A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
RIBOSSOMOS

Pré-visualização | Página 1 de 1

RIBOSSOMOS
Ribossomos são estruturas celulares, presentes em células procarióticas e eucarióticas, responsáveis pela síntese de proteínas. Essas estruturas são formadas por duas subunidades, um maior e uma menor, constituídas por moléculas de RNA (ácido ribonucleico) e proteínas.
As células podem apresentar dois tipos de ribossomos, os ligados e os livres. Apresentaremos aqui um pouco mais sobre essa organela, sua estrutura, classificação e sua importância, descrevendo brevemente o processo de síntese de proteínas.
O que são os ribossomos?
Os ribossomos são constituídos por duas subunidades que se unem no processo de síntese proteica.
Os ribossomos são estruturas celulares constituídas por RNAr (RNA ribossômico) e proteínas. Essas estruturas são pequenas, apresentando cerca de 12 nm de largura e 25 nm de comprimento, e formadas por duas subunidades, uma maior e uma menor. Essas subunidades encontram-se separadas, unindo-se apenas durante o processo de síntese proteica. Pelo fato de não apresentarem membranas, alguns autores não consideram essa estrutura como uma organela.
Os ribossomos são as estruturas responsáveis pelo processo de síntese proteica. Eles estão presentes em células procarióticas e eucarióticas, sendo encontrados em maior quantidade em células nas quais há uma intensa síntese de proteínas. Embora sejam bastante semelhantes, os ribossomos em células eucariontes são maiores do que os procariontes, são sintetizados no nucléolo e depois transferidos ao citoplasma.
Veja também: Tipos de RNA: quais são e como funcionam?
Estrutura e função dos ribossomos
Os ribossomos possuem duas subunidades, uma maior e uma menor, constituídas por cerca de quatro tipos de RNAr e 80 tipos de proteínas. Os ribossomos podem associar-se a uma fita de RNAm e formar grupos denominados de polirribossomos. Acredita-se que o RNAr seja o principal responsável por sua estrutura e função. O RNAr é responsável pela catalização do processo de síntese proteica, atuando aqui como uma ribozima (enzimas de ácidos nucleicos).
A associação de ribossomos a uma molécula de RNAm forma os polirribossomos.
Os ribossomos são as estruturas responsáveis pela síntese de proteínas e apresentam em suas estruturas três sítios de ligação para o RNAt (RNA transportador, responsável pelo transporte dos aminoácidos que irão formar a proteína, do citoplasma para os ribossomos), como veremos a seguir:
· Sítio P: nele a molécula de RNAt está ligada à cadeia polipeptídica que está sendo formada;
· Sítio A: nele se encontra o RNAt que carrega o próximo aminoácido a ser adicionado na cadeia polipeptídica;
· Sítio E:  após deixar o aminoácido que será adicionado na cadeia polipeptídica, é nesse local que o RNAt deixa o ribossomo.
Leia também: Mitocôndrias: o que são, funções, origem
Tipos de ribossomos
As células podem apresentar dois tipos de ribossomos:
· Ribossomos livres: encontram-se dispersos no citosol, e as proteínas produzidas por eles atuarão dentro do citosol;
· Ribossomos ligados: encontram-se presos ao retículo endoplasmático e ao envelope nuclear, sendo que suas proteínas poderão ser inseridas em membranas para serem utilizadas por alguma organela ou então secretadas para o exterior da célula.
Ribossomos e a síntese de proteínas
A síntese proteica é o processo de produção de proteínas e ocorre nos ribossomos, tanto de células procariontes quanto eucariontes. Para que ela ocorra, a informação contida no DNA (ácido desoxirribonucleico) da célula é passada para o RNA, num processo denominado de transcrição, em seguida, essa informação vai ser traduzida na formação de proteínas (Dogma Geral da Biologia Molecular).
A síntese ocorre por meio do processo denominado de tradução, em que a informação presente no RNAm será traduzida numa sequência de aminoácidos, que dará origem a um polipeptídeo (proteína). Como dito, esse processo ocorre nos ribossomos. As duas subunidades do ribossomo associam-se com o RNAm e RNAt, dando início à síntese. 
Durante a síntese, o RNAm vai sendo deslocado pelo ribossomo, enquanto o RNAt  traduz cada série de códons (trincas de nucleotídeos) presentes no RNAm em um aminoácido. A síntese encerra-se quando se encontra um códon de término, que é uma trinca que indica o fim do processo de tradução. O polipeptídio produzido é então liberado, e as duas subunidades do ribossomo separam-se. Para saber mais sobre esse processo, acesse o nosso texto: Síntese proteica.