A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Projeto Pesquisa TCC1 - Direito Eleitoral

Pré-visualização | Página 3 de 3

de eventual pedido de registro de candidatura em favor do representado. 
(GASPAR, 2020, p. 146) 
 
 
 Para os doutrinadores, não se chegou a um consenso sobre o entendimento de qual é a 
natureza jurídica do crime eleitoral, já que, alguns autores afirmam que estes estariam 
incrementados dentro dos próprios crimes políticos, sendo assim, portanto, uma ramificação de 
tais crimes. Em consequência, temos a definição dos crimes eleitorais como sendo todas aquelas 
ações que surgem para afetar o processo eleitoral e que venham a intrometer-se no direito de 
sufrágio. Os crimes em pauta, em grande abundância, estão previstos no Código Eleitoral (Lei 
4.737 de 15 de junho de 1965), contudo existem também certas tipificações criminais eleitorais 
em legislação extravagante. 
 
Urge saber, então, se o ambiente do Direito Eleitoral, isto é, o das regras sobre o 
exercício direto do poder pelo povo ou sobre a escolha de representantes, é propício à 
adoção de sanções criminais. Noutras palavras, se há́ bens jurídicos de talhe eleitoral 
aptos a receber proteção penal. (GONÇALVES, 2015, p. 1) 
 
Apesar de existirem autores que defendem que toda e qualquer tipificação criminal 
necessitaria estar em âmbito legislativo penal, é visível à preservação do direito de sufrágio, 
assim foram designadas particularizações adequadas do próprio Direito Eleitoral para os crimes 
com ocorrência no processo eleitoral. Todavia, o próprio Código Eleitoral, em seu artigo 364, 
prevê o “Princípio da Aplicação Subsidiária do Código Penal” aos crimes eleitorais. Vejamos: 
“No processo e julgamento dos crimes eleitorais e dos comuns que lhes forem conexos, assim 
como nos recursos e na execução, que lhes digam respeito, aplicar-se-á, como lei subsidiária ou 
supletiva, o Código de Processo Penal” (BRASIL, 1965, art. 364). 
 Deste modo, é corretamente cabível suplementarmente o Código Penal aos crimes 
eleitorais, não deixando claro, de ressaltar a independência do Direito Eleitoral e seu panorama 
criminal, podendo assim ser delineado tal direito, como Direito Penal Eleitoral ou Direito 
Eleitoral Penal, pois há a aplicabilidade de sanções penais nas previsões de legislação eleitoral. 
Assim sendo, a captação ilícita de sufrágio é de fato uma sanção administrativa, pois se 
caracteriza como uma forma de inelegibilidade. 
 
 
 
 
 
https://jus.com.br/tudo/direito-penal
4. OBJETIVOS: 
 
4.1 GERAL: 
 
• Analisar o combate ao ilícito da compra de votos, verificando em seguida a 
aplicabilidade da legislação em decorrência das sanções previstas para essa antijuridicidade. 
 
4.2 ESPECÍFICOS: 
 
• Explorar os caminhos de fiscalização existentes e sua real eficiência na 
identificação da ilicitude em estudo. 
 
• Demostrar a relevância do enfretamento da captação ilícita de sufrágio não 
somente no mundo jurídico, mas também na sociedade como um todo para que assim possamos 
ter eleições justa e integras. 
 
 
• Realizar o parâmetro de eficácia que foi alcançado com a reforma eleitoral e 
consequentemente as brechas legislativas antes de seu advento. 
 
5. METODOLOGIA 
 
Buscando analisar o tema proposto, a pesquisa será desenvolvida a partir de material já 
existente, constituído de artigos científicos e livros de autores doutrinários, tais como: Jaime Neto 
Barreiros, Bruno Oliveira Corrêa Gaspar, Luís Carlos dos Santos Gonçalves e Edson Castro 
Resende, fortificando assim o desenvolvimento do tema definido, que partirá de uma análise de 
dados publicados assim como fontes que abrangem o estudo de infrações eleitorais decorrentes da 
captação ilícita de sufrágio. 
Para tanto, serão utilizadas as bases de dados da biblioteca digital da OAB, biblioteca 
digital da Universidade Ceuma, Jurisprudências do Jus Brasil e Google Acadêmico, na busca de 
artigos que descrevam ou analisem os impactos da captação ilícita de sufrágio na Sociedade bem 
como no âmbito jurídico. 
6. CRONOGRAMA 
 
Atividades NOV FEV MAR ABR MAI JUN 
Elaboração do Projeto de Pesquisa 
Pesquisa bibliográfica 
Análise dos dados 
Elaboração do Sumário da 
monografia 
 
 
 
Redação do Capítulo 1 
Revisão e discussão com o/a 
Orientador/a 
 
 
 
 
 
Redação do Capítulo 2 
Revisão e discussão com o/a 
Orientador/a 
 
 
 
 
Redação da Conclusão e 
Introdução 
 
 
 
 
Revisão e discussão com o/a 
Orientador/a 
 
 
 
 
Revisão da normalização e de 
língua portuguesa 
 
 
Entrega da monografia 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
7. REFERÊNCIAS 
 
 BARREIROS, Jaime Neto. Direito Eleitoral. In: Coleção Sinopse para concursos. 
10. ed. Salvador: Juspodivm, 2020, p. 339 e 340. 
 
BRASIL. Lei n. 4.737, de 15 de jul. de 1965. Institui o Código Eleitoral, Brasília, DF, 
jul 1965. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l4737compilado.htm>. 
Acesso em: 09 nov. 2020. 
 
BRASIL. Lei n. 9.504, de 30 de set. de 1997. Estabelece normas para as eleições, 
Brasília, DF, set 1997. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9504.htm>. 
Acesso em: 09 nov. 2020. 
 
GASPAR, Bruno Oliveira Corrêa. Direito Eleitoral. In: Coleção de Carreiras 
Jurídicas. 1. ed. Brasília: CP Iuris, 2020, p. 146. 
 
GONÇALVES, Luiz Carlos dos Santos. Crimes Eleitorais e Processo Penal Eleitoral. 
2. ed. São Paulo, Atlas, 2015, p. 1. 
 
RESENDE, Edson Castro. Curso de Direito Eleitoral. 9. ed. Belo Horizonte: Del Rey, 
2018, p. 375 e 376. 
 
TSE. AGRAVO REGIMENTAL EM RECURSO ESPECIAL ELEITORAL: AgRgREspe 
n° 21.792 – Classe 22ª. Relator: Ministro Caputo Bastos. DJ 21/10/2005. TseSjurPesquisa, 
2005. Disponível em: <https://inter03.tse.jus.br/sjur-consulta/pages/inteiro-teor-
download/decisao.faces?idDecisao=24308&noChache=1785132574>. Acesso em 02 de nov. 
2020 
 
TSE. RECURSO ESPECIAL ELEITORAL: REspeEL 383-32.2012.6.05.0091 - Classe 
32. Relator: Ministro Henrique Neves da Silva. DJ 26/05/2015. JusBrasil, 2015. Disponível 
em:<https://tse.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/468995272/recurso-especial-eleitoral-respe-
3833220126050091-macarani-ba/inteiro-teor-468995317>. Acesso em 02 de nov. 2020. 
 
 
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l4737compilado.htm
http://legislacao.planalto.gov.br/legisla/legislacao.nsf/Viw_Identificacao/lei%209.504-1997?OpenDocument
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9504.htm
https://inter03.tse.jus.br/sjur-consulta/pages/inteiro-teor-download/decisao.faces?idDecisao=24308&noChache=1785132574
https://inter03.tse.jus.br/sjur-consulta/pages/inteiro-teor-download/decisao.faces?idDecisao=24308&noChache=1785132574
https://tse.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/468995272/recurso-especial-eleitoral-respe-3833220126050091-macarani-ba/inteiro-teor-468995317
https://tse.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/468995272/recurso-especial-eleitoral-respe-3833220126050091-macarani-ba/inteiro-teor-468995317
	1. OBJETO:
	1.1 TEMA E PROBLEMA
	1.2 HIPÓTESES
	2. JUSTIFICATIVA
	3. BASE TEÓRICA E CONCEITUAL
	4. OBJETIVOS:
	4.1 GERAL:
	4.2 ESPECÍFICOS:
	5. METODOLOGIA
	6. CRONOGRAMA
	7. REFERÊNCIAS

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.