A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Resumo Aula 1 Citricultura (História da Citricultura Brasileira)

Pré-visualização | Página 1 de 2

Resumo de Citricultura 
Gisele Farias UFRRJ 
AULA 1 
Diferença de citros x citrus 
CITROS: quando nos referimos aos citros, estamos tentando especificar todos os 
citros do Brasil e mundo, de uma maneira geral. 
CITRUS: diz respeito a um nível específico da classificação botânica, o nome 
genérico. Como por exemplo: a Laranja Doce que é chamada de Citrus Sinencis; 
Poncirus trifoliata que é muito importante como porta enxerto; Tangerina que é a 
Citrus Reticulata; Citrus Deliciosa; Pomelo é o Citrus Paradise; 
Citricultura Brasileira 
O Brasil tem a maior produção de suco concentrado do mundo, devido aos vastos 
pomares onde a maioria dos tratos culturais são feitos de maneira mecanizada, ou 
seja, os pomares geralmente são compostos em linhas, e as entrelinhas são 
mantidas com a roçagem. É claro que também não podemos deixar de lado a 
citricultura familiar que é de grande importância para o país. 
Uma parte dos estados que mais produzem citros estão localizados no “cinturão 
citrícola”, formado por alguns estados de são Paulo e triangulo mineiro. 
A maior demanda de mão de obra na cultura citrícola será no momento da colheita, 
pois normalmente a colheita das laranjas tardias coincidem com o início da florada 
da próxima safra. Os coletores vão passando e colhendo os frutos manualmente e 
colocando nos sacos coletores, e posteriormente depositando os frutos em grandes 
bags que ficam distribuídos nas linhas da cultura, quando chega a aproximadamente 
uma tonelada no bag, ele é colocado em caminhões com o auxílio de um trator. 
Depois é passado para outro caminhão e será levado para a indústria. E na indústria 
esses frutos passam por processos, passando nos extratores de suco, cada extratora 
de suco extrai cerca de 500 laranjas por minuto. A extratora faz um furo na parte 
inferior do fruto, e de cima para baixo é pressionado fazendo com que o suco saia 
pelo fundo, é claro que há uma “caneca” onde o fruto é espremido para que ele não 
estoure e nem extravase. A partir disso esse suco é peneirado, filtrado onde dá a 
origem do suco concentrado ou NFC. 
O suco concentrado tem como sigla FCOJ (Frozen Concentrate Orange Juice), na 
tradução é “suco de laranja concentrado e congelado”. E quase 100% da produção 
desse suco é exportada para outros países. As empresas também tem a opção de 
produzir o suco NFC (Not From Concentrade), suco não concentrado, e esse suco é o 
suco feito apenas a partir da polpa que foi pasteurizada, resfriada ( a +/- 3ºC). As 
Comentado [G1]: Frisou bastante na aula a relação FCOJ x 
NFC 
laranjas próprias para indústria têm cerca de 1% de acidez, o grau brix também é 
muito importante, e cada lote que chega na indústria é testado para determinar a 
acidez dos frutos, pois caso seja necessário misturar os sucos para chegar na acidez 
ou brix média ideal, poderá ser feito de maneira correta. 
Material complementar: O Trajeto do Suco de laranja, do pé a mesa – Youtube 
Agora na produção de suco FCOJ ou OFCOJ (orgânico), esse suco ele vai passar por 
uma perda grande de água, aquecendo em várias temperaturas até que ele vai 
chegar em 66% grau brix, este produto que é considerado a commoditie da laranja 
pois é padrão internacional e negociado na bolsa de valores. 
A laranja que é usada para produção de suco concentrado também pode ser 
utilizada para mesa, seja na produção de suco feito em casa ou o consumo da fruta. 
Vai depender muito da qualidade do fruto, se ele não está com um valor bom de brix 
ou acidez, a bolsa de valores não irá negociar com o produtor para a produção de 
suco, e então geralmente vendem essa laranja para ceasa, ceagesp e mesa. Mas a 
fruta fresca também e necessário qualidade, e não é somente na qualidade pós 
colheita afinal a laranja não se chama laranja a toa, ela precisa ter a cor ideal, 
homogênea o que faz isso variar seria o local de plantio, pois o fruto tem de ter 
qualidade interna e externa. Se eu plantar laranja em Seropédica as condições do 
clima local não vão produzir um fruto com qualidades ótimas externamente e 
internamente. O suco NFC tem suas propriedades organolépticas melhor 
estabilizadas, pois ele já vem pronto e misturado com água, e o Fcoj é concentrado e 
posteriormente é misturado com água, que não sabemos a procedência, e talvez não 
seja os padrões ideais de qualidade necessários para um suco de qualidade 
E porque concentrar o suco Fcoj se o NFC é mais valorizado? 
A questão é a economia, se eu saio de 12º Brix e passo para 66º o volume é diminuído 
em 5 vezes, com isso eu tenho o frete, logística e estrutura diminuía em 5 vezes, 
então esse suco tem a possibilidade de chegar mais barato para os outros países. No 
caso de exportar o produto puro, o volume será 5x maior que o produto “pronto” 
(NFC), além de tudo o produto é transportado de maneira congelada, o que encarece 
o frete. 
A laranja Bahia, Lima e Seleta são típicas para mesa pois não tem características 
para indústria pois em sua maioria, não atinge a quantidade necessária de grau brix 
e tem nível de acidez relativamente baixo. E quase 50% do suco mais consumido no 
mundo é o suco de laranja, depois maça e etc. Agora das bebidas mais consumidas 
no mundo, o suco de laranja ocupa uma pequena porcentagem, pois a bebida mais 
consumida é o chá quente, antes mesmo da água. 
Não existe somente suco, néctar e refresco de laranja, há uma gama de outros frutos 
que também podem ser usados para esses variados produtos. Então pra cada tipo de 
fruta existe uma particularidade, então nos dias de hoje a anvisa libera para a 
produção de néctar de 40 a 50%, e o refresco tem cerca de 10% de suco, e o suco 
verdadeiro não há água adicionada. 
Boa laranja = 50% de polpa, com cerca de 12% brix. 
Há outros produtos feitos a partir da laranja: 
• Farelo de casca/polpa de laranja: usado para alimentação de animais. 
Começou a ser produzido no Brasil a partir de 1993, e desde 1934 outros 
países já fazem o processo de secagem do farelo para alimentação animal. E 
também para vacas leiteiras, pois percebeu-se que as vacas leiteiras 
arraçoadas com farelo diminuem a porcentagem de Mastite. Além de trazer 
outros benefícios para o leite e qualidade de vida da vaca como diminuição 
do índice de gordura (do leite), melhora a acidose ruminal (diminuição da 
produção de gás ozônio), alta digestibilidade. A maioria do farelo produzido 
no Brasil é exportado. 
• Polpa: vesículas do suco. Quando essa vesícula sai inteira ela boia na água 
durante o processamento, então a indústria separa para vender para 
empresas tipo o mc donalds, pois quando você compra o “suco” deles que na 
verdade é néctar, adicionam essas vesículas para o suco parecer mais 
natural) 
• Óleo essencial ( 1t de laranja pode produzir de 1 a 3kg) 
 
Alguns produtos exportados recebem a denominação de FOBE ( Free On 
Board = Livre de frete), que são os produtos vendidos para outros países, onde o 
comprador é quem paga o frete de importação. Hoje para cada 5 copos de suco 
tomados pelo mundo, 3 são do Brasil. 
Em termos de consumo de suco de laranja pelo mundo, alguns países 
desenvolvidos como os EUA, de 2013 a 2016 vem decaindo em torno de 37%, na 
Alemanha também decaiu 39%, e em países em desenvolvimento como a China, o 
consumo tem aumentado de maneira significante, e isso é muito importante para o 
Brasil, visto a expansão do mercado de exportação. E com isso o mercado interno 
também cresce, para ter uma noção, a cada 8 minutos na estrada de Santos passa 
um caminhão carregado de suco concentrado de laranja, então podemos perceber 
que a quantidade é muito maior do que podemos imaginar. 
Até 1982 quem mais produzia suco concentrado no mundo era os EUA, mais 
precisamente no estado da Flórida, e a partir de 82 o Brasil passou os EUA em 
maiores produtores de suco. Um dos fatores para que isso tenha ocorrido foi a 
disseminação do Greening dos citros, doença bacteriana que acomete os citros e se 
alastrou