A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Principais Diferenças de Práticas Contábeis

Pré-visualização | Página 1 de 1

Práticas Contábeis 
de 
 
 Os mercados de capitais mais relevantes acabam por solicitar o IFRS, exceto: 
+ EUA: Permitido para empresas não norte-americanas que estão listadas 
na bolsa para se utilizar o IFRS. 
+ JAPÃO: Adoção voluntária é permitida, mudar a minha prática contábil 
para o que eu penso o que é melhor, trocar a minha prática para a 
prática do IFRS. Mas acaba não tendo uma data mandatória para 
estabelecer transição. 
+ CHINA: Vem fazendo adaptações nos padrões contábeis locais, por isso 
são geralmente consistentes com o IFRS. 
 
A comissão de Valores Mobiliários dos Estados unidos (SEC), não tem a intenção 
de tornar obrigatório o IFRS para todas as empresas listadas em bolsas nos 
EUA. No entanto, a SEC encoraja o FASB e IASB para trabalhar em conjunto 
para eliminar as diferenças em prol dos melhores interesses do mercado de 
capitais. 
O IFRS afeta os negócios norte-americanos em várias formas; 
+ Fusão e aquisição 
+ Acionistas estrangeiros 
+ Subsidiárias. 
O primeiro e relevante projeto de convergência entre o IASB 
e o FASB ocorreu por meio da norma de reconhecimento de 
receita, que foi denominada de IFRS 15. O referido documento 
foi emitido em maio de 2014 e teve as seguintes previsões de 
adoções: 
+ IfRS 2018 para todas as empresas 
+ USA GAAP 2018 para as companhias abertas e 2019 
para as companhias fechadas. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
As diferenças de práticas contábeis a seguir foram 
selecionadas de forma internacional e para fins didáticos, por 
tanto, não se trata de uma lista completa das diferenças entre 
o US GAAP e IFRS. 
Teste de redução ao valor recuperável de ativos: 
US GAAP 
Se compara o valor contábil com o fluxo de caixa não descontado, e a referida 
análise ocorre em dois passos que são: 
+ Se o valor contábil não for superior ao valor do fluxo de caixa não 
descontado, talvez seja necessário revisar apenas a depreciação 
+ Se o valor contábil for superior ao valor do fluxo de caixa não descontado, 
a provisão para perda deve ser calculada pela diferença entre o valor 
contábil e o valor justo. 
O valor justo é o preço de venda entre os participantes do mercado, em condições 
normais. 
As mudanças na taxa de juros não é um indicador de perda. 
A reversão da provisão para perda é proibida. 
Se aplica aos ativos mobiliados e intangíveis e ao good will é o OAGIU. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Teste de redução ao valor recuperável de ativos: 
IFRS 
Se compara o valor contábil com o valor recuperável para terminar se existe perda ou não 
a ser contabilizada. 
O valor recuperável é maior valor entre o valor justo líquido da despesa com venda e o 
valor em uso. 
O valor justo do preço de venda entre os participantes do mercado, em condições normais. 
As despesas com vendas podem ser os tributos, gastos com remoção do ativo e gastos 
para deixar o ativo em condições de venda. 
O valor em uso representa o fluxo de caixa descontados antes dos impostos. 
As mudanças na taxa de juros podem ser um indicador de perda. 
 
Valor contábil – Base de valor 
US GAAP 
Utiliza o custo histórico com base de valor. 
Proíbe a reavaliação, exceto para certas categorias de 
instrumentos financeiros que podem ser valorizados pelo 
valor justo. 
Valor contábil – Base de valor 
IFRS 
Utiliza o custo histórico com base de valor. 
Permite a reavaliação de alguns ativos intangíveis, ativos 
permanentes, investimentos em propriedades, e estoques de 
certas indústrias. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Intangível gerado indiretamente 
US GAAP 
Os gastos com pesquisa e desenvolvimento são conhecidos 
como despesas, e com raras exceções podem ser ativadas. 
O US GAAP o Japão é semelhante. 
Reconhecimento de provisão 
US GAAP 
Em geral as regras são similares, exceto pela definição de provável 
que na prática se considera a probabilidade desse evento ocorrer, 
seja maior do que 75%. 
Reconhecimento de provisão 
IFRS 
O termo provável é usado para descrever a probabilidade de 
desembolso denota a chance de um evento ocorrer é maior do 
que 50%. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Intangível gerado indiretamente 
IFRS 
Os gastos com pesquisa são reconhecidos como despesas, e os 
gastos com desenvolvimento podem ser ativados se cumprirem 6 
critérios, que são: 
+ Viabilidade técnica para concluir. 
+ Intenção de concluir e de usá-lo ou vende-lo. 
+ Capacidade para usar ou vender 
+ Forma como deve gerar benefícios econômicos futuros. 
+ Disponibilidade de recursos para concluir. 
+ Capacidade de mensurar com confiabilidade os gastos 
atribuíveis. 
Depreciação 
US GAAP 
Geralmente não é requerido a abordagem por componente para 
fins de depreciação. 
Apesar de esperado, não existe uma regra especifica que 
determine a revisão anual da vida útil dos ativos fixos. 
Depreciação 
IFRSS 
Requerido quando os componentes de um ativo fixo tenham vida 
útil diferentes, eles sejam identificados e depreciados 
separadamente. 
É obrigatório a revisão anual da vista útil dos ativos fixos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Desvio da prática contábil 
US GAAP 
Semelhante ao IFRS, mas na prática o desvio não é utilizado. 
Americanos gostam de seguir as regras. 
Desvio de prática contábil 
IFRS 
Em casos raros, as empresas não devem aplicar determinada 
prática contábil, quando isso for imprescindível para que as 
demonstrações contábeis sejam apresentadas adequadamente. 
 
Estoque 
US GAAP 
O UEPS (último custo que entre é o que sai primeiro) é permitido 
As reversões de perdas são proibidas. 
Estoque 
IFRS 
O UEPS não é permitido. 
As reversões de perdas são permitidas. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Divulgação da informação contábil 
US GAAP 
Na norma não é requerido informação comparativa, entretanto as 
exigências da SEC (Comissão de valores mobiliários) exigem dois anos 
de informações comparativas, exceto para o balanço patrimonial, 
que requer um ano de informação comparativa. 
Divulgação da informação contábil 
IFRS 
É requerido um ano de informação comparativa para todas as 
informações monetárias das demonstrações contábeis.