Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
RADIO JORNALISMO E MIDIAS SONORAS

Pré-visualização | Página 1 de 2

11/04/2021 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?p0=74466216&user_cod=2618420&matr_integracao=202002040874 1/4
 
Na chamada Era de Ouro, os programas de auditório, humor e radionovelas influenciavam a vida cultural do país. O rádio
era o veículo queridinho da grande massa. Assinale a afirmativa que melhor dimensiona a grandiosidade desse período e
sua importância na vida cultural e social do Brasil:
As principais características da linguagem jornalística no rádio são:
RADIOJORNALISMO E MÍDIAS SONORAS
Lupa Calc.
 
 
CCA1291_202002040874_ESM 
 
Aluno: GLEICIMARA DE SOUZA DULTERIO Matr.: 202002040874
Disc.: RADIO.MÍD.SONOR 2021.1 EAD (G) / EX
 
Prezado (a) Aluno(a),
 
Você fará agora seu TESTE DE CONHECIMENTO! Lembre-se que este exercício é opcional, mas não valerá ponto para sua
avaliação. O mesmo será composto de questões de múltipla escolha.
Após responde cada questão, você terá acesso ao gabarito comentado e/ou à explicação da mesma. Aproveite para se
familiarizar com este modelo de questões que será usado na sua AV e AVS.
 
 
1.
Havia fartura no número de emissoras AM e FM. A grande diversidade de opções possibilitava o rádio a atender todos
os níveis sociais e culturais, com seus programas de humor, programas de auditório, radionovelas.
Os artistas mais famosos do rádio mostravam seu sucesso em seus shows particulares que lotavam os teatros. A
população pagava caríssimo para ver seus artistas no palco e faziam fila nas calçadas.
Para ter uma ideia da grandiosidade do Rádio Espetáculo, os programas podiam ser vistos pelo público que lotavam os
auditórios das emissoras, que transmitiam tudo ao vivo para o público presente e para o dial. Em meados dos anos
1950, a Rádio Nacional do Rio de Janeiro, tinha 6 grandes estúdios, um deles com capacidade para 496 pessoas no
auditório, e profissionais exclusivos com altos caches como cantores, radioatores, músicos e maestros.
Para ter acesso ao rádio as pessoas precisavam investir um alto valor na aquisição dos aparelhos receptivos, que eram
grandes, importados e pesados. Além disso, pagavam mensalidade para ter acesso a recepção de sinal. Mesmo assim,
a grande massa se esforçava para pagar e acompanhar as radionovelas, programas de humor e programas de
espetáculo.
Os artistas que faziam sucesso na TV recebiam propostas irrecusáveis para brilhar no rádio. Nessa época, a TV era o
veículo das massas e o rádio atendia a elite com shows exclusivos.
 
 
 
Explicação:
Para ter uma ideia da grandiosidade do Rádio Espetáculo, os programas podiam ser vistos pelo público que lotavam os
auditórios das emissoras, que transmitiam tudo ao vivo para o público presente e para o dial. Em meados dos anos 1950, a
Rádio Nacional do Rio de Janeiro, tinha 6 grandes estúdios, um deles com capacidade para 496 pessoas no auditório, e
profissionais exclusivos com altos caches como cantores, radioatores, músicos e maestros.
 
 
 
 
2.
erudição, dinamismo e imparcialidade
simplicidade, clareza e concisão
redundância, erudição e didatismo
versatilidade, simplicidade e formalidade
humor, clareza e subjetividade
javascript:voltar();
javascript:voltar();
javascript:diminui();
javascript:aumenta();
javascript:calculadora_on();
11/04/2021 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?p0=74466216&user_cod=2618420&matr_integracao=202002040874 2/4
Qual foi a primeira emissora de Rádio no Brasil?
Com o surgimento da televisão, na década de 50, o Rádio começou a perder espaço no interesse do público. Mas uma
grande invenção tornou o Rádio muito mais acessível do que era, fazendo com que este meio de comunicação voltasse a ter
o apelo popular. Que transformação foi essa?
Sobre o texto radiofônico, é correto afirmar
Uma rádio decidiu fazer um pequeno programa especial com a busca de referências históricas de sonoridades do rádio. Para
isso, fez chamadas para organizar um trecho em que a sonora ilustrasse o repórter Esso. Tecnicamente, a forma mais
correta de organizar uma chamada como essa é:
 
 
 
Explicação:
simplicidade, clareza e concisão
 
 
 
 
3.
Rádio Sociedade do Rio de Janeiro;
Rádio Roquette Pinto;
Rádio Globo;
Rádio Nacional;
Rádio Tupi.
 
 
 
Explicação:
Rádio Sociedade do Rio de Janeiro;
 
 
 
 
4.
o encampamento do governo federal em relação à Rádio Nacional;
o surgimento dos programas de auditório, que mobilizavam um grande público;
a criação do transistor, que consiste num componente eletrônico que amplifica os sinais elétricos;
o uso de linhas da Companhia Telefônica Brasileira.
o surgimento da frequência modulada;
 
 
 
Explicação:
a criação do transistor, que consiste num componente eletrônico que amplifica os sinais elétricos;
 
 
 
 
5.
Deve ser adjetivado e subjetivo
Deve conter orações subordinadas e inversõe
Deve ser conciso, simples e em ordem direta
Deve ser semelhante ao texto impresso
Deve ser redundante e sofisticado
 
 
 
Explicação:
Deve ser conciso, simples e em ordem direta
 
 
 
 
6.
Chamar um profissional contratado pela empresa de petróleo para falar sobre a 2ª Guerra Mundial, dando o tom
necessário de seriedade.
Era um noticiário exclusivo patrocinado por uma empresa de óleos lubrificantes. Então, o ideal é que se desista, uma
11/04/2021 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?p0=74466216&user_cod=2618420&matr_integracao=202002040874 3/4
As principais características da linguagem jornalística são:
Eram características do Repórter Esso:
Ao compararmos as definições de rádio tradicional e rádio na era digital devemos atentar para:
vez que o público atual não terá referência para compreender o programa especial.
Contar como foi primeiro noticiário pensado exclusivamente para o rádio, demonstrando aspectos dessa identidade,
revezando entre a chamada e explicações ao público.
Recriar a explicação de como os noticiários da TV e do rádio possuem a mesma linguagem, com abertura, seguido de
escalada e entrevistas.
As reportagens especiais de rádio precisam de um forte teor histórico, pelo compromisso do rádio com a verdade.
Sendo assim, é importante utilizar momentos emblemáticos, como, por exemplo, a chamada após o suicídio de
Getúlio Vargas.
 
 
 
Explicação:
Contar como foi primeiro noticiário pensado exclusivamente para o rádio, demonstrando aspectos dessa identidade, revezando
entre a chamada e explicações ao público.
 
 
 
 
7.
versatilidade, simplicidade e formalidade
humor, clareza e subjetividade
redundância, erudição e didatismo
erudição, dinamismo e imparcialidade
simplicidade, clareza e concisão
 
 
 
Explicação:
simplicidade, clareza e concisão
 
 
 
 
8.
jornal com a participação de ouvintes no ar, que alertavam sobre as notícias de utilidade pública, como trânsito e
obras em geral;
os horários eram veiculados ao mesmo tempo em todas as emissoras que transmitiam o noticiário.
noticiário de grande duração. Correspondia a uma versão radiofônica dos periódicos impressos, reunindo várias
formas jornalísticas como boletins, comentários, editoriais e entrevistas;
a especialidade de cobertura era o Carnaval. Os repórteres chegavam a falar de 40 pontos diferentes;
modelo de texto linear, direto, corrido e sem adjetivações, sendo um noticiário ágil e estruturado;
 
 
 
Explicação:
modelo de texto linear, direto, corrido e sem adjetivações, sendo um noticiário ágil e estruturado;
 
 
 
 
9.
Nenhuma das alternativas
O rádio tradicional, que continua existindo, não aceita as formas que se intitulam como rádio da era digital ¿ afora o
rádio digital como novo meio de produção do rádio terrestre ¿ entendendo manifestações do tipo web rádio, podcasts,
entre outros, como uma outra mídia.
O rádio tradicional pautava-se nas recepções das ondas hertzianas, ainda que pudesse ser retransmitido por outras
mídias. O rádio da era digital é uma linguagem, reconhecido não pela tecnologia adotada, mas pela forma utilizada.
O rádio tradicional possuía uma linguagem formal, estruturada como um meio de comunicação oficial, pois constituía
a imprensa.
Página12