A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
TCC Ludicidade na Educação 2020

Pré-visualização | Página 1 de 4

LUCIDADE NA EDUCAÇÃO 
Educação, Escola e Políticas Públicas 
 
 
Joselino da Silva Brito 
Prof. Rosevani Valerio Calvi 
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI 
Licenciatura em Pedagogia (1798) – Trabalho de Graduação 
09/12/2020 
 
 
RESUMO 
 
O atual trabalho tem como objetivo o aprofundamento da importância da ludicidade na educação 
para aprendizagem dos alunos. O objetivo é gerar reflexão em uma perspectiva lúdica na evolução 
da aprendizagem do aluno na educação infantil. A preparação de aulas bem elaboradas com o 
lúdico irá aflorar no educando o interesse no aprendizado ao mesmo tempo em que saberá usar 
isso como forma de independência sobressaindo-se cognitivamente, atuando e socializando. O 
Educador aprende em sua jornada que deve educá-los para ser transformadores e formadores de 
opiniões, com criticidade e construtores do amanhã. 
 
Palavras-chave: Lúdico; Jogos; Educação. 
 
1 INTRODUÇÃO 
 
Utilizando-se da educação, escola e políticas públicas como base para o enfrentamento das 
problemáticas ou mecanismos, estes adequando novas formas e métodos a realidade vivenciada nos 
tempos atuais, podemos afirmar que, diante de um país continental e extremamente expandido 
falando territorialmente, o grande desafio é: qual é o caminho a seguir e alcançar êxito na 
educação? 
Pela diversidade e níveis de aprendizado a escola deve preparar seus educandos 
incentivando-os a usar a ludicidade como base do aprendizado, todo o corpo docente deve reunir-se 
preparando aulas dinâmicas e eficazes, ao mesmo tempo em que os alunos tenham apreço, 
curiosidade, e se sintam independentes com livre arbítrio para escolha de cada tomada de ação, 
fazendo os mesmos a refletir sobre isso, e por fim entendendo que, houve um objetivo tomando para 
um aprendizado compreensível os fazendo assimilar com situações reais da vida. 
O caminho da ludicidade dentro da educação brasileira deve ser aflorado em cada 
instituição, o uso do lúdico baseado na educação, escola e políticas públicas como referencial irá 
nortear uma educação infantil com mais ênfase a formação do aluno o preparando para o mundo, e 
sua adequação ao meio o fará um sujeito atuante transformando tudo em volta e beneficiando aos 
outros e a si mesmo. 
 
2 RESUMO HISTÓRICO DA LUDICIDADE NO BRASIL 
 
No Brasil desde o início de sua história tivemos uma grande miscigenação cultural de povos 
entre eles temos os índios, os portugueses e os negros como percussores que influenciaram os atuais 
modelos e maneiras de desenvolvimento do lúdico que temos hoje no Brasil. 
Sabido de nossa herança cultural é importante tomarmos isso para aprendizado de nossos 
alunos, sabendo lidar com cada um segundo sua crença, etnia e cultura e independente destas 
diferenças universalizar o aprendizado e potencializar em cada um a cognitividade através da 
metodologia de ensino trazendo resultados em cada indivíduo em meio cooperativo através das 
diferenças de cada um. 
 
[...] a criança é um ser em pleno processo de apropriação da cultura, 
precisando participar dos jogos de uma forma espontânea e criativa. 
(KISHIMOTO, 2000). 
 
Nossa herança cultural diversificada originou brincadeiras dessa miscigenação ocorrida 
neste período, é relativamente impossível afirmar com clareza de qual povo seriam suas origens, 
então o que vale é resgatar essas heranças, preservar e tentar entender esse desenvolvimento e fazer 
com essa herança de nossos antepassados sejam repassados, valorizados e agregados aos métodos 
de ensino dos educandos sempre estimulando os a terem orgulho de suas descendências e 
preparados para um futuro brilhante pela educação. 
Todas as etnias e raças deram sua contribuição trazendo consigo hábitos e costumes para 
nossa atualidade contribuindo para uma formação lúdica mais forte e consistente diante de um 
desafio tão grandioso como nosso Brasil. 
Os índios sempre utilizaram de seus hábitos para ensinar seus filhos a caçar, pescar, brincar, 
dançar; dessa maneira sua forma lúdica aprende que é uma cultura, desde construir seus próprios 
brinquedos a partir da natureza, diferente dos adultos caçam e pescam com uma perspectiva 
diferente, com tom de brincadeira lúdica entendem o brincar como de suprir suas necessidades ao 
mesmo tempo um meio de sobrevivência. 
Os negros semelhantemente aos índios desembarcaram no Brasil com seus costumes e 
crenças, fundamentados e seguros eles mantiveram unidos, não só pela cor, mas pela unidade de 
repassar sua cultura, da mesma forma as crianças tinham no lúdico sua maneira de construir seus 
brinquedos, pescar, nadar e caçar. Cultura esta de forma criativa que também satisfaziam as 
necessidades de sobrevivência. 
Diferentemente dos dois anteriores os filhos dos portugueses quando vieram para o Brasil, a 
ludicidade deles não eram para fins de sobrevivência, e sim para o lazer e enriquecimento 
intelectual, ou seja, sua cultura e hábitos eram diferenciados dos povos aqui existentes no Brasil. 
Já no final da Idade Média e início da Idade Moderna, no século XV, a Igreja Católica 
tornou se responsável por abolir os jogos da educação alegando ser profano e ir contra os princípios 
de seu credo. 
Com os Jesuítas as brincadeiras tiveram retorno na educação, porém não perdurou muito e 
em meados de 1758 eles foram expulsos, de fato eram um sistema organizado de ensino. E para 
suprir tais necessidades sempre vinham educadores de Portugal a lecionar e ministrar cursos de 
acordo com a carta régia de 1799, traziam o curso de álgebra, relativo ao ensino de matemática no 
Brasil. 
 
 [...] Brincar com criança não é perder tempo, é ganha-lo. Se é triste ver 
meninos sem escola, mas triste é vê-los sentados, enfileirados em sala se ar 
com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem. 
(CARLOS DRUMMOND ANDRADRE). 
 
Crianças necessitam de espaço e deste espaço fazer suas brincadeiras e jogos intercalados 
com objetivos compreensível na sua faixa etária, supervisionados por um educador com uma visão 
de alcance maior e critica que saiba interpretar isso de maneira cognitiva contemplando cada aluno 
com compreensão do saber e do mundo. 
 
3 METODOLOGIA DO ENSINO NO LÚDICO 
 
Segundo Costa (2005, p, 45), a palavra “lúdico vem do latin ludus, e significa brincar, está 
incluso neste meio jogos, brinquedos e brincadeiras. O sujeito que joga que brinca, se diverte e 
aprende com problemáticas do cotidiano, suas interações com o meio e manipulação de objetos lhe 
dá uma dimensão entre brincadeira e realidade lhes preparando para o vindouro futuro 
Sem dúvida alguma, no decorrer de toda uma vida escolar desde o início até sua formação 
final, enquanto educadores sabemos que é inquestionável a relevância dos jogos e brincadeiras para 
o desenvolvimento infantil. Utilizando-se da (BNCC, p. 38) Base Nacional Comum Curricular, na 
qual está anexado os seis direitos de aprendizagem e desenvolvimento da criança que são: 1. 
Conviver, 2. Brincar, 3. Participar, 4. Explorar, 5. Expressar, e 6. Conhecer-se. 
A metodologia de ensino aliada ao lúdico nos jogos, brincadeiras fazem parte da educação e 
formação de um indivíduo bem como sua preparação para um novo mundo, este tecnológico e 
avançado, está na mão do educador absorver todo o conteúdo possível que possam vir a fazer parte 
na educação do educando. É de suma relevância saber escolher os temas e brincadeiras que 
estimule e possibilite o aluno a sentir-se atraído para uma nova experiência e através dela carregar 
consigo a possibilidade de desenvolvimento enquanto ser crítico e contribuinte para o meio em que 
vive, com base na BNCC e seu campos de experiências fundamentais auxiliando no 
desenvolvimento que são eles: 
 
. O eu, o outro e o nós; 
. Corpo, gesto e movimento; 
. Traços, sons, cores e formas; 
. Escuta, fala, pensamento e imaginação; 
. Espaço tempo, quantidades, relações e transformações; 
 
Brincar está dentro da normalidade