A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
EPIDEMIOLOGIA DAS DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS E NÃO TRANSMISSÍVEIS

Pré-visualização|Página 1 de 1

EPIDEMIOLOGIA DAS DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS E NÃO TRANSMISSÍVEIS

Larissa Melo

O conhecimento epidemiológico sobre as doenças transmissíveis e não transmissíveis é essencial, a fim de direcionar corretamente as ações de Vigilância em Saúde e ter êxito para monitorar, analisar, avaliar e divulgar esses dados e indicadores epidemiológicos. Desta forma, é notório que o correto preenchimento dos dados é fator crucial para que a elaboração das intervenções possa ocorrer de maneira adequada.

Um dos principais desafios é a falha na primeira etapa da vigilância epidemiológica, a coleta de dados; os indicadores de saúde como educação, transporte, condições demográficas, são crucias para a terceira etapa, análise e interpretação dos dados coletados, que por muitas vezes, inclusive pela falta de supervisão, estas partes deveriam ser indispensáveis e são na verdade deixadas em branco. A alimentação dos bancos de dados transcorre em caráter contínuo e, dessa maneira, realize-se a promoção das ações de prevenção e controle indicadas.

O Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica no Brasil, foi desenvolvido a partir da década de 70 com a Lei Nº 6.229 de julho de 1975; e é considerável o impacto deste serviço para a saúde e bem-estar da população, quando há um correto serviço de notificações. Através desses serviços foi possível saber: 99% dos casos de malária, doença febril (agente etiológico Plasmodium), se concentram na Amazônia Legal. Estes dados norteiam as equipes de saúde a respeito de para onde devem ser alocados os recursos no combate da Malária, e não simplesmente destinar a mesma quantia para todas as regiões do Brasil.

Torna-se evidente, portanto, que a epidemiologia das doenças transmissíveis e não transmissíveis deve ser um trabalho estimulado pelas Secretárias de Saúde Municipais nos diversos âmbitos de saúde, como exemplo das unidades de Estratégias de Saúde da Família e Hospitais, para que assim as políticas públicas desenvolvidas pelo Estado sejam elaboradas de forma prudente e com um excelente retorno para as comunidades cuja necessidade será evidenciada nos bancos de dados.