A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
ESTUDO DIRIGIDO COM RESPOSTAS - Sondagem Nasogástrica e Nasoenteral

Pré-visualização | Página 1 de 2

ESTUDO DIRIGIDO – SNG, SNE, SR. 
1. O QUE É SONDAGEM NASOGÁSTRICA? 
2. QUAIS AS FINALIDADES PARA A SONDAGEM NASOGÁSTRICA? 
3. QUAIS AS CONTRA INDICAÇÕES PARA A SONAGEM NASOGÁSTRICA? 
4. QUAIS OS MATERIAIS PARA A PASSAGEM DE SONDA NASOGÁSTRICA? 
5. QUAL A POSIÇÃO INDICADA PARA O PACIENTE PARA PASSAGEM DA SONDA NG? 
COMO É FEITO A MENSURAÇÃO DO TAMANHO DA SONDA NASOGÁSTRICA NO 
PACIENTE? 
6. EXPLIQUE A TÉCNICA DA PASSAGEM DE SONDA NASOGÁSTRICA 
7. O QUE O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM DEVE OBSERVAR DURANTE A 
PASSAGEM DA SONDA NASOGÁSTRICA (SINAIS E SINTOMAS) QUE INDICAM A 
POSSIBILIDADE DE DESVIO DO TRAJETO DA SONDA? 
8. EXPLIQUE QUAIS SÃO OS TESTES DE CONFIRMAÇÃO DE ALOCAÇÃO DA SONDA 
9. QUAL A SONDA PARA PASSAGEM NASOGÁSTRICA? QUAIS AS DIFERENÇAS ENTRE 
A NASOGÁSTRICA E A NASOENTERAL? (CARACTERÍSTICA DA SONDA, LOCAL DE 
DESTINO, CUIDADOS ESPECÍFICOS) 
10. EXPLIQUE A TÉCNICA DA ADMINISTRAÇÃO DE ALIMENTOS PELA SONDA 
NASOGÁSTRICA, E OS CUIDADOS GERAIS. 
11. O QUE É SONDAGEM RETAL? 
12. QUAIS SÃO AS FINALIDADES PARA PASSAGEM DE SONDA RETAL? 
13. QUAL A POSIÇÃO IDEAL PARA A PASSAGEM DA SONDA RETAL? JUSTIFIQUE. 
14. QUAIS SÃO OS MATERIAIS PARA PASSAGEM DA SONDA RETAL? 
15. EXPLIQUE A TÉCNICA DA PASSAGEM DE SONDA RETAL. 
16. EXPLIQUE OS CUIDADOS DURANTE A PASSAGEM DA SONDA RETAL. 
17. PONTOS DE ATENÇÃO; REGISTRO DAS ELIMINAÇÕES – INVESTIGAÇÃO DE 
SANGUE OCULTO – HIGIENE INTIMA. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1. O QUE É SONDAGEM NASOGÁSTRICA? 
É a introdução de uma sonda / cateter através do nariz até o estômago. 
2. Quais as finalidades para a sondagem nasogástrica? 
• LAVAGEM GÁSTRICA 
• COLETA DE MATERIAL PARA EXAME DE LAVADO GÁSTRICO 
• DRENAGEM DE CONTEÚDO GÁSTRICO 
• ADMINISTRAR MEDICAMENTOS E DIETAS 
 
3. Quais as contra indicações para a sonagem nasogástrica? 
• FRATURA DE BASE DE CRÂNIO 
• CIRURGIA NASAL RECENTE 
• ESTENOSE DE ESÔFAGO 
• VARIZES DE ESÔFAGO 
• ALTERAÇÕES EM COAGULAÇÃO 
 
4. Quais os materiais para a passagem de sonda nasogástrica? 
• SONDA TIPO LEVINE 
• SERINGA DE 20 ML 
• LUBRIFICANTE HIDROSOLÚVEL (XYLOCAÍNA GEL/LIDOCAÍNA GEL SEM 
VASOCONSTRITOR) 
• GAZE 
• ESPARADRAPO/MICROPORE 
• CUBA RIM /BANDEJA 
• EPI – LUVA PROCEDIMENTO/ÓCULOS/MÁSCARA 
• ESTETOSCÓPIO 
• BIOMBO 
• TOALHA DE ROSTO 
• COLETOR SISTEMA ABERTO (SE FINALIDADE FOR PARA DRENAGEM) 
 
5. Qual a posição indicada para o paciente para passagem da Sonda NG? 
Decúbito elevado ou Fowler 
6. Como é feito a mensuração do tamanho da sonda nasogástrica no 
paciente? 
Ponta do nariz ao lóbulo da orelha até o apêndice xifoide (osso esterno 
região mediana torácica) 
7. Explique a técnica da passagem de sonda nasogástrica 
1. HIGIENIZAR AS MÃOS, REUNIR MATERIAL 
2. ORIENTAR O PACIENTE/FAMILIARES SOBRE PROCEDIMENTO, MOTIVO E SOLICITAR 
COLABORAÇÃO 
3. POSICIONAR PACIENTE EM DECÚBITO ELEVADO – FOWLER OU SENTADO 
4. COLOCAR EPI (LUVA, MÁSCARA, ÓCULOS). 
5. COLOCAR A TOALHA SOBRE O TÓRAX DO PACIENTE, HIGIENAR AS NARINAS 
6. MEDIR A DISTÂNCIA DA SONDA, DO LÓBULO DA ORELHA A BASE DO NARIZ ATÉ O 
APENDICE XIFOÍDE, MARCAR NA SONDA COM CANETA APROPRIADA OU COM 
ESPARADRAPO 
7. LUBRIFICAR A SONDA ATÉ 10 CM DA PONTA DO CATETER 
8. MANTER O PESCOÇO DO PACIENTE EM FLEXÃO DURANTE A INTRODUÇÃO DA 
SONDA PELA NARINA, SOLICITAR QUE ELE DEGLUTA A PASSAGEM DO CATETER DA 
EPIGLOTE PARA O ESTÔMAGO 
9. INTRODUZIR A SONDA ATÉ A MARCA REALIZADA COM ESPARADRAPO/CANETA 
10. REALIZAR OS TESTES DE LOCALIZAÇÃO 
11. FECHAR A SONDA, RETIRAR OS EPI, LAVAR AS MÃOS E DEIXAR A UNIDADE EM 
ORDEM 
12. REGISTRAR NO PRONTUÁRIO O PROCEDIMENTO 
 
 
8. O que o profissional de enfermagem deve observar durante a 
passagem da sonda nasogástrica (sinais e sintomas) que indicam a 
possibilidade de desvio do trajeto da sonda? 
OBSERVAR SINAIS: TOSSE, DISPNEIA, AGITAÇÃO, CIANOSE – DESVIO DO TRAJETO 
PARA A TRAQUEIA E NÁUSEAS – ESTíMULO DA EPIGLOTE, POSSÍVEL REFLUXO DE 
CONTEÚDO GÁSTRICO OU ÊMESE. 
OBSERVAR DIFICULDADE DE VOCALIZAÇÃO (FALA) – DESVIO DO TRAJETO PARA A 
TRAQUEIA, A SONDA PASSA PELAS CORDAS VOCAIS E O PACIENTE NÃO CONSEGUE 
VOCALIZAR (FALAR). 
 
9. Explique quais são os testes de confirmação de alocação da sonda 
TESTE DO REFLUXO GÁSTRICO - ADAPTAR A SERINGA AO CATETER E ASPIRAR 
CONFIRMANDO CONTEÚDO GÁSTRICO. 
AUSCULTA – POSICIONAR ESTETO SOBRE A REGIÃO GÁSTRICA E INJETAR 
RAPIDAMENTE 10ML DE AR, RUIDO HIDROAÉREO PRESENTE (SOM DE RUIDO 
BORBULHANTE), CATETER ALOCADO NO ESTÔMAGO – PRIVATIVO DO ENFERMEIRO. 
 
10. Qual a sonda para passagem nasogástrica? Quais as diferenças entre a 
nasogástrica e a nasoenteral? (característica da sonda, local de destino, 
cuidados específicos) 
A SONDA PARA PASSAGEM NASOGÁSTRICA É A LEVINE. 
DIFERENÇAS : A SONDA NASOGÁSTRICA É DE PVC, RÍGIDA, TRANSPARENTE, 
ALOCADA NO ESTÔMAGO, PROCEDIMENTO REALIZADO PELO AUXILIAR, TÉCNICO 
DE ENFERMAGEM. A SONDA NASOENTERAL É MATERIAL FLEXÍVEL, POSSUÍ FIOGUIA 
RADIOPACO, ALOCADA NO INTESTINO, PROCEDIMENTO REALIZADO PLEO 
ENFERMEIRO. 
CUIDADOS ESPECÍFICOS: 
SNG- SEMPRE REALIZAR A CONFIRMAÇÃO POR REFLUXO ANTES DE INTRODUZIR 
MEDICAÇÕES E DIETAS; 
 
SNE – INICIAR A DIETA SOMENTE APÓS CONFIRMAÇÃO ATRAVÉS DE RAIOX. 
SEMPRE REALIZAR A CONFIRMAÇÃO POR REFLUXO ANTES DE INTRODUZIR 
MEDICAÇÕES E DIETAS 
 
 
11. Explique a técnica da administração de alimentos pela sonda 
nasogástrica, e os cuidados gerais. 
TÉCNICA DE ADMINISTRAÇÃO DE DIETA 
1 – REUNIR O MATERIAL, LAVAR AS MÃOS; 
2 – CONFIRMAR DIETA PRESCRITA; 
3 – CONFIRMAR IDENTIDADE DO PACIENTE, ORIENTAR QUANTO AO PROCEDIMENTO 
QUE SERÁ REALIZADO; 
4 – POSICIONAR PACIENTE NO LEITO E ELEVAR O DECÚBITO EM FOWLER; 
5 – CALÇAR AS LUVAS DE PROCEDIMENTO; 
6 - RETIRAR O AR DO SISTEMA (EQUIPO) PREENCHENDO COM A DIETA E 
ASSEGURANDO QUE NÃO TENHA AR NO INTERIOR DO EQUIPO; 
7– CONFIRMAR A POSIÇÃO DA SONDA ATRAVÉS DA ASPIRAÇÃO DO SEU CONTEÚDO 
UTILIZANDO A SERINGA DE 20 ML; 
8 – INSTALAR A DIETA (CONECTAR A DIETA AO EQUIPE AO CATETER); 
9 – CALCULAR O GOTEJAMENTO CONFORME PRESCRITO. NUNCA PODERÁ SER 
INFERIOR A UMA HORA, DE 60 A 120 MINUTOS (SE POR GRAVIDADE); POR SERINGA 
MAIOR QUE 30 MINUTOS; PROGRAMAR NA BOMBA DE INFUSÃO COM USO DE 
EQUIPO PRÓPRIO (VOLUME – TEMPO). 
10 – RETIRAR AS LUVAS; LAVAR AS MÃOS; REGISTRAR NO PRONTUÁRIO DO PACIENTE 
 
11 - AO TÉRMINO DA DIETA: 
FECHAR O EQUIPO, INSTALAR ÁGUA CONFORME PRESCRIÇÃO MÉDICA PARA LAVAR 
A SONDA E RETIRAR RESÍDUOS. UTILIZAR 20 ML DE ÁGUA FILTRADA CASO NÃO ESTEJA 
PRESCRITO QUANTIDADES MAIORES. 
 
CUIDADOS GERAIS 
SEMPRE REALIZAR A CONFIRMAÇÃO POR REFLUXO ANTES DE INTRODUZIR 
MEDICAÇÕES E DIETAS; 
MANTER FIXAÇÃO DA SONDA LIMPA E SECA; 
LAVAR A SONDA APÓS AS DIETAS COM 20 ML DE ÁGUA FILTRADA 
MANTER PACIENTE DECÚBITO ELEVADO DURANTE A ADMINISTRAÇÃO DA DIETA E 
PELO MENOS ATÉ 30 MINUTOS APÓS O TÉRMINO 
CONTROLAR A VELOCIDADE DA INFUSÃO 
 
 
12. O que é sondagem retal? 
INTRODUÇÃO DO CATETER NO ÂNUS PARA ADMINISTRAÇÃO DE LÍQUIDO NO 
INTESTINO 
13. Quais são as finalidades para passagem de sonda retal? 
• ALIVIAR DISTENSÃO ABDOMINAL, FLATULÊNCIA E CONSTIPAÇÃO; 
• FACILITAR A ELIMINAÇÃO DE FEZES; 
• REMOVER O SANGUE NO CASO DE SANGRAMENTO GÁSTRICO RESIDUAL 
(MELENA); 
• INTRODUZIR MEDICAMENTOS 
• PREPARAR O CLIENTE PARA CIRURGIAS, EXAMES ENDOSCÓPIOS, 
RADIOGRAFIAS. 
 
14. Qual a posição ideal para a passagem da sonda retal? Justifique. 
• POSIÇÃO DE SIMS, O POSICIONAMENTO LATERALIZADO COM PERNA DIREITA 
FLETIDA E A ESQUERDA ESTICADA FAVORECE A INTRODUÇÃO DA SONDA ATÉ O 
INTESTINO, REDUZ O DESCONFORTO, PREVINE LESÕES E FACILITA A INFUSÃO DE 
LIQUIDO. 
15. Quais são os materiais para passagem da sonda retal? 
Bandeja contendo: 
• XYLOCAÍNA GEL 
• SONDA RETAL Nº 16 A 22 
• EQUIPO 
• GAZE 
• LUVA DE PROCEDIMENTO 
• BIOMBO 
• COMADRE /FRALDA 
• SOLUÇÃO PRESCRITA – SOLUÇÃO GLICERINADA 12% 
 
16. Explique a técnica da passagem de sonda retal. 
1. SEPARAR O MATERIAL A SER UTILIZADO EM UMA BANDEJA 
2. LAVAR AS MÃOS 
3. EXPLICAR O PROCEDIMENTO AO CLIENTE 
4. PRÉ-AQUECER A