A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
especialidade-clinica

Pré-visualização | Página 4 de 11

a 0,9% - 250ml/h e insulina regular 0,1UI/kg/h em bomba de infusão 
contínua. 
b) Solução salina a 0,9% + 5ml de KCl a 19,1% - 250ml/h e insulina regular 0,1UI/kg/h em 
bomba de infusão contínua. 
c) Solução salina a 0,9% - 250ml/h, insulina regular 0,1UI/kg/h em bomba de infusão contínua 
e bicarbonato de sódio a 8,4% 50 ml EV em 30 minutos. 
d) Solução salina a 0,9% + 5ml de kcl a 19,1% - 250ml/h sem iniciar iniciar insulinoterapia, 
além de bicarbonato de sódio a 8,4% 50ml EV em 30 minutos. 
 
22) Paciente de 45 anos, gênero masculino, realiza acompanhamento ambulatorial por 
hipertensão arterial desde os 30 anos. Encontra-se em uso regular das seguintes medicações: 
enalapril 10mg 12/12h, hidroclorotiazida 25mg/dia, anlodipina 10mg/dia e atenolol 25mg 
12/12h. Ao exame físico apresenta ausculta cardíaca com ritmo irregular e sem sopros, 
ausculta pulmonar sem anormalidades e membros inferiores sem edemas. Peso de 68kg, com 
IMC de 24kg/m2. Realizou MAPA recentemente cuja média do período das 24 horas foi de 
150x95mmHg, com ausência de descenso noturno. Eletrocardiograma evidenciou ritmo de 
fibrilação atrial sem sinais de sobrecarga ventricular esquerda. Fundo de olho sem 
anormalidades. Reporta histórico familiar de irmão hipertenso desde os 26 anos de idade, 
tendo sofrido AVC isquêmico aos 39 anos. Levando-se em conta este caso clínico assinale a 
alternativa correta: 
a) O rastreamento da principal hipótese diagnóstica deve ser feito com dosagem da 
aldosterona sérica e atividade plasmática de renina, com orientação para suspensão do 
betabloqueador antes da realização dos exames. 
b) Provavelmente trata-se de um caso de hipertensão secundária de etiologia renal, estando 
indicado além da dosagem da creatinina e urina 1 a realização de us doppler de artérias 
renais. 
c) A ausência de descenso noturno na mapa sugere que a principal hipótese diagnóstica seja 
síndrome da apnéia obstrutiva do sono, estando indicada realização de polissonografia. 
d) Trata-se de um paciente de alto risco cardiovascular, preenchendo critérios de hipertensão 
resistente, porém sem justificar até este momento a investigação de causas secundárias. 
Especialidades Clínicas 8 
 
23) Paciente de 48 anos, gênero masculino, é admitido em unidade de emergência por sonolência 
e desorientação no tempo e espaço há 48 horas. Segundo familiares, ele queixava-se de 
astenia e tosse seca há 2 meses, associado à dificuldade para concentração e intensa 
ansiedade. Não conseguiam estimar, mas sugeriam que o paciente havia perdido peso diante 
da frouxidão das roupas. Não possuía antecedentes patológicos conhecidos e não fazia uso 
de fármacos. Ao exame físico apresentava-se em REG, desidratado ++/4, FR=28ipm, 
FC=90bpm, ausculta pulmonar sem anormalidades. Na inspeção cutânea era possível 
evidenciar erupção de protuberâncias avermelhadas em membros inferiores. Na região 
cervical era possível palpar linfonodos bilateralmente. Foram colhidos exames laboratoriais 
que evidenciaram: Na=145mmol/l, K=3,9mmol/l, hemograma (Ht = 48% leucometria = 
5000/mm3 plaquetas = 350mil/mm3), Ca = 13,5mg/dl, Mg = 2,5mg/dl, creatinina = 1,7mg/dl, 
bilirrubinas totais = 1,1mg/dl. Diante destes, o paciente foi submetido à hidratação com 
solução salina a 0,9% e foi colhida nova amostra de sangue para exames; 25(OH)vitamina D = 
24ng/ml (referência de 20 a 60ng/ml) e 1,25(OH)2vitamina D = 125pg/ml (referência de 15 a 
90pg/ml). A dosagem de PTH foi realizada porém não ainda não estava disponível. Com 
relação a este caso clínico assinale a alternativa correta: 
a) Provavelmente o pth deve estar elevado, justificando o aumento da conversão da 
25(oh)vitamina d em 1,25(oh)2vitamina d. 
b) Provavelmente trata-se de hipercalcemia da malignidade, sendo esperado pth baixo, uma 
vez que sua fisiopatologia está relacionada à produção de pthrp. 
c) Provavelmente trata-se de uma síndrome hipercalcêmica que deve responder à 
prednisona 1mg/kg. 
d) Neste caso o uso de bisfosfonatos está contra-indicada pela piora da função renal, sendo 
preferível como alternativa a prescrição da calcitonina de salmão. 
 
24) Homem de 46 anos, hipertenso, é avaliado no Centro de Dor Torácica do HB com queixa de 
dor precordial em queimação, há 2 horas, de moderada intensidade, com irradiação para o 
MSE e desencadeada ao esforço. Relata diaforese associada. Ao exame físico apresenta PA: 
140 x 90 mmHg, FC: 88 BPM, exame físico normal. O ECG mostrou onda T invertida 2mm nas 
derivações V1-V4. Os valores de Troponina T (TnT) ultrassensível (limite superior da 
normalidade = 14ng/L) foram 19, 57 e 178 ng/L nas dosagens de admissão, e após três e seis 
horas. De acordo com a Quarta Definição Universal de IAM, assinale a resposta incorreta. 
a) O diagnóstico de IAM do tipo I correlaciona com erosão ou ruptura de placa aterosclerótica 
resultando no fenômeno de aterotrombose. 
b) Este paciente tem diagnóstico de infarto agudo do miocárdio (IAM) do tipo V (cinco) devido 
a presença de elevação da TnT acima do limite superior com delta + alterações 
eletrocardiográficas sugestivas de isquemia. 
c) A demonstração de trombo intracoronariano neste contexto clínico poderá confirmar o 
diagnóstico de IAM tipo I. 
d) O IAM tipo III é feito em pacientes com sintomas e alterações eletrocardiográficas 
sugestivas de isquemia miocárdica, mas com morte súbita antes da dosagem de 
biomarcadores. 
 
25) Em relação ao paciente relatado na questão anterior responda: De acordo com a Quarta 
Definição Universal de IAM, assinale a resposta correta. 
a) As variações de delta de troponina ultrassensível avaliadas em números absolutos são 
superiores aos deltas percentuais (relativos) especialmente quando o valor inicial está 
elevado. 
b) O limite superior da normalidade (acima do percentil 99%) tem o mesmo valor padronizado 
para os diferentes kits, de TnT e TnI, disponíveis no mercado. 
c) No caso das troponinas ultrassensíveis uma única dosagem na admissão é suficiente para 
confirmar o diagnóstico de IAM no contexto clínico apresentado. 
d) Os elementos apresentados no caso clínico não são suficientes para o diagnóstico de IAM 
sem supradesnível do segmento ST, que deverá ser confirmado durante a realização da 
cineangiocoronariografia. 
Especialidades Clínicas 9 
 
26) Em relação às síndromes demenciais, é correto a afirmar: 
a) A DFT é a segunda causa de demência mais frequente, principalmente entre mulheres. 
b) História familiar positiva para Doença de Alzheimer aumenta o risco de DA, independente 
da idade de início da demência. 
c) Apenas benzodiazepínicos e anticolinérgicos estão relacionados a medicamentos que 
podem causar demência reversível 
d) O tratamento de DA consiste no uso de inibidores de colinesterase, com resposta 
terapêutica discreta, e principalmente educação dos familiares/cuidadores quanto à 
evolução da doença e cuidados com o paciente com demência. 
 
27) Paciente masculino, 84 anos, casado, portador de Hipertensão arterial, diabetes mellito, 
hipoacusia e osteoartrite. Comparece a consulta de rotina para realização de exames, conta 
que há 1 ano esteve em consulta com clínico geral, e que estava muito bem e seus exames 
foram “comparados a de um jovem”. Faz uso de clortalidona 50 mg/dia, metformina 850 mg 2 
X/dia, e glibenclamida 5 mg/dia. Não trazia queixas espontâneas, mas quando questionado 
contava: cansaço a pequenos esforços há 1 ano, dores pelo corpo quando se levanta, 
sintomas que imputa a necessidade de cuidar da esposa que é portadora de Doença de 
Alzheimer. Sofreu queda há mais ou menos 6 meses, e com medo, deixou de sair de casa, 
sendo que os afazeres externos, como compras e controle de finanças, passaram a ser feitos 
por vizinho que o ajuda duas vezes por semana nessas tarefas. Tem uma faxineira que vai 
semanalmente em sua casa. Emagreceu 5 quilos esse ano, está comendo pouco, se sente 
cansado e desanimado por dormir pouco preocupado com a esposa, e gostaria de 
permanecer bem para cuidar dela. Tem um casal