Direito_Societario_Apostila
68 pág.

Direito_Societario_Apostila

Pré-visualização19 páginas
___________________________________________________________________ 
*Apostila elaborada por Denis Domingues Hermida, sendo proibida a sua 
reprodução sem a indicação de sua fonte, bem como a sua utilização por aqueles que 
não façam parte do corpo discente das instituições de ensino das quais é professor o 
autor desta apostila. Para realização do download dessa apostila acesse 
www.denishermida.com.br. 
 
1 
DIREITO EMPRESARIAL II 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
DIREITO SOCIETÁRIO 1 
 
Apostila elaborada por Denis Domingues Hermida para servir de material 
de apoio aos alunos da cadeira \u201cDireito Empresarial\u201d 
 
 
 
 
 
 
* O conteúdo da presente apostila não afasta a necessidade de leitura, pelo 
aluno, da bibliografia básica sobre os termos abordados em aula e que 
fazem parte do conteúdo programático do curso, devendo esta apostila 
servir tão somente como uma forma de apoio no desenvolvimento dos 
estudos e pesquisas necessários ao aproveitamento do curso. Não se afasta, 
também, a existência de entendimentos diversos dos constantes nessa 
apostila. 
 
* As interpretações apresentadas nesta apostila podem conflitar com 
interpretações adotadas por outros autores. 
 
* A presente apostila pode conter erros de digitação, o que impõe o seu 
conflito com os textos legais. 
 
1
 Na elaboração deste resumo constam informações das seguintes obras : \u201cCurso de Direito Comercial\u201d de 
Rubens Requião (São Paulo:Editora Saraiva, 25a edição revista e atualizada, 2003), \u201cDireito de Empresa 
no Novo Código Civil\u201d de Láudio Camargo Fabretti (São Paulo: Editora Atlas, 2003), \u201cCurso de Direito 
Comercial\u201d de Fábio Ulhoa Coelho (São Paulo: Editora Saraiva, 2004, 8a edição, revista e atualizada), 
\u201cNovo Código Civil Comentado\u201d sob coordenação de Ricardo Fiúza (São Paulo : Saraiva, 1a edição, 10a 
tiragem, 2003) 
___________________________________________________________________ 
*Apostila elaborada por Denis Domingues Hermida, sendo proibida a sua 
reprodução sem a indicação de sua fonte, bem como a sua utilização por aqueles que 
não façam parte do corpo discente das instituições de ensino das quais é professor o 
autor desta apostila. Para realização do download dessa apostila acesse 
www.denishermida.com.br. 
 
2 
 I \u2013 O CONCEITO DE SOCIEDADE 
 
- a atividade econômica empresarial pode ser exercida pelo empresário 
solitariamente (que é denominado \u201cempresário individual\u201d ou \u201cempresário em 
firma individual\u201d) ou através de sociedades empresárias. 
 
 
a)O conceito de sociedade em contraposição ao conceito de associação 
 
 
- Rubens Requião aponta que o código comercial de 1850 não definiu sociedade 
comercial. Já o antigo código civil (de 1916) conceituava genericamente, no seu 
artigo 1.363, que \u201ccelebram contrato de sociedade as pessoas que mutuamente se 
obrigam a combinar seus esforços ou recursos, para lograr fins comuns\u201d 
 
 
- Importante é que se destaque que o código civil de 1916 não fazia distinção 
entre sociedade e associação, mesmo porque, a Seção III do Capítulo II de seu 
livro I é intitulada como \u201cDas Sociedades ou Associações civis\u201d, utilizando esses 
dois vocábulos como sinônimos 
 
 
- Se de um lado o termo genérico \u201csociedade\u201d nos remete invariavelmente para a 
existência de união de esforços de um grupo de pessoas para a realização e um 
fim comum, de outro lado temos que o termo \u201csociedade\u201d é utilizado pelo atual 
código civil com um significado específico, significado esse que deve ser 
compreendido frente à diferenciação com o instituto da \u201cassociação\u201d. 
 
- Fazer a comparação entre \u201csociedade\u201d e \u201cassociação\u201d no código civil de 2002 é 
proceder a análise conjunta do constante dos seus artigos 53 e 981, que abaixo 
transcrevemos: 
 
 
\u201cArt. 53. Constituem-se as associações pela união de 
pessoas que se organizem para fins não econômicos.\u201d 
 
\u201cArt. 981. Celebram contrato de sociedade as pessoas 
que reciprocamente se obrigam a contribuir, com 
bens ou serviços, para o exercício de atividade 
econômica e a partilha, entre si, dos resultados\u201d 
 
 
___________________________________________________________________ 
*Apostila elaborada por Denis Domingues Hermida, sendo proibida a sua 
reprodução sem a indicação de sua fonte, bem como a sua utilização por aqueles que 
não façam parte do corpo discente das instituições de ensino das quais é professor o 
autor desta apostila. Para realização do download dessa apostila acesse 
www.denishermida.com.br. 
 
3 
- Da leitura dos artigos acima transcritos, resta claro que a formação e 
funcionamento da sociedade e da associação estão baseados na união de esforços 
entre pessoas para a realização de um fim comum. No entanto, enquanto na 
associação esse fim é \u201cnão econômico\u201d (isto é, não objetiva lucro, não objetiva 
\u201cganhar dinheiro para ser dividido entre os sócios\u201d mas, sim, fins filantrópicos, 
culturais, sociais, políticos ou de qualquer outro gênero), na sociedade o fim da 
união de esforços entre as pessoas é \u201ceconômico\u201d (isto é, a aquisição de lucro 
para ser repartido entre todos os sócios). 
 
 
- Sociedade é, assim, para o atual código civil, a agregação de pessoas que 
possuem um objetivo em comum e se reúnem (contribuindo com bens ou 
serviços) para consegui-lo com menor dificuldade, objetivando um conteúdo 
econômico. 
 
 
b)Espécies de sociedade 
 
 
- As sociedades previstas no direito civil podem ser qualificadas de acordo com 
a atividade econômica que desenvolvem, surgindo, a partir daí, 2(duas) 
categorias de sociedade: as sociedades simples e as sociedades empresárias. 
 
- Como \u201csociedades\u201d, ambas as categorias se enquadram na descrição abstrata do 
artigo 981 do Código Civil, isto é, ambas são reuniões de pessoas com o objetivo 
de, contribuindo com bens ou serviços, realizarem uma atividade econômica, isto 
é, obter lucro através da realização de uma atividade econômica. 
 
- O que diferencia essas duas categorias é a atividade econômica que exercem. 
Faremos a diferenciação entre sociedades simples e sociedades empresárias 
conceituando esta última. 
 
- Sociedade empresária é a espécie de sociedade que explora uma atividade de 
empresa, isto é, que tem como objeto o exercício de atividade própria de 
empresário. 
 
- Lembremos que o artigo 966 considera empresário quem exerce 
profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou circulação 
de bens ou de serviços, excluindo, em seu parágrafo único, da condição de 
empresário quem exerce profissão intelectual, de natureza científica ou artística, 
com ou sem auxiliares ou colaboradores (salvo se o exercício da profissão 
constituir elemento de empresa). 
___________________________________________________________________ 
*Apostila elaborada por Denis Domingues Hermida, sendo proibida a sua 
reprodução sem a indicação de sua fonte, bem como a sua utilização por aqueles que 
não façam parte do corpo discente das instituições de ensino das quais é professor o 
autor desta apostila. Para realização do download dessa apostila acesse 
www.denishermida.com.br. 
 
4 
- Incluem-se como sociedade empresária, independentemente de exercerem ou 
não atividade empresarial, as sociedades anônimas, por expressa disposição do 
parágrafo único do artigo 982 do Código Civil (\u201cIndependentemente de seu 
objeto, considera-se empresária a sociedade por ações; e, simples, a 
cooperativa\u201d). 
 
 
- Dessa forma, sociedade empresária é aquela que exerce atividade 
econômica de produção ou circulação de bens ou de serviços, atividade essa 
que não seja o exercício de profissão intelectual, de natureza científica, 
literária ou artística que não seja elemento de empresa. Por disposição legal 
(artigo 982 do CC), toda sociedade anônima,