A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
54 pág.
Resumindo o Tratado de fisiologia médica

Pré-visualização | Página 3 de 22

a formação de 
proteína anormal na célula. 
o Pouco antes da mitose, os dois pares de 
centríolos começam a se separar um do 
outro e formam um complexo de 
microtúbulos, chamado fuso. 
o A prófase é a primeira fase da mitose; 
nela os cromossomos se condensam mais. 
o Na prometáfase, o envelope nuclear é 
fragmentado e as cromátides são 
separadas. 
o Na metáfase, as cromátides são puxadas 
pelos microtúbulos para o próprio centro 
da célula, formando a placa equatorial 
do fuso mitótico. 
o Na anáfase, todos os 46 pares de 
cromátides são separados, formando dois 
conjuntos distintos de 46 cromossomos 
filhos, sendo puxados para os centríolos. 
o Na telófase, o fuso mitótico se dissolve e 
nova membrana nuclear se desenvolve 
ao redor de cada conjunto de 
cromossomos. Forma dois núcleos e a 
célula se divide. 
o Ainda temos o processo de diferenciação 
celular pela repressão seletiva de 
diferentes promotores genéticos. 
o A apoptose é a morte celular 
programada quando a célula representa 
uma ameaça ou não é mais necessária. 
o O câncer é causado por uma mutação 
ou ativação anormal dos genes. 
 
 
 
 
Unidade I 
Waleska - Med IX - UFOB 
Capítulo 4 
O transporte de substâncias 
através das membranas celulares 
 
o O líquido extracelular contém grande 
quantidade de sódio e cloreto, mas uma 
pequena quantidade de potássio. No 
líquido intracelular acontece o oposto. 
o Essas diferenças são muito importantes para 
a vida das células. 
o A bicamada lipídica da membrana não é 
miscível nos líquidos extra e intracelular. 
o A membrana é uma barreira para as 
moléculas de água e de substâncias 
hidrossolúveis dos líquidos intra e 
extracelulares. 
o Mas as substâncias lipossolúveis conseguem 
atravessar (oxigênio, nitrogênio, dióxido de 
carbono e do álcool). 
o Outras substâncias conseguem passar pelas 
proteínas transportadoras ou pelas 
proteínas canais. 
 
Difusão X transporte ativo 
o O transporte através da membrana celular 
acontece ou pelo processo de difusão ou 
pelo transporte ativo. 
o A energia causadora da difusão é a 
energia da movimentação cinética normal 
da matéria. 
o Já o transporte ativo requer uma fonte 
adicional de energia, além da energia 
cinética, já que a substância se move em 
direção oposta ao gradiente de energia. 
Difusão na membrana celular 
- difusão simples: o movimento cinético das 
moléculas ou dos íons ocorre através de 
abertura na membrana ou espaços 
intermoleculares, sem as proteínas 
transportadoras da membrana. 
- difusão facilitada: requer a interação com 
uma proteína transportadora, que ajuda a 
passagem das moléculas e íons por meio 
de ligação química. 
 
E a água? 
o A água é extremamente insolúvel nos 
lipídios da membrana, mas passa com 
facilidade pelos canais das moléculas de 
proteínas que penetram a membrana. 
o Outras moléculas insolúveis podem passar 
pelos canais dos poros das proteínas do 
mesmo modo que as moléculas de água, 
caso sejam hidrossolúveis e suficientemente 
pequenas. 
o É importante saber que o diâmetro do poro 
e sua carga elétrica fornecem seletividade 
que permite a passagem de somente 
algumas moléculas. 
o Aquaporinas, por exemplo, são canais que 
permitem apenas a passagem de água. 
Seu poro é muito estreito para permitir a 
passagem de qualquer outro íon hidratado. 
 
Proteínas canais 
o São seletivamente permeáveis a certas 
substâncias. 
o Alguns canais podem ser abertos ou 
fechados por comportas reguladas por 
sinais elétricos ou químicos, sendo canais 
dependentes de voltagem ou canais 
dependentes de ligantes. 
o Canais de potássio permitem a passagem 
de íons potássio através de um 
mecanismo em que quando íons potássio 
hidratado entram, eles interajam com os 
oxigênios carbonílicos numa espécie de 
filtro de seletividade e percam a maioria 
das suas moléculas de água ligadas, 
permitindo a passagem dos íons potássio 
desidratados pelo canal. 
o O canal de sódio apresenta uma 
superfície interna com forte carga 
negativa, capaz de puxar os íons sódio 
desidratados para dentro desses canais. 
o Voltagem: a conformação molecular do 
canal ou das suas ligações químicas 
reage ao potencial elétrico através da 
membrana celular. 
o Assim, se houver carga negativa muito 
forte no lado interno da membrana, não 
há entrada de sódio, por exemplo, porque 
deixaria ainda mais negativo. 
o Ligantes: Dependem da ligação de 
substâncias químicas (ou ligante) com a 
proteína; isso causa alteração 
conformacional. Um exemplo é o canal 
de acetilcolina. 
 
Difusão facilitada 
 Nesse tipo, a substância se difunde 
usando uma proteína transportadora 
específica para auxiliar. 
Unidade II 
Waleska - Med IX - UFOB 
 A molécula a ser transportada entra no 
poro e se liga; ocorre uma alteração 
química ou conformacional na proteína 
transportadora de forma que o poro 
agora se abre para o lado oposto da 
membrana. 
 A glicose e a maioria dos aminoácidos 
utilizam esse mecanismo. 
 
Velocidade da difusão 
o A velocidade com que a substância vai se 
difundir para o lado interno é proporcional 
à concentração das moléculas no lado 
externo. 
o A velocidade com que as moléculas se 
difundem para o lado externo é 
proporcional à sua concentração no lado 
interno da membrana. 
o A pressão também exerce influência; Maior 
de energia disponível para causar o 
movimento efetivo das moléculas do lado 
de alta pressão (mais moléculas se 
chocando) para o lado de menor pressão. 
 
Osmose 
o Ocorre quando existe um movimento 
efetivo de água através da membrana 
celular, fazendo com que a célula incha ou 
encolha, dependendo da direção do 
movimento da água. 
o Resumidamente, a água tende a sair do 
meio com menos soluto para o meio com 
mais soluto. 
o A quantidade exata de pressão necessária 
para interromper a osmose é conhecida 
como pressão osmótica. 
 
Transporte ativo 
o Vai contra um gradiente, seja de pressão, 
de concentração ou de energia. 
o Transporte ativo primário: a energia é 
derivada da degradação do ATP ou de 
qualquer outro composto de fosfato com 
alta energia. 
o Transporte ativo secundário: a energia é 
derivada da energia armazenada na forma 
de diferentes concentrações iônicas de 
substâncias moleculares secundárias ou 
iônicas entre os dois lados da membrana 
da célula (cotransporte). 
o O transporte ativo depende de proteínas 
transportadoras, assim como a difusão 
facilitada. 
Bomba de sódio-potássio 
o Bombeia íons sódio para fora e íons 
potássio para dentro. 
o Responsável pelo estabelecimento da 
voltagem elétrica negativa dentro das 
células. 
o A proteína transportadora é um complexo 
de duas proteínas globulares: a subunidade 
alfa e a subunidade beta. 
o A subunidade alfa tem 3 locais receptores 
para Na+ e 2 locais receptores para K+. 
o Quando dois K+ se ligam à parte externa 
da proteína transportadora e três Na+ se 
ligam à parte interna, a função de ATPase 
da proteína é ativada.  Gasto de ATP 
o Ajuda a manter o volume celular 
controlado. 
o Caso a célula comece a inchar, ativa a 
bomba de Na+-K+, transferindo ainda mais 
íons para fora da célula e, carregando mais 
água com eles. 
 
Bomba de cálcio 
o Mantém concentração extremamente 
baixa do cálcio no citosol intracelular. 
o Duas bombas: Uma na membrana celular, 
transportando cálcio para o exterior. A 
outra bombeia o cálcio para dentro de 
organelas vesiculares intracelulares da 
célula, como mitocôndrias ou retículo 
sarcoplasmático (nos músculos). 
 
Transporte ativo de hidrogênio 
o Importante nas glândulas gástricas do 
estômago e nos túbulos distais finais e nos 
ductos coletores corticais dos rins. 
 
Cotransporte de Glicose e sódio 
o Quando ambos estão ligados, a alteração 
conformacional se dá de forma 
automática, com o sódio e a glicose 
sendo transportados para o interior da 
célula. 
o O processo