A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
QUESTÕES RESPONDIDAS-LABORATÓRIO DE PRÁTICAS FUNCIONAIS

Pré-visualização | Página 1 de 2

Perguntas do Roteiro Respostas 
 
1) O sistema imunológico humano apresenta 
como função primordial a defesa do 
organismo. Explique a origem e a formação 
das células de defesa linfocitárias. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 FUNÇÃO 
 
ORIGEM 
 
 
 
Linfócito é um tipo de leucócito (glóbulo branco) presente 
no sangue. São produzidos pela medula óssea vermelha, 
através das células-tronco linfoides que se diferenciam em 
células pré-búrsicas e pré-timócitos. 
 
-->Os pré-timócitos dão origem aos Linfócitos T que 
por sua vez vão amadurecer no timo 
 
-->As células pré-
búrsicas dão origem aos Linfócitos B e amadurecem na 
própria medula óssea. 
 
-->NK:hemocitoblasto-->célula indiferenciada linfoide--
>linfoblasto-->prolinfócito--> linfócito maduro--> linfócito B-
-> PLASMÓCITO. 
 
-->PLASMÓCITO: hemocitoblasto--
>célula indiferenciada linfoide-->linfoblasto-->prolinfócito--> 
NK. 
 
 2) Por que o linfócito é 
a célula mais prevalente em infecções virais 
em adultos? 
 
 Os linfócitos são um tipo de glóbulo branco que 
desempenha diversas funções no sistema imunológico, 
incluindo a proteção contra bactérias, vírus, fungos e 
parasitas. Os linfócitos normalmente constituem cerca de 20 
a 40% de todos os glóbulos brancos na corrente sanguínea. 
A contagem de linfócitos está normalmente acima de 
1.500 células por microlitro de sangue (1,5 × 
109 por litro) nos adultos e acima de 
3.000 células por microlitro de sangue (3 × 
109 por litro) nas crianças. 
Assim constituem a célula de defesa primária contra 
infecção viral. 
3) Como o sistema imunológico “escolhe” 
o melhor mecanismo de defesa, através da 
 imunidade adaptativa, 
que será usado para eliminar um vírus e uma
 bactéria? 
 
 VÍRUS 
 Na fase inicial das infecções virais, o controle dessas 
infecções é feito pelos interferons tipo I (IFN-α e IFN-β), 
pelos macrófagos e pelas células NK. 21 Os interferons tipo I 
são produzidos por células infectadas por vírus e, ao 
interagir com uma célula não infectada, têm a propriedade 
de protegê-la contra a infecção, além de colaborar com a 
resposta imune adaptativa. O IFNγ também atua contra as 
infecções virais mediante a ativação dos macrófagos com 
destruição dos vírus e também das células NK (células 
citotóxicas naturais), as quais, pela liberação de granzima e 
perfurina, destroem as células infectadas. Adicionalmente, a 
IL-12 possui participação importante na fase inicial, sendo 
produzida por macrófagos e outras células apresentadoras 
de antígenos, estimulando as células NK a exercer 
citotoxicidade e a produzir mais IFN-γ, que por sua vez 
aumenta o potencial microbicida dos macrófagos. 
 A imunidade adaptativa contra os antígenos virais 
ocorre com ativação de células TCD8+ 
que vão exercer citotoxicidade pelo reconhecimento de 
antígenos virais via MHC classe I nas células alvo, 
e consequente liberação de granzima e 
de perfurinas com lise das células infectadas e também 
dos vírus. Durante 
a resposta imune adaptativa há também ativação das 
células TCD4+, que vão colaborar com 
as células B na produção de anticorpos. 
 
BACTÉRIAS 
 Bactérias Intracelulares 
 
 Dentro 
dos macrófagos essas bactérias podem estimular tanto 
as células TCD4+ através da expressão de antígeno 
associado ao MHC classe II, como também células TCD8+ 
através da expressão de antígenos associados a moléculas 
do MHC classe I. A ativação de células TCD4+ leva 
à secreção de IFN-γ, 
que ativa os macrófagos levando à produção aumentada de
 óxido nítrico (NO) e destruição da bactéria. 
As células TCD8+ participam do mecanismo de defesa 
através da citotoxicidade, destruindo os macrófagos 
infectados. 
 
Bactérias Extracelulares 
 
 As infecções causadas por bactérias extracelulares 
são as mais frequentes. 
Nesses casos os mecanismos de defesa estão relacionados 
principalmente com as barreiras naturais do hospedeiro, 
a resposta imune inata e a produção de anticorpos. 
 
 Mecanismos de defesa contra bactérias extracelulares: 
I. Barreiras naturais contra as infecções / Natural barriers 
against infection; 
 II. Imunidade inata / Innate immunity; 
 
1. Moléculas extracelulares (proteína C reativa, 
complemento) / Extracellular molecules (C reactive protein, 
complement); 
2. Células NK, neutrófilos, macrófagos / NK cells, 
neutrophils, macrophages; 
3. Quimiocinas, citocinas / Chemokines, cytokines; 
 
III. Imunidade adquirida / Aquired immunity; 
1. Anticorpos / Antibodies; 
2. Citocinas produzidas por células T / Cytokines produced 
by T cells. 
 
 4) Explique o que é 
e como ocorre a diapedese para 
defender nosso organismo. 
 A diapedese é a passagem dos leucócitos do sangue 
para os demais tecido conjuntivo. Faz-se atravessando os 
vasos capilares. Este processo ocorre geralmente quando 
uma parte do organismo fica lesionada, pelo que o processo 
de inflamação é necessário. Por quimiotaxia, os neutrófilos e 
monócitos são atraídos até o local da inflamação, passando 
a englobar e a destruir os agentes invasores. A diapedese e 
a fagocitose fazem dos neutrófilos a linha de frente no 
combate às infecções. Resumidamente, a diapedese é a 
saída dos glóbulos brancos dos vasos sanguíneos. 
5) Os linfócitos são tipos de leucócitos que 
estão relacionados à defesa principalmente 
através da função de produção de anticorpos
, entretanto, não são todos que realizam 
essa produção. Cite e explique qual é 
o linfócito responsável pela produção de 
anticorpos. 
 Os LB são responsáveis pela imunidade humoral que se 
caracteriza pela produção e liberação de anticorpos capazes 
de neutralizar, ou até mesmo destruir, os antígenos (Ag) 
contra os quais foram gerados. Para tal, os LB devem ser 
ativados, o que acarreta um processo de proliferação e 
diferenciação, que culmina na geração de plasmócitos com 
produção de imunoglobulinas com alta afinidade para o 
epítopo antigênico que originou a resposta. Para ativação, é 
preciso que o BCR ligue-se a um epítopo antigênico, o que 
desencadeia uma sequência de eventos intracelulares. Além 
do reconhecimento do antígeno, a ativação dos LB depende 
também de um segundo sinal ativador. 
6)Cite ao menos duas funções de cada isotipo
 (Ac) (IgA, IgE, IgG, IgM). 
 
 
 
 
 
7) Cite 
e explique as etapas do processamento e 
da apresentação de antígenos no MHC 
de classe I e classe II. 
 CLASSE I 
 
 
 Todas as células nucleadas expressam MHC classe I. 
Proteínas são fragmentadas no citosol 
por proteossomos (um complexo de proteínas com 
atividade proteolítica) ou por outras proteases. Os 
fragmentos são então transportados através da membrana 
do retículo endoplasmático por proteínas de transporte. (As 
proteínas de transporte e alguns componentes 
do proteossomo tem seus genes no complexo MHC). A 
síntese e organização das cadeias pesada e 
beta2 microglobulina ocorre no retículo endoplasmático. No 
interior do retículo endoplasmático, a cadeia pesada do 
MHC classe I, a beta2microglobulina e o peptídio formam um 
complexo estável que é transportado à superfície da célula. 
 
 
 
CLASSE II 
 Enquanto todas as células nucleadas expressam MHC 
classe I, apenas um limitado grupo de células expressam 
MHC classe II, que inclui as células apresentadoras de 
antígenos (APC). As principais APCs são macrófagos, células 
dendríticas (células de Langerhans), e células B, e a 
expressão de moléculas de MHC classe II é tanto 
constitutiva como induzível, especialmente pelo interferon-
gama no caso dos macrófagos. 
 Proteínas exógenas incorporadas por endocitose são 
fragmentadas por proteases em um endossomo. As cadeias 
alfa e beta do MHC classe II, junto com uma cadeia 
invariante, são