A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
adpf701decisaoassinada_030420211732_210403_182902

Pré-visualização|Página 1 de 16

ARG U IÇ Ã O DE D ES C U MP R I M E NT O D E PR E CE I T O F UN D A ME N T A L 7 01
MIN A S GE R A IS
REL A T O R : MI N . NU N E S MA R Q U ES
REQ TE . (S) : ASS O C I A Ç ÃO NA C I O N A L DE JU R I S T A S
EVA N GÉ L I C OS - A NA J U R E
ADV . ( A/S) : RAÍ SS A PAU L A M AR T IN S
INT D O . ( A/S) : GOV E RN A D O R DO E ST A DO DO PI A U Í
PRO C .( A/S) ( ES ) : PRO C UR A DO R -G E R A L DO ES T A DO D O PI A U Í
INT D O . ( A/S) : GOV E RN A D O R DO E ST A DO DE R OR A I M A
PRO C .( A/S) ( ES ) : PRO C UR A DO R -G E R A L DO ES T A DO D E RO R A I MA
INT D O . ( A/S) : PRE F E IT O D O MU N I C Í P I O DE A RMA Ç Ã O D O S
BÚZ I O S /RJ
PRO C .( A/S) ( ES ) : PRO C UR A DO R -G E R A L DO MU N I C Í P I O D E
ARM A Ç Ã O D O S B Ú Z I O S
INT D O . ( A/S) : PRE F E IT O D O MU NI C Í P I O DE BE B E DO U RO /SP
PRO C .( A/S) ( ES ) : PRO C UR A DO R -G E R A L DO MU N I C Í P I O D E
BEB E DO U R O
INT D O . ( A/S) : PRE F E IT O D O MU NI C Í P I O DE RI O BR I L H AN T E /M S
PRO C .( A/S) ( ES ) : PRO C UR A DO R -G E R A L DO MU N I C Í P I O D E RI O
BRI L H AN T E
INT D O . ( A/S) : PRE F E IT O D O MU NI C Í P I O DE CAJ A M A R /SP
PRO C .( A/S) ( ES ) : PRO C UR A DO R -G E R A L DO MU N I C Í P I O D E
CAJ A M A R
INT D O . ( A/S) : PRE F E IT A D O MU N I C Í P I O DE JO Ã O
MON L E VA DE /MG
PRO C .( A/S) ( ES ) : PRO C UR A DO R -G E R A L DO MU N I C Í P I O D E JO Ã O
MON L E VA DE
INT D O . ( A/S) : PRE F E IT O D O MU NI C Í P I O DE MAC A P Á
PRO C .( A/S) ( ES ) : PRO C UR A DO R -G E R A L DO MU N I C Í P I O D E
MACAPÁ
INT D O . ( A/S) : PRE F E IT O D O MU NI C Í P I O DE SE R R I N H A /B A
PRO C .( A/S) ( ES ) : PRO C UR A DO R -G E R A L DO MU N I C Í P I O D E
SER R I NH A
EMENTA: Proibição da realização de cultos
religiosos presenciais. Extrapolação de
Supremo Tribunal Federal
Documento assinado digitalmente conforme MP n° 2.200-2/2001 de 24/08/2001. O documento pode ser acessado pelo endereço
http://www.stf.jus.br/portal/autenticacao/autenticarDocumento.asp sob o código A750-64EC-0DA2-D9AD e senha 5BC3-67ED-7321-17EF

AD PF 7 01 / MG
poderes incompatível com a ordem
constitucional vigente. Liberdade de
conscncia e de crença. Livre exercício dos
cultos religiosos. Garantia de proteção aos
locais e suas liturgias. Reunião de fis.
Aspecto absolutamente essencial da
religião.
D E C I S Ã O
Trata-se de Arguão de D escumprimento de Preceito Fundamental
ADPF, promovida pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos
ANAJURE contra o art. do Decreto n. 31, de 20/03/2020, do Município
de João Monlevade/MG, por entender que, no contexto da implementão
de medidas de enfrentamento da pandemia de COVID-19, foi ferido o
direito fundamental à liberdade religiosa e o princípio da laicidade
estatal, ao ser determinada a suspensão irrestrita das atividades religiosas
na cidade, bem como em face dos DEMAIS DECRETOS ESTADUAIS E
MUNICIPAIS”, os quais teriam imposto violações equivalentes em todo o
país.
A parte autora junta aos autos o Decreto n. 31, de 20/03/2020, do
Município de João Monlevade/MG, que determinou a suspensão
temporária dos alvarás de localização e funcionamento de autorizações, emitidos
para realização de atividades com potencial de aglomeração de pessoas para
enfrentamento da situação de emerncia blica, causa pelo agente coronavírus
COVID 19.
Aponta, ainda, como normas violadoras da liberdade religiosa e da
laicidade estatal, o Decreto n. 1.704/2020, da Prefeitura Municipal de
Macapá/AP, o Decreto n. 18.902, de 23/03/2020, e o Decreto n . 19.013, de
07/06/2020, do Estado do Piauí, o Decreto n. 28.635, de 22/03/2020, do
2
Supremo Tribunal Federal
Documento assinado digitalmente conforme MP n° 2.200-2/2001 de 24/08/2001. O documento pode ser acessado pelo endereço
http://www.stf.jus.br/portal/autenticacao/autenticarDocumento.asp sob o código A750-64EC-0DA2-D9AD e senha 5BC3-67ED-7321-17EF

AD PF 7 01 / MG
Estado de Roraima, o Decreto n. 15/2020, da Prefeitura Municipal de
Serrinha/BA, o Decreto n. 14.052, d e 20/03/2020, o Decreto n. 14.121, de
11/05/2020, o Decreto n. 14.122, de 11/05/2020, e o Decreto n. 14.140, de
29/05/2020, da Prefeitura Municipal de Bebedouro/SP, o Decreto n. 6.228,
de 23/03/2020, e o Decreto n. 6246, de 29/04/2020, da Prefeitura Municipal
de Cajamar/SP, o Decreto n. 28.564, de 21/05/202, do Município de Rio
Brilhante/MS, e o Decreto n. 1.366, de 21/03/2020, da Prefeitura Municipal
de Armão dos Búzios/RJ.
Assevera que os aludidos decretos atentam contra a liberdade de
locomoção (art. , inc. XV, da CF/88), a laicidade do Estado brasileiro
(art. 19, inc. I, da Constituão Federal) e o direito fundamental à
liberdade religiosa (art. , inc. VI, da Carta Magna).
Postulou, ao final, o deferimento de medida cautelar, para que se
determine a suspensão do art. 6, do Decreto n. 031/2020, de João
Monlevade/MG, bem c omo dos demais De cretos Estaduais e Municipais que
determinam a suspensão/vedação/proibição de atividades religiosas e do
funcionamento dos templos religiosos sem qualq uer ressalva sobre a possibilidade
de realização de práticas religiosas que não geram aglomeração ”.
Ante a relevância da matéria c onstitucional suscitada, determinei a
adoção do rito do art. , § , da Lei n. 9.882/999, para que os órgãos e
autoridades responsáveis pelos atos impugnados pudess em se
pronunciar.
Foram solicitadas informões aos Prefeitos Municipais de João
Monlevade/MG, Macapá/AP, Serrinha/BA, Bebedouro/SP, Cajamar/SP,
Rio Brilhante/MS e Armão dos Búzios/RJ, bem como aos Gove rnadores
dos Estados do Piauí e de Roraima, no prazo comum de 05 (cinco) dias.
O Munic ípio de Bebedouro-SP prestou in formões (Peça 30),
sustentando a legitimidade de seu decreto de restrão das atividades
3
Supremo Tribunal Federal
Documento assinado digitalmente conforme MP n° 2.200-2/2001 de 24/08/2001. O documento pode ser acessado pelo endereço
http://www.stf.jus.br/portal/autenticacao/autenticarDocumento.asp sob o código A750-64EC-0DA2-D9AD e senha 5BC3-67ED-7321-17EF