeiros missionários e apóstolos, tais como Paulo e Pedro, Lídia e Priscila. Sobressai o preceito do duplo mandamento do amor como a essência da vivência cristã: amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.
6 - Qual ponto histórico do texto de Rudolf Von Sinner intitulado "Hermenêutica ecumênica para um cristianismo plural Reflexões sobre contextualidade e catolicidade" (unidade 26) é falso?
A. 	A hermenêutica não é um tema novo no movimento ecumênico. Até agora, porém, o que estava em pauta eram principalmente a hermenêutica. Esse problema, constatado com toda a clareza na seqüência da palestra da professora coreana Hyun-Kyung Chung na Assembléia do CMI em Canberra, foi analisado acertadamente por Konrad RAISER,
B. 	O estudo está sendo continuado, aprofundando a questão de "chaves hermenêuticas confessionais" (consulta em Estrasburgo, 2002) e de "símbolos, ritos e práticas" (consulta em Viena, 2004), porém os resultados ainda não foram publicados.
C. 	Faz muito tempo que vem se falando cada vez mais de uma hermenêutica ecumênica, que enfoque a compreensão e o entendimento entre as igrejas da oikoumene. Conflitos que ocorrem nos diálogos ecumênicos fazem com que se pergunte pelo grau legítimo de unidade e diversidade, pelo valor relativo de textos de consenso ou convergência e por uma metodologia ecumênica.
D. 	O estudo sobre a hermenêutica ecumênica que a FO empreende desde 1993 retoma esses questionamentos. Já na década de 70, eles foram objeto de processos de estudo que se estenderam por vários anos. Eles estavam determinados pela abertura para o mundo e pelo reconhecimento do saeculum que haviam sido traçados pelo Concílio Vaticano II e pelo movimento ecumênico, sobre tudo pela Assembléia Geral do CMI realizada em