A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes

Pré-visualização | Página 6 de 7

o roteiro daquilo que chamo de Mentalidade da Escassez. Elas também têm dificuldade para sentir um prazer genuíno com o sucesso de outras pessoas. Apesar de verbalmente expressarem contentamento pelo sucesso alheio, no íntimo morrem de inveja. Seu senso de valor deriva da comparação, e o sucesso dos outros, de certo modo, implica seu fracasso. 
A Mentalidade da Abundância, por outro lado, deriva de um senso profundo de valor e segurança pessoais, diz haver o bastante para todos. A Vitória pública é uma consequência do paradigma da Mentalidade da Abundância.
A partir da base dada pelo caráter, construímos e mantemos relacionamentos ganha/ganha. A confiança, a Conta Bancária Emocional, é a essência do ganha/ganha. Sem a confiança, o melhor que podemos fazer é ceder. Sem a confiança, falta credibilidade para o aprendizado mútuo, comunicação e criatividade real. Quando confiamos um no outro, somos pessoas abertas. Colocamos nossas cartas na mesa. Apesar de vermos as coisas de jeitos diferentes, sei que você está disposto a ouvir com respeito.
A partir dos relacionamentos surgem os acordos. Em um acordo ganha/ganha, os cinco elementos seguintes ficam explícitos:
· Os resultados Desejados (e não métodos) identificam o que deve ser feito e quando.
· A orientação especifica os parâmetros (princípios, políticas) dentro dos quais os resultados devem ser obtidos.
· Os recursos identificam o suporte humano, financeiro, técnico e organizacional disponível para ajudar a atingir os resultados.
· A administração define os padrões de desempenho e o tempo de avaliação.
· As consequências - boas e más, naturais e lógicas - especificam o que acontecerá como resultado da avaliação.
É muito mais nobre para o espírito humano permitir que as pessoas julguem a si mesmas do que julgá-las. No ganha/ganha, as pessoas avaliam a si mesmas, usando o critério que elas ajudaram a estabelecer anteriormente. Trata-se de um paradigma total de interação humana. Deriva de um caráter íntegro, da maturidade e da Mentalidade da Abundância.
“Sempre fico abismado com os resultados conseguidos, tanto para os indivíduos quanto para as organizações, quando pessoas responsáveis, proativas e seguras são deixadas à vontade para cumprir uma tarefa.”
“O gerente é quem da a largada numa corrida de carros e sai do caminho, seu trabalho depois é limpar as manchas de óleo.”
Hábito 5: procure primeiro compreender para depois ser compreendido. “Na escuta empática, você escuta com os ouvidos, mas também, e mais importante, ouve com os olhos e o coração. Você ouve procurando entender o significado, o sentimento.”
A comunicação é a habilidade mais importante na vida. Você passou anos aprendendo a ler e escrever, anos aprendendo a falar. Mas e quanto a escutar? A maior parte das pessoas não consegue escutar com a intenção de compreender. Elas ouvem com a intenção de responder. Elas estão sempre falando ou se preparando para falar. Elas filtram tudo através de seus próprios paradigmas, lêem sua autobiografia na vida das outras pessoas. Elas estão constantemente projetando suas experiências interiores no comportamento dos outros.
Devemos praticar a escuta empática, ela não é simplesmente concordar com alguém, mas sim compreender aquela pessoa profundamente, tanto no plano emocional quanto no intelectual. A atenção empática significa muito mais do que registrar, repetir ou mesmo entender as palavras que estão sendo ditas. Os especialistas em comunicação calculam, na verdade, que apenas 10% de nossa comunicação é representada pelas palavras que emitimos. Cerca de 30% é representada pelos sons, e 60% pela linguagem corporal. 
Na escuta empática, você escuta com os ouvidos, mas também, e mais importante, ouve com os olhos e o coração. Você ouve procurando entender o significado, o sentimento. Ouve para descobrir o comportamento. Ouvir em profundidade exige um bocado de segurança, porque você se abre às influências. Torna-se vulnerável. É um paradoxo, de certo modo, porque você precisa se dispor a ser influenciado para poder influenciar. Isso significa que você deve realmente entender.
As pessoas, com frequência, quando têm uma chance para se abrir, mostram seus problemas, e a solução aparece clara, no decorrer do processo. Quanto mais você entende as pessoas em profundidade, mais gosta delas, mais respeito sente por elas.
Procure primeiro compreender... depois ser compreendido. Saber como ser compreendido é a outra metade do Hábito 5. Quando você consegue expor suas idéias com clareza, objetividade, usando imagens claras, e, mais importante, dentro de um contexto - o contexto da profunda compreensão dos paradigmas e preocupações dos outros -, você aumenta significativamente a credibilidade de suas próprias idéias.
Os antigos gregos tinham uma filosofia magnífica, que se encontra embutida em três palavras organizadas em seqüência: etos, patos, e logos. Etos é sua credibilidade pessoal, a fé que as pessoas têm em sua integridade e competência. É a confiança que você inspira, sua Conta Bancária Emocional. Patos é seu lado empático - o sentimento. Quer dizer que você está sintonizado com a confiança presente na comunicação da outra pessoa. Logos é a lógica, a parte pensada da comunicação.
Notem a sequência: etos, patos, logos - seu caráter, suas relações e a lógica de sua mensagem. Isso representa outra mudança importante de paradigma. A maioria das pessoas, ao apresentar uma idéia, vai logo de cara para o logos, a lógica do cérebro esquerdo. Elas tentam convencer as outras pessoas da validade de sua lógica, sem primeiro levar em consideração o etos e o patos.
Hábito 6: crie sinergia. “Trata-se de um paradigma total de interação humana. Deriva de um caráter íntegro, da maturidade e da Mentalidade da Abundância.”
Sinergia, em uma definição simples, significa que o todo é maior do que a soma das partes, a relação estabelecida entre as partes é, em si e por si, também uma parte. “Não devemos buscar imitar os mestres, mas devemos procurar o que eles procuravam". Não queremos imitar as experiências sinérgicas criativas do passado, mas desejamos criar outras, a partir de objetivos novos, diferentes e por vezes mais nobres.
Um grupo com estreitas ligações, muito aberto, criativo e sinérgico tem respeito entre os membros e em caso de discordância, em vez de defesa e oposição, há um esforço genuíno para a compreensão. A atitude é: "Se uma pessoa com a sua inteligência, competência e dedicação discorda de mim deve haver algo em sua opinião que eu não compreendo, e eu preciso entender isso.”
O nível mais baixo da comunicação deriva de situações de desconfiança, que se caracterizam pela atitude defensiva e cuidadosa. Esta forma de comunicação produz apenas ganha/perde ou perde/perde.
A posição intermediária é a comunicação respeitosa. Neste nível interagem as pessoas relativamente maduras. Elas demonstram respeito pelos outros, mas querem evitar a possibilidade do confronto pesado, de modo que se comunicam polida, mas não enfaticamente. Os dois lados cedem. A comunicação não é defensiva, protetora, furiosa ou manipuladora. Ela é honesta, verdadeira e respeitosa. Mas não é criativa ou sinérgica. Ela produz uma forma menor de ganha/ganha.
A sinergia significa que 1 + 1 dá 8, 16 ou até mesmo 1 600. A posição sinérgica de alta confiança produz soluções melhores do que as propostas originalmente, e todas as partes sabem disso.
Buscar uma terceira alternativa é uma mudança de paradigma importante, representa o abandono da mentalidade do ou você ou eu. Valorizar as diferenças é a essência da sinergia - as diferenças mentais, emocionais e psicológicas entre as pessoas. E a chave para valorizar as diferenças é perceber que todas as pessoas vêem o mundo não como ele é, mas como elas são.
A pessoa realmente eficaz tem a humildade e a reverência para reconhecer suas limitações perceptivas, e para reconhecer os imensos recursos disponíveis na interação com os corações e mentes de outros seres humanos. Esta pessoa valoriza as diferenças porque