A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Racionalismo Dogmátic ou Normativismo Jurídico - Teoria Pura do Direito - Kelsen

Pré-visualização | Página 1 de 1

Racionalismo Dogmático
ou
Normativismo Jurídico
Baseado nas Teorias de Hans Kelsen
Racionalismo Dogmático ou Normativismo Jurídico
 É a crença na possibilidade de se criar um sistema de justiça perfeito.
Se opõe ao empirismo jurídico, pois precisa ser baseado em fatos.
 Significa “muitas normas dentro de um mesmo ordenamento jurídico”.
Esta corrente defende que o objeto do Direito deveria ser interpretado com pureza metódica, ou seja, como ele é, e não como deveria ser. Deve haver uma separação completa de tudo o que não for jurídico, e assim, restaria apenas a norma.
René Descartes 
Platão
Hans Kelsen
Hans Kelsen nasceu em Praga no ano de 1881 e veio a falecer no ano de 1973 na Califórnia.
Kelsen foi jurista e filósofo do século XX. 
Pai da teoria pura do Direito. 
A teoria Kelseniana atribui para si muitas críticas, mas foi ela que fez nascer a ciência do Direito e o dinamizou nos vários âmbitos de atuação.
A Teoria
A Teoria Pura de Hans Kelsen tem como objetivo o estudo exclusivo do seu próprio objeto, a qual o fez levantar uma importante questão: “o que é o Direito?” 
Para criar a sua, Hans Kelsen confronta diretamente duas teorias: 
O Direito Natural, não somente o conhecido de natureza teológica, mas também o da chamada escola histórica do direito de renomados autores.
O chamado Pseudopositivismo, isto é, autores que procuram fazer críticas ao jusnaturalismo, em função de um pensamento juspositivista que, na visão de Hans Kelsen, não se revelava virtuoso.
A teoria pura do direito apresenta quatro pontos metodológicos: 
 O primeiro: A teoria do direito deriva de atos humanístico.
O segundo: Kelsen afirma que não existe uma moral única e nem uma estrutura de valores únicos.
O terceiro: Fala sobre os fatos do ser e do dever ser, usando esses indicadores como classe de confronto. O Ser como conceito integrante de descrição de fatos, e o dever ser um conceito da própria discrição da norma jurídica.
O quarto: Apresenta a teoria da objetividade da ciência do direito. 
A Norma 
Hans Kelsen alcançou um positivismo jurídico radical que concebe o direito como ordenamento normativo. 
Distinguiu a ciência jurídica de todas as outras ciências, como por exemplo a sociologia e a filosofia. 
Ao separar esses conceitos externos, Hans Kelsen formula sua teoria pura, que desta procede a formalização do sistema: a norma jurídica.
Pirâmide de Kelsen
É uma pirâmide estática e dinâmica ao mesmo tempo. 
Hans Kelsen separa o direito de outras ciências no intuito de que essas ciências não influenciassem no direito.
A dinâmica Kelseniana reuniu as normas jurídicas, que validavam um determinado enunciado jurídico, em que o direito emanasse dele de forma concreta, estudando a relação com a norma fundamental e a estrutura escalonada.
Por fim, a visão revolucionária da época de Hans Kelsen alterou a cronologia e a metodologia do que hoje conhecemos como ciência do Direito. Foi ele quem propôs as primeiras transformações do conceito do Direito.
   
Conclusão