A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Replicação do DNA - @Laravet studies

Pré-visualização | Página 1 de 1

Replicação do DNA 
O que é? 
A replicação é um processo genético que permite a 
autoduplicação das informações contidas nos 
cromossomos, é a formação de células filhas com o 
mesmo número cromossômico, sendo caraterizada 
como semiconservativa. 
Semiconservativa: 
Semiconversativa é uma duplicação e representa o 
fenômeno que resulta a reprodução de sua molécula, 
que é a molécula de DNA, e em uma das moléculas 
recém formadas conserva uma das cadeias, um dos 
filamentos de polinucleotídeos, precedente da 
molécula mãe, produzindo uma nova cadeia 
complementar a que lhe serviu de molde. 
 
Replicação: 
A sua replicação começa na fase S da interfase, 
essa fase só é ativada quando as proteínas CDK2 
mais a Ciclina G1 se associam formando o complexo 
SPF, iniciando assim, a fase S. 
 
 + = 
 
 
Complexo de Replicação: 
O complexo SPF aciona as origens de replicação 
dispostas na dupla hélice, as ORCs por sua vez 
interage com as enzimas CDC6P e com as MCM 
formando então o complexo de replicação, que até 
consegue abrir a fita, mas não consegue manter a 
fita aberta por muito tempo 
A partir disso o exército de SSB vem para ajudar a 
segurar a fita, e forma a bolha de replicação. 
 
 
 
Bolha de replicação: 
A bolha de replicação foi formada e ela permite que 
a enzima de DNA helicase entre e quebre as pontes 
de hidrogênio entre as bases nitrogenadas, 
começando nos locais onde as ligações entre timina 
e adenina estão em maior quantidade (por possuírem 
somente duas ligações de hidrogênio a sua quebra se 
torna mais fácil). 
 
 
 
 
 
 
 
 
DNA Helicase: 
O DNA helicase caminha sobre as fitas, expondo as 
bases para um novo pareamento, o complexo de 
replicação não é mais precioso então ocorre a sua 
degradação. 
 
Topoisomerase: 
A topoisomerase I age sobre a fita diminuindo o 
extresse topológico que é gerado quando a fita está 
se separando. 
 
 + + = 
= 
A 
 
T 
@Laravet.Studies 
Sintetização da fita de DNA: 
Após a separação das fitas a DNA primase adiciona 
uma sequência de 10 nucleotídeos de RNA, chamado 
primer, ele vai direcionar a DNA polimerase III para 
qual direção ela deve seguir, o sentido sempre será 
da extremidade 3’ para a extremidade 5’, 
denominado de sentido da vida. 
 
Fila Líder: 
A fita em que o sentido é d 3’ para 5’, é chamada 
de fita líder, serve de molde para a DNA polimerase 
III parear nucleotídeos e formar uma fita única ou 
seja nova que seja sempre contínua, sem que aja 
quebra. 
 
Fila Atrasada: 
Quando o caminho é inverso da extremidade 5’ para 
3’ a fita é denominada atrasada, aqui o processo de 
replicação é mais complexo, a DNA polimerase III vai 
precisar de uma ajuda para montar a fita única, 
essas ajudas são os fragmentos de okazaki, 
fragmentos soltos de DNA que direcionam a DNA 
polimerase III a continuar a síntese. 
 O primer precisa ser removido, então vem a 
enzima exonuclease que o identifica e o remove, 
 
 
 
 
 
 
A DNA polimerase I por sua vez pareia uma 
nova sequência de nucleotídeos no lugar do 
primer e a DNA ligase passa sobre a fita nova 
fazendo a aderência dos fragmentos de okazaki 
e reforço das ligações fosfodiéster, para que 
não aja quebra e todo esse trabalho seja 
perdido. 
 
 
Telômeros: 
A fita atrasada não terá substituição devido a falta 
de hidroxila, surge então a enzima telomerase que 
irá replicar os telômeros impedindo que fiquem em 
tamanho reduzido, o telômeros surgem quando não 
possui mais fragmentos de okazaki para serem 
pareados, assim os telômeros produzem o que falta 
para essa pareação, realizando a duplicação 
corretamente. Quando não tem molde para compor a 
fita a telômerase também produz o que falta para 
realizar a duplicação corretamente. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
= 
@Laravet.Studies 
Danos e Reparos 
durante a replicação do DNA 
Danos: 
Pode ocorrer alguns danos em uma única fita ou na 
fita nova tais como a: 
 
Despurinização: que é o desprendimento 
ou a quebra de uma purina seja ela adenina ou 
guanina; 
 
 
 
 
 
 
 
Desaminação: perda da substância amina, no 
caso a adenina torna-se hipoxantina e a citosina vira 
uracila; 
 
 
 
 
 
 
Raios UV: que causa a ligação de duas bases 
pirimídicas, mais comum ocorrer com a timina que 
fica timina ligada com timina. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Reparos: 
A equipe de reparo que são a enzima endonuclease 
que reconhece e remove o dano, a enzima DNA 
polimerase I sintetiza uma sequência de nucleotídeos 
e a polinucleotídeo-ligase adere esses novos 
nucleotídeos á fita. 
Um modo de reparar alguns dos danos da dupla 
hélice é pela união das extremidades não homologas. 
 
Não homologas: que é o DNA polimerase I 
reparando o dano e o DNA ligase aderindo os 
nucleotídeos, porém esse tipo de reparo pode 
acarretar em mutação, perder um braço inteiro do 
cromossomo ou até mesmo pode causar um câncer. 
 
 
 
 
 
 
Recombinação Homologa: é a utilização 
de uma cromátide irmã para reparar o dano, ocorre 
a quebra da fita de dupla hélice, por exemplo, a 
nucleasse digere a extremidade 5’, o DNA homologo 
invade a fita e sintetiza o DNA, que se liga as 
partes que não se quebraram, este modo não causa 
mutação na maior parte das vezes, ao contrário da 
recombinação não homologa . 
 
 5’ 3’ 
 3’ 5’ 
T T G 
C 
A 
A C 
G 
T T G 
A A C 
C 
G 
H 
U 
T T G C 
G C T T 
@Laravet.Studies