A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Sistema Linfático - @Larav

Pré-visualização | Página 1 de 2

Sistema 
Linfatico 
Principais Funções: 
 Recolher (drenar) o excesso de líquidos 
intersticiais e toxinas acumuladas e devolvê-
los para a circulação sanguínea; 
 Atuar na imunidade (defesa) do organismo. 
 
Água: 
 Essa água fica no sangue, o mantendo em 
estado líquido, podendo estar nas células 
(intracelular – dentro da célula – ou 
extracelular – fora da célula); 
 A água no corpo é um transporte, por onde 
as substâncias conseguem sair do sangue e 
entrar nas células ou vice-versa – dinâmica 
de fluídos. 
 
 
 
 
 
 Conforme a água sai dos capilares sanguíneos. 
Grande parte dessa água (90%) é reabsorvida 
pelos próprios capilares sanguíneos, e os 10% 
ficam retidos no meio intersticial, e o sistema 
linfático é o responsável de drenar esses 
excessos de fluídos que ficam presos entre as 
células. 
 
 
 A água que flui entre o plasma, o meio 
intersticial e o sistema linfático é 
basicamente a mesma, só que, junto dessa 
água, o sistema linfático acaba recolhendo 
também, algumas substâncias que não 
conseguiram voltar para os capilares 
sanguíneos, como proteínas; gorduras; 
fragmentos de células ou bactérias; resíduos 
do metabolismo (toxinas) 
 O sistema linfático também tem uma função 
importante no sistema imunológico, já que 
ele tem células imunes como os “Linfócitos” 
– defesa do organismo. 
 
Principais Estruturas: 
 
 O Sistema Linfático tem semelhanças com o 
Sistema Cardiovascular 
 
 
 
 
 
 
 
Grande parte do corpo humano e animal é formado 
por água (em média 60% em adultos) 
 Água que está dentro do sangue: Plasma 
 Água que está dentro das células: Hialoplasma/Citosol 
 Água que está entre (fora) das células: Líquido Intersticial 
Quando o excesso de líquido intersticial 
entra nos capilares linfáticos, ele passa 
a se chamar “Linfa” 
O Sistema Linfático também é formado 
por vasos, como o sistema 
cardiovascular – o Sistema Linfático 
tem “Vasos Linfáticos” que transportam 
a linfa. 
@Larav.studies 
 O Sistema Cardiovascular tem o sistema 
fechado, no qual o sangue fica dentro dele e 
não sai. Já o Sistema Linfático é aberto 
(que tem começo e fim). Ele começa no meio 
intersticial (entre as células com os capilares 
linfáticos que vão drenar o líquido intersticial) 
e termina na circulação venosa, já que esse 
sistema precisa devolver para a circulação 
sanguínea os líquidos que foram recolhidos. 
 
Componentes Linfáticos: 
 
 Um dos principais componentes linfócitos, 
são os “Vasos Linfáticos” e a “Linfa” 
que veio do líquido intersticial – ela tem 
uma composição semelhante ao Citoplasma, 
mas dependendo do tecido que ela drena, 
pode mudar um pouco a sua composição, 
por exemplo: a linfa do meio intersticial dos 
intestinos é rica em gordura, proteínas e 
outras substâncias absorvidas, já a linfa 
que drena o meio intersticial dos rins é rica 
em água e sódio. 
 Além dos vasos, o 
Sistema Linfático 
também possui células – e as 
principais células desse sistema são os 
“Linfócitos”, que podem ser os linfócitos 
“T” e linfócitos “B”. 
 O Sistema Linfático também possui 
“Órgãos Linfóides/Enfáticos”, dividindo-se 
em Linfonodos, que são “agregados” de 
tecido linfático e possui uma grande 
quantidade de células de defesa – eles 
estão localizados no “caminho” dos vasos 
linfáticos e ajudam na imunidade do 
organismo – e em Tonsilas que são 
“agregados” de linfonodos encapsulado em 
regiões estratégicas e possui órgãos que 
são responsáveis pela produção/renovação 
dos linfócitos das células de defesa: 
 
 
 Um dos principais órgãos linfóides ou órgãos 
linfáticos que tem no corpo é a medula 
óssea, além de produzir células do sangue 
como hemácias e plaquetas a medula óssea 
também produz células chamadas de 
“Linfócitos”. 
 
Os linfócitos são tipos de leucócitos e são as 
principais células do sistema linfático fazendo 
parte do sistema imunológico. Estes linfócitos 
são produzidos na medula óssea a partir de 
células não específicas chamadas também 
de células tronco e depois de serem 
produzidos eles vão colonizar outros órgãos 
linfóides como o timo, o baço, os linfonodos e 
dentro desses outros órgãos; 
 Os linfócitos vão se multiplicando aí e 
substituindo a si mesmos; 
 Os linfócitos que vão pro timo, que é 
outro órgão linfóide, vão se tornar um 
tipo específico de linfócito chamado 
linfócito T. 
 
O timo é um órgão bilobado que possui 
dois lobos e ele está localizado atrás do 
osso esterno e se estende a partir da 
glândula tireóide até a parte superior da 
cavidade torácica, esse órgão cresce 
durante a infância, mas a partir da 
puberdade ele regride sendo substituído 
A linfa é devolvida 
diretamente para a 
corrente sanguínea 
- Medula óssea; 
- Timo; 
- Baço. 
@Larav.studies 
em grande parte por tecido gorduroso e 
tecido conjuntivo. 
 Apesar disso, as suas células continuam 
funcionais. Os linfócitos, então, que são 
produzidos na medula óssea e vão pro 
timo se tornam lá, os linfócitos T. E 
depois de sair do timo eles vão aí pro 
sangue, pra linfa ou semear outras 
estruturas como os linfonodos. 
 Porém, nem todo linfócito que é 
produzido na medula óssea vai pro timo, 
porque existe um outro tipo de linfócito 
chamado linfócito B. Os linfócitos B são 
produzidos na própria medula óssea, 
sendo o linfócito B, encontrados na 
medula óssea e o timo são considerados 
os órgãos linfóides primários porque eles 
são órgãos onde se originam ou se 
diferenciam linfócitos, mas além da 
medula óssea do timo nós também temos 
o baço que também é um dos órgãos 
linfóides. 
 
O baço é um órgão localizado na região 
superior esquerda do abdômen que tem 
um papel importante no controle, 
armazenamento e destruição de células 
sanguíneas. O baço também contém 
linfócitos e ele tem um papel na 
transformação dos linfócitos B em 
plasmócitos, células importantes para a 
produção de anticorpos. 
 
 
Revisando: 
 
 Os órgãos linfóides são a medula óssea o 
timo, o baço, os linfonodos e as tonsilas; 
 
 Na medula óssea são gerados linfócitos a 
partir de células tronco quando esses 
reforços são produzidos, parte deles vai pro 
timo, se diferenciando em linfócitos T que 
depois de saírem do timo vão fazer parte 
do sangue e da linfa ou eles vão colonizar 
outros órgãos linfóides como os linfonodos; 
 
 Já os linfócitos são produzidos e 
diferenciados na própria medula óssea, 
sendo chamados de linfócitos B. O baço 
também é um órgão linfóide que ajuda na 
diferenciação de linfócitos B em plasmócitos. 
 
 
 Os órgãos que produzem ou diferenciam 
linfócitos são chamados de órgãos linfóides 
primários e esses são a medula óssea e o 
timo. Já os órgãos linfóides secundários são 
o baço, os linfonodos e as tonsilas. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O baço e os linfonodos são considerados 
os órgãos linfóides secundários. 
@Larav.studies 
 
Órgãos Linfóides Primários: 
Medula Óssea Timo 
A medula óssea é constituída por células 
reticulares, associadas às fibras reticulares, que 
juntos dão o aspecto esponjoso da medula e 
tem a função sustentadora e indispensável ao 
desenvolvimento das células que participam da 
hematopoiese. No meio deste tecido reticular 
encontramos uma enorme quantidade de 
capilares sanguíneos sinusóides, com grandes 
poros que permite a saída de células maduras. 
O timo é um órgão linfático que se localiza no 
tórax, anterior ao coração. É dividido em dois 
lobos, o direito e o esquerdo. É revestido por 
uma cápsula fibrosa, que histologicamente vai 
penetrando pelo parênquima tímico e 
formando os septos conjuntivos que vai 
dividindo os lobos em inúmeros lóbulos. Sobre 
esta cápsula aparece um aglomerado de 
adipócitos que forma

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.