A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Narração, descriçao e dissertação no Direito (1)

Pré-visualização | Página 1 de 1

Narração e descrição: textos a serviço d argumentação
Classificam-se: Texto Narrativo, texto Descritivo e texto Dissertativo.
Redação e Línguagem Jurídica
Profa. MSc. Ângela Muniz
ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA
Enquanto NARRAR consiste em evidenciar fatos experienciados e desenvolvido em um determinado tempo e espaço, DESCREVER caracteriza-se por deitar sobre o mundo um olhar estático localizando os elementos da descrição e atribuindo-lhes qualidades que os singularizam.
Apesar de se oporem NARRAÇÃO e DESCRIÇÃO, são estritamente ligados, pois as ações somente têm sentido com relação às identidades e às qualificações de seus agentes.
RELATÓRIO
O Exmo. Sr. Ministro César Marcílio Rocha: Luiz Inácio da Costa Filho, ora recorrido, ajuizou ação de indenização por danos morais em face do Hospital São Miguel, objetivando o recebimento de quantia equivalente a 2.000 (dois mil) salários mínimos, “tendo em vista todo o sofrimento experimentado pelo autor desde o início do sofrimento de seu filho, advindo da malsucedida cirurgia, que culminou na hemorragia interna, causadora da morte do menor” f. 05).
O MM. Juízo Monocrático julgou parcialmente procedente o pedido inicial e condenou a ré ao pagamento da importância equivalente a 2.000 salários mínimos à época do efetivo desembolso. Irresignados, o Hospital são Miguel e Associação São Miguel, instituição filantrópica e sua mantenedora, apelaram ao Eg. Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, o qual, por maioria, negou provimento ao pelo ( ...)
O RELATÓRIO é a parte da peça processual em que são narrados cronologicamente todos os fatos juridicamente importantes do caso concreto em análise.
Observe o trecho em aspas..é dissertativo: “tendo em vista todo o sofrimento experimentado pelo autor desde o início do sofrimento de seu filho, advindo da malsucedida cirurgia, que culminou na hemorragia interna, causadora da morte do menor”. 
O ponto de vista sustentado, entretanto, mostra-se extremamente necessário à narração de uma peça em que o autor ajuíza uma ação objetivando receber indenização por danos morais. Em outras palavras a motivação da indenização pleiteada depende da valoração – texto argumentativo – de alguns acontecimentos narrados.
EXEMPLO DE TEXTO NARRATIVO PREDOMINANTE:
 A inicial, que foi recebida por despacho de 2 de abril de 1997, veio acompanhada do inquérito policial instaurado na 1ª Delegacia Policial . Do caderno informativo constam, de relevantes, o autor de prisão em flagrante de f. 08 a 22, os boletins de vida pregressa de f. 43 a 45 e o relatório final de f. 3 a 34. Posteriormente vieram aos autos o laudo cadavérico de f. 146 e seguintes, o laudo de exame de local e de veículo de f. 172 a 185, o exame em substância combustível de f. 186 a 191, o termo de restituição de f. 247 e a continuação do laudo cadavérico, eu está na f. 509. O Ministério Público requereu a prisão preventiva dos indiciados. A prisão em flagrante foi relaxada, não configurada a hipótese de quase flagrância, por não ter havido perseguição, tendo sido os réus localizados em virtude de diligencias policiais. [...]
EXEMPLO DE TEXTO DESCRITIVO PREDOMINANTE:
Um estudo da Nasa revelou que 2005 foi o ano mais quente desde que a temperatura global começou a ser medida, no fim do século XX.
A medição, feita por satélites e estações meteorológicas instaladas na terra e no mar, mostrou eu os termômetros apresentaram as maiores elevações nos polos e nas regiões mais altas do Hemisfério Norte, como o Alasca, a Sibéria e a Groelândia. O ano mais quente na Terra havia sido 1998, quando o El Niño deixou um rastro de anomalias climáticas no mundo inteiro.
EXEMPLO DE TEXTO ARGUMENTATIVO PREDOMINANTE:
O princípio do estado de inocência ou, como preferem, da presunção de inocência, previsto na Constituição Federal de 1988 (art. 5º, LVII), determina, antes de a sentença condenatória transitar em julgado, a impossibilidade de se impor ao acusado de um crime qualquer medida de coação pessoal ao seu direito de liberdade, que se revista de característica de execução de pena. Proíbe-se a denominada “pena antecipada”, exceção às providencias de natureza cautelar (prisão em flagrante, preventiva e temporária). Nesse sentido: TJSP, HC n. 79.434 (Damásio de Jesus).
A CONTRIBUIÇÃO DO TEXTO NARRATIVO PARA A ARGUMENTAÇÃO
A NARRAÇÃO é a modalidade que se caracteriza pela sequenciamento de fatos ao longo do tempo.
Soma-se a isso que só existe fato, só há ação, se praticada por determinados personagens.
Narrar é, portanto, uma atividade posterior à existência de uma realidade que se dá, necessariamente, como passada (daí ser adequada a utilização do verbo no pretérito para narrar os fatos em qualquer peça processual)
OS ELEMENTOS DO TEXTO NARRATIVO TRADICIONAL
FATO – o que se vai narrar;os acontecimentos e as ações propriamente ditos;
PERSONAGENS – aquele ou aqueles que participaram da história ou observaram os fatos ocorridos;
LUGAR – onde se passa a história;
TEMPO – quando o fato ocorreu;
ENREDO – a sequência encadeada e articulada dos fatos que compõem o conteúdo da história;
CAUSA – o motivo que determinou a ocorrência;
CONSEQUÊNCIA – o que decorreu das ações praticadas.
MODO – como ocorreram os eventos.
ATENÇÃO:
Imprescindível é esclarecer ao acadêmico do Curso de Direito a relevância do texto narrativo para a sustentação de uma tese jurídica.
Sustentar teses é, por certo, a atividade mais complexa no cotidiano de qualquer profissional da área jurídica.
Antes de argumentar, deve-se narrar os fatos ocorridos no caso concreto de maneira a contextualizar, para todos os envolvidos na atividade jurisdicional, o que ocorreu no caso em análise.
Nenhum juiz pode apreciar um pedido sem conhecer os fatos que lhe servem de fundamento. Desta forma, a narração ganha status de maior relevância, porque serve de requisito essencial à produção de uma argumentação eficiente.
Soma-se a isso que o princípio da igualdade processual das partes exige que cada um tome ciência das informações trazidas aos autos pela parte adversa para que tenha condições de exercer em plenitude a sua defesa.
Por todas as razões, a narrativa deve ser vista dentro da peça processual como parte fundamental da construção persuasiva do raciocínio.
A CONTRIBUIÇÃO DO TEXTO DESCRITIVO PARA ARGUMENTAÇÃO
A DESCRIÇÃO é marcada pela enumeração de características de um objeto, de um ambiente, de uma pessoa. 
A descrição realiza uma espécie de recorte das imagens disponíveis e enumera as características observadas em um determinado momento e em pontos específicos.
Uma boa descrição de uma pessoa, por exemplo, deve levar em conta, senão todos, pelo menos grande parte das características físicas (altura, cor da pele e dos olhos, idade, traços do rosto, voz, modo de se vestir, etc, - descrição objetiva).
Características Psicológicas do indivíduo: personalidade, temperamento, caráter, preferências e aptidões, dentre outros – descrição subjetiva)

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.