A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Fisiologia do sistema esquelético

Pré-visualização | Página 1 de 2

MARÍLIA ARAÚJO – P1 
 
Fisiologia do sistema 
esquelético 
Definição 
• O osso é um tipo especializado de tecido 
conjuntivo, que é formado por células e 
material extracelular calcificado, chamado 
de matriz óssea 
Tecido ósseo 
• Suporte estrutural 
• Suporte protetor (reveste todo o SNC – 
encéfalo e medula espinhal, protege os 
órgãos da caixa toráxica) 
• Reserva metabólica (armazena sais 
minerais como cálcio, fosfato) 
• Garantir mobilidade 
Histogênese 
• Ossificação intramambrana - ossos chatos 
ou laminares. Inicia nas células 
conjuntivas de revestimento, pela 
diferenciação de células 
osteoprogenitoras. Ocorre no interior da 
membrana conjuntiva. É o processo 
formador dos ossos frontal, parietal e de 
partes do occipital, do temporal e dos 
maxilares superior e inferior (ossos do 
crânio) 
• Ossificação endocondral - ossos curtos e 
longos. Inicia sobre um molde de 
cartilagem hialina pré-existente com o 
formato do osso, que gradualmente é 
destruído e substituído por tecido ósseo 
formado a partir de células do conjuntivo 
adjacente. Fratura de fácil regeneração 
OBS: Fratura em galho verde – o tecido 
cartilaginoso ainda está sendo convertido em 
tecido calcificado (crianças) 
Tipos de tecido ósseo 
• Tecido ósseo secundário: 
- Remodelação dos ossos a cada 5 anos. 
- É encontrado nos adultos 
- Fibras colágenas organizadas em 
lamelas paralelas umas as outras 
- Se o indivíduo trabalha os ossos através 
de força e impactos mecânicos sobre 
eles, esse remodelamento é mais 
acelerado e a densidade óssea é maior, 
caracterizando um osso mais forte 
- Osteócitos são células que ficam inativas 
no osso (tecido secundário) e ficam 
aprisionadas dentro dos cristais de cálcio, 
porém são mais estáveis, promovem 
melhor vascularização. 
OBS: o osteoblasto é o osteócito ativo e 
faz a deposição de cálcio e fosfato, o 
oestoclasto libera cálcio para a matriz 
óssea ser desfeita. 
 
• Tecido ósseo primário: 
- Proteínas não lamelares 
- Aparece primeiro 
- É gradativamente substituído pelo tecido 
ósseo secundário 
- No adulto é pouco frequente, porém 
persiste próximo às suturas do crânio, nos 
alvéolos dentários (cavidade em que os 
dentes se encaixam), e próximo a alguns 
pontos de iserção dos tendões (estruturas 
que fixam os músculos aos ossos) 
 
OBS: osteoblastos estão mais na ossificação 
primária, e os osteócitos estão mais presentes na 
remodelação óssea (secundária) 
OBS: O colágeno dá rigidez ao osso, sua 
deficiência causa osteoporose, deixando o osso 
poroso (não é causada por deficiência de cálcio) 
• Com a produção da matriz óssea os 
osteoblastos acabam se “aprisionando”, 
originando as lacunas e os canalículos, 
sendo agora chamados de osteócitos. 
Juntamente com a produção da matriz 
óssea, ocorre a invasão do osso pelos 
osteoclastos, que pelo processo de 
MARÍLIA ARAÚJO – P1 
 
reabsorção óssea cria um canal interno, 
formando a cavidade medular 
• Lacunas – espaços onde ficam os 
osteócitos depois que o osso é formado 
• Canalículos – canais que comunicam um 
osteócito com o outro, espalham entre 
eles nutrientes 
• Canal ou cavidade medular – encontrada 
dentro do osso longo 
OBS: Depois que o osso é formado, a nutrição é 
pobre (ocorre por difusão) 
Ossos do adulto 
• Osso compacto/cortical – denso. Dá 
resistência ao osso. Só se desfaz com 
ácido (o osteoclasto usa ácido 
naturalmente para fazer a remodelação 
óssea) 
• Osso esponjoso – parte perfurada. É 
revestido por cartilagem. Diminui o peso 
do osso (quanto maior a cavidade óssea, 
menor o peso. Ex: ossos da face), possui 
travéculas ósseas nas cavidades que 
fazem a distribuição de peso, fortalecendo 
o osso 
• Ossos osteopênicos – ossos fracos. Ex: 
astronautas 
• Linha epifisária – delimita o resquício do 
local onde ocorre o crescimento ósseo 
 
Membranas que revestem os ossos 
• As superfícies internas e externas dos 
ossos são recobertas por células 
osteogênicas e tecido conjuntivo, que 
constituem o endósteo e o periósteo 
• Periósteo – membrana (dupla) que 
reveste o osso por fora (exceto na parte 
cartilaginosa). Entre as membranas há 
nervos e vasos sanguíneos, importantes 
para a nutrição do osso 
• Pericôndrio – membrana fina que reveste 
a cartilagem articular 
• Endósteo – membrana que reveste o osso 
por dentro 
Medula óssea 
• As células do sangue são formadas 
dentro da medula óssea (substância 
presente em maior parte na cavidade dos 
ossos longos). A célula mieloide forma as 
hemácias, as plaquetas e os neutrófilos, e 
a célula linfoide forma os linfócitos. 
MARÍLIA ARAÚJO – P1 
 
• A medula vermelha é mais ativa na 
infância 
OBS: Remodelamento ósseo diminui com o 
passar da idade 
Sistema de Harvers 
 
 
• Osteócitos, canalículos, lacuna, canal de 
havers, vasos sanguíneos 
• Canal de harvers – o vaso sanguíneo 
caminha paralelamente ao osso, a 
distribuição dos vasos dentro dos ossos é 
feita por ele, para levar os nutrientes a 
todas as células desse sistema 
• Canal de volkman – entrada de vasos 
sanguíneos para o interior do osso, se 
comunica com o canal de havers 
OBS: A matriz óssea madura possui cálcio e 
fosfato, que quando se encontram formam a 
hidroxiapatita (cristais) – só se desfazem na 
presença de ácido 
OBS: A maior parte do cálcio do corpo está nos 
ossos 
Regulação do cálcio no sangue 
• A paratireoide produz o paratormônio 
(PTH), que regula o cálcio do sangue, vai 
no osso e tira cálcio dele para jogar no 
sangue 
• A calcitonina produzida pelas células 
parafoliculares da tireoide diminui cálcio 
do sangue e joga no osso 
• Normocalcemia (nível de cálcio no 
sangue): 9-10 mg/dL (acima de 10 – 
hipercalcemia, abaixo de 9 – 
hipocalcemia) 
• Mecanismos para retirada de Ca+2 dos 
ossos pelo PTH: ressorção no osso, 
reabsorção nos rins e absorção no 
intestino 
• O paratormônio e o estrogênio estimulam 
os monoblasbos a formar os osteoblastos 
• Monoblastos – células embrionárias que 
formam os osteoblastos (formam a matriz 
de colágeno), que depois da deposição 
óssea se transformam em osteócitos 
(osteoblastos quiescentes) 
• Osteoclastos – São gigantes e 
multinuclaeados e surgem a partir dos 
macrófagos. São estimulados a desfazer 
a matriz óssea para os ossos serem 
remodelados posteriormente. Libera 
hidrogênio (deixa o meio ácido) e depois 
enzimas, que juntas do hidrogênio 
dissolvem o osso, removendo o cálcio e o 
fosfato dele (além da matriz orgânica). 
Consegue controlar a atividade do 
osteoblasto, pois libera substâncias com 
efeito parácrino, que sinalizam o 
osteoblasto para produzir nova matriz 
• Os osteoblastos, estimulados pelo 
paratormônio, liberam fatores parácrinos 
(citocinas, prostaglandinas, 
proteoglicanos, diferentes fatores de 
crescimento) que recrutam novos 
osteoclastos e/ou ativam os osteoclastos 
maduros 
OBS: O exercício estimula o melhor 
remodelamento ósseo pelo osteoblasto 
Proteínas sintetizadas pelo osteoblasto 
• Colágeno tipo l (95%) 
• Osteopontina – forma a glicoproteína 
MARÍLIA ARAÚJO – P1 
 
• Osteocalcina – regula a mineralização e a 
homeostase óssea 
• Sialoproteína óssea – organiza a matirz 
Produtos dos osteoclastos 
 
*Enzima da reação– anidrase carbônica 
• Liberação de enzimas proteolíticas em pH 
baixo: hidrolases lisossômicas, 
colagenase e gelatinase 
Osso em formação 
• Osteóide – matriz sem mineral, em 
ossificação 
 
Osso formado 
• Ca+2 + fosfato: hidroxiapatita 
 
 
PATOLOGIAS 
• Hiperparatireoidismo primário – adenoma 
(câncer) de paratireoide (produção em 
grandes quantidades do paratormônio, 
que pode causar desequilíbrios na 
produção da matriz óssea) 
• Hiperparatireoidismo secundário – ligado 
à deficiência de vitamina D, insuficiência 
renal, hipercelciúria (eliminação 
aumentada de cálcio na urina) 
• Osteoporose - deficiência na matriz de 
colágeno 
• Osteogênese