A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
controle da circulação

Pré-visualização | Página 1 de 1

​ controle da circulação 
Função circulatória​: capacidade de cada tecido de             
controlar seu fluxo. 
● O fluxo é variável entre os diferentes órgãos; 
● O fluxo é mantido no nível mínimo para manter                 
a necessidade dos tecidos; 
● O tecido quase nunca passa por deficiência             
nutricional, mesmo com o coração em níveis             
mínimos. 
●  
 ​ SISTEMA CARDIOVASCULAR 
-responsável por ​transportar o oxigênio por todo o               
nosso corpo, além de nutrientes​, para que as células                 
produzam energia, ​recolher os resíduos metabólicos           
produzidos pelas células e transportá-los aos destinos             
onde eles vão ser eliminados( gás carbônico e outros).                 
Regulador da temperatura corporal e ​defesa do             
organismo. 
 
 ​ ​ ​MICROCIRCULAÇÃO   
-Nela ocorre a principal função do sistema             
circulatório, o transporte de nutrientes para os             
tecidos e a remoção dos produtos excretados pela               
célula. 
ARTERÍOLAS: controlam o fluxo sanguíneo para cada             
tecido, são muito musculares, podendo alterar o seu               
diâmetro. 
METARTERÍOLA​: não possuem revestimento       
muscular contínuo, mas estão em volta dos vasos em                 
pontos intermitentes, formando os esfíncteres         
pré-capilares. 
CAPILARES: responsáveis pelas trocas de         
substâncias. Há poros que comunicam o interior dos               
capilares com o exterior, facilitando a passagem de               
substâncias. 
VÊNULAS​: são maiores que as arteríolas e tem               
revestimento muscular muito fraco. Mas a sua             
pressão é menor podendo se contrair de forma               
considerável. 
 
FLUXO DO SANGUE NOS       
CAPILARES-VASOMOTILIDADE 
O sangue não flui de modo contínuo pelos capilares,                 
mas é intermitente podendo ser interrompido a cada               
segundo, graças a ​vasomotilidade​, que é a contração               
intermitente das metarteríolas e dos esfíncteres           
pré-capilares. Sua regulação é dada pela concentração             
de oxigênio. 
 ​ ​CONTROLE LOCAL DA CIRCULAÇÃO 
Cada tecido do organismo é capaz de controlar o seu                   
próprio fluxo sanguíneo, dependendo das suas           
necessidades metabólicas. 
-Papel das arteríolas e metarteríolas; 
-Tecidos vitais ao organismo recebem maior           
quantidade de sangue; 
-O fluxo sanguíneo do tecido é mantido no mínimo                 
possível, para que os tecidos não passem por               
deficiência; 
Controle Agudo: vasoconstrição(palidez) e       
vasodilatação(rubor), estimulado pela demanda, teoria         
da vasodilatação e falta de oxigênio ou nutrientes. 
Controle a longo prazo​: Redefinição dos padrões, é               
estimulado pela alteração da irrigação e das             
dimensões físicas. 
Autorregulação​: Aumento da pressão causa o aumento             
do fluxo. ​Teoria metabólica​, aumento de nutrientes, e               
teoria miogênica​, estiramento muscular. 
Hiperemia ativa​: aumento do fluxo com o aumento da                 
necessidade. 
Hiperemia reativa​:aumento do fluxo após a obstrução. 
Derivados do endotélio​: Óxido nítrico e endotelina. 
 
 ​CONTROLE HORMONAL 
Agentes vasoconstritores​: adrenalina (dilatação) e         
noradrenalina (constrição) luta ou fuga, angiotensina ​II             
(dilatação) e vasopressina ADH (retém líquido). 
 
 ​REGULAÇÃO NEURAL 
Sistema nervoso autônomo​:  
Simpático​, regula a circulação através de alterações             
nos vasos (noradrenalina), vasoconstrição; 
Parassimpático​, regulação da função cardíaca (Óxido           
nítrico → guanilato-ciclase).