A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
DEPRECIAÇÃO, EXAUSTÃO E AMORTIZAÇÃO NA AGROPECUÁRIA

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIOESTE
CONTABILIDADE DO AGRONEGÓCIO
DEPRECIAÇÃO, EXAUSTÃO E AMORTIZAÇÃO NA AGROPECUÁRIA
EXERCÍCIOS
1.A Cia Agropecuária Catalúnia utiliza no seu plano de contas o item “pastagens Artificiais em Formação”. Essa conta registra o valor de todos os gastos com a formação das pastagens artificiais. A empresa considera que a formação da pastagem vai desde a derrubada da mata, queimada, limpeza, plantio etc., até a primeira limpeza de formação. Adota a sistemática de que, até dois anos depois do plantio, qualquer gasto (limpeza de formação, ressemeio etc.) deve ser incluído em “Pastagem em Formação”. Após isso, com a pastagem formada, o valor dessa conta é transferido para “Pastagens Artificiais Formadas”, quando passariam a ser utilizadas e amortizadas.
Admitindo-se que o valor total da passagem no período em formação seja de $ 980 mil, que o período de formação da passagem foi de exatamente dois anos e que a vida útil estimada da pastagem será de oito anos, responda às seguintes perguntas:
a. Deve-se amortizar essa pastagem? Por quê?
Sim, porque ela tem uma vida determinado de 8 anos.
b. Qual a denominação correta, Exaustão ou Depreciação? Por quê?
A denominação correta é exaustão, porque se colhe a própria plantação, deixando as raízes que rebrotarão para nova pastagem.
c. Qual será o valor de amortização anual?
O valor da exaustão anual será de 980.000/8= 122.500
d. Se houver reforma na pastagem, o gasto concernente fará parte do Imobilizado ou será tratado como custo?
Sendo o valor relevante será ativado no imobilizado.
Sendo irrelevante atribui-se como uma despesa do período.
2. A Cia de Reflorestamento Dona Ondina, por meio de3 debates e orientações fiscais, conclui que o custo de formação de florestas ou de plantações de certas espécies vegetais que não se extinguem com o primeiro corte, mas voltam, depois desse, a produzir novos troncos ou ramos e permitem um segundo ou até um terceiro corte, deve ser objetivo de quotas e exaustão, ao longo do período total de vida útil do empreendimento. Devem-se efetuar os cálculos em função do volume extraído em cada período, em confronto com a produção total esperada, que engloba os diversos cortes. Evidentemente, as empresas que estiverem em situações desse tipo devem munir-se de elementos hábeis às demonstrações exigíveis pelo Fisco, como, entre outros, laudos de profissionais qualificados no ramo (engenheiros florestais, engenheiros agrônomos), que possam seguramente servir de base aos cálculos, tomando-se em consideração o eventual decréscimo de produção após os sucessivos cortes.
Conforme laudo de engenheiros florestais, o reflorestamento Dona Ondina será alvo de três cortes, havendo uma previsão de 2.000.000 m3. No primeiro corte, constata-se um total de 800.000 m3 de madeira colhida. Qual seria a taxa de exaustão para apurar o resultado dessa primeira colheita?
Reflorestamento = 3 cortes 
Previsão/produção = 2.000.000 m³
1ª Colheita = 800.00 m³
Taxa de exaustão= Produção efetiva 1º corte= 800.000 = 40% a.a.
 Produção total estimada 2.000.000
3. A Cia Lojicard adquiriu um trator de esteira por $ 48.000. Esse trator tem uma vida útil estimada em 3.000 horas. A taxa de depreciação consta no material. No primeiro ano o trator trabalhou 100 dias, à base de quatro horas em média por dia. Calcule a depreciação do primeiro ano:
a. para fins de Imposto de Renda;
48.000/25%= 12.000,00
b. para fins gerenciais;
48.000/3.000 h= 16 16x(100dx4h=400h) = 6.400,00
c. para fins contábeis, considerando a taxa fixa na média brasileira.
48.000x10%= 4.800,00
4. O touro Ferdinando, da Agropecuária Madri, será colocado na sua primeira estação de monta, após três anos de crescimento. Seu custo total é de R$ 60.000; prevê-se que será útil para monta durante 6 anos, e mais um ano para fornecimento de sêmen. Após tudo isso será vendido ao frigorífico por R$ 11.000. Calcular a primeira depreciação de Ferdinando.
Custo = 60.000
Vida útil = 6+1= 7 anos 
Valor residual = 11.000
1ª Depreciação 60.000 - 11.000 = 7.000,00
 7
5. A fazenda Cafelândia S/A planeja os ciclos que se seguem em relação à sua cultura de café:
1° ciclo: ocorre do 18° mês até o 30° mês, caracterizando-se esse ciclo pelos maiores investimentos. É importantíssimo desde já planejamento contábil bem estruturado e controle das despesas a serem diferidas.
2° ciclo: integra a normalidade do exercício social propriamente dito.
- O estoque de produtos acabados será formado de:
· Café beneficiado (pronto para venda futura).
· Café em coco (estocado para venda futura).
- O custo da cultura será basicamente:
a. Sementes				d. mão de obra
b. Adubos					e. depreciação
c. Defensivos				f. gastos indiretos
- O Ativo Não Circulante (Imobilizado) será formado de:
a. Máquinas e equipamentos			d. Cafezal em formação
b. Semoventes					e. Benfeitorias
c. Imobilizado em andamento
- O Passivo Circulante será constituído de:
a. Fornecedores				c. Credores diversos
b. Obrigações Sociais			d. Obrigações Tributárias
- O Ativo Não Circulante será composto da conta “Financiamentos”.
Considerando os dados anteriores, estruturar um plano de contas resumido para a Fazenda Cafelândia S/A
	ATIVO
	PASSIVO
	RESULTADO
	CIRCULANTE
	CIRCULANTE
	REC/ OPER/ BRUTA
	Estoques
 Insumos (matéria prima)
 Sementes
 Adubos
 Defensivos
Produtos agrícolas
 Café beneficiado
 Café em coco
	Fornecedores
Obrigações sociais
Obrigações tributárias
Credores diversos
	Receita vendas agrícolas
 (-) Deduções vendas (prd/agr)
	NÃO CIRCULANTE
	NÃO CIRCULANTE
	DESPESAS
	Imobilizado
 Cafezal em formação
 Imobilizado em andamento
 Benfeitorias
 Animais de trabalho (semoventes)
 Máquinas e equipamentos
 (-) Depreciação
	Exigível a longo prazo
 Financiamentos
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital Social
Reservas
Lucro ou prejuízo acumulado
	CUSTO DE PRODUÇÃO
 Insumos
 Mão de obra
 Gastos diretos
3. Relacione os itens Estoque e Imobilizado de uma indústria com a Contabilidade Agrícola (considerando uma Cultura Temporária e outra Permanente).
	INDUSTRIA
	CULTURA TEMPORÁRIA
	CULTURA PERMANENTE
	Estoques
 Matéria prima
 Produtos em andamento
 Produtos acabados
Imobilizado
 Imobilizado/andamento
 Máquinas 
 Imóveis
 Equipamentos
	Estoques 
Insumos
 Sementes, adubos, fertilizantes
Ativos biológicos – C. temporária
 Soja, milho, arroz
Produtos agrícolas
 Soja, milho, arroz
Colheita em andamento (c/per/for)
 Café, algodão, uva, maçã
Almoxarifado
 Com/ferramentas/mat. Escritório
Imobilizado
 Terras
 Implementos Agrícolas
	Estoques 
Insumos
 Sementes, adubos, fertilizantes
Colheita em andamento (c/per/for)
 Café, algodão, uva, maçã
Produtos agrícolas
 Café, algodão, uva, maçã
Almoxarifado
 Com/ferramentas/mat. Escritório
Imobilizado
 Terras
 Implementos Agrícolas
4. Estruture, baseando-se no Capítulo 2, um pequeno Plano de Contas, apenas com o Ativo, considerando somente as contas peculiares de uma cultura de alho e cebola.
	ESTOQUE
	IMOBILIZADO
	Insumo
Ativo biológico – cultura temporária
 Cultura de alho
 Cultura de cebola
Produtos agrícolas
 Alho
 Cebola
	Terra
Implementos Agrícolas
Benfeitorias

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.