A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
Anatomia 1

Pré-visualização | Página 2 de 4

aos planos mediano e frontal, dividindo-o em 
partes superior e inferior. (KAWAMOTO, 2018)
Eixos
Os eixos anatômicos são formados pelo encontro de dois planos:
• O eixo sagital ou anteroposterior: é formado pela intersecção do plano sagi-
tal com o plano transversal;
• O eixo longitudinal ou crânio-sacral: é formado pela intersecção do plano 
coronal com o plano sagital;
• O eixo transversal ou latero-lateral: é formado pela intersecção do plano 
transversal com o plano coronal. 
Explore mais detalhes sobre nomenclatura anatômica. Disponível em: https://bit.ly/2UINJjS
Ex
pl
or
10
11
Figura 1 – Representação esquemática dos Planos Anatômicos
Fonte: Wikimedia Commons
Princípios Gerais de Construção 
do Corpo Humano
A constituição do corpo humano é fundamentada por quatro princípios: anti-
meria, metameria, paquimeria e estratificação:
• Antimeria baseia-se no princípio de que o corpo humano é construído por 
duas metades aparentemente simétricas; 
• Metameria o corpo humano seria construído por meio de peças sobrepostas 
no sentido longitudinal, separadas por planos transversais; 
• Paquimeria baseia-se na construção por dois tubos, um dorsal (neural) e outro 
ventral (visceral); 
• Estratimeria é o princípio pelo qual o corpo humano é construído por cama-
das sobrepostas que, da superfície corpórea para a profundidade, são: pele, 
tela subcutânea, tecido adiposo, fáscia muscular, músculos e ossos. 
11
UNIDADE Introdução ao Estudo da Anatomia 
e aos Sistemas do Corpo Humano
Divisão do Corpo Humano
Classicamente, o corpo humano é dividido externamente em cabeça (crânio e 
face), pescoço, tronco (tórax, abdômen e pelve), membros inferiores (coxas, pernas 
e pés) e membros superiores (ombros, braços, antebraços e mãos) (Figura 2).
Figura 2 – Divisão clássica do corpo humano
Fonte: Wikimedia Commons
Sistemas do corpo humano
A Anatomia sistêmica é o estudo dos Sistemas que atuam em conjunto para 
realizar funções complexas. 
Os Sistemas do corpo humano são capazes de regular as funções vitais de cada 
organismo, mas nenhum sistema funciona sozinho. 
Para fins didáticos e funcionais, esses sistemas podem ser denominados pri-
mordialmente como: Sistema Tegumentar (Dermatologia), Sistema Esquelético 
12
13
(Miologia), Sistema Articular (Artrologia), Sistema Muscular (Miologia), Sistema 
Nervoso (Neurologia), Sistema Circulatório (Angiologia), Sistema Cardiovascular 
(Cardiologia), Sistema Linfático, Sistema Digestório (Gastrenterologia), Sistema 
Respiratório (Pneumologia), Sistema Urinário (Urologia), Sistema Genital (Gineco-
logia para mulheres e Andrologia para homens), Sistema Endócrino (Endocrinolo-
gia) (MOORE; DALLEY; AGUR, 2018).
O Sistema Cardiovascular 
O corpo deve fornecer energia suficiente para que possa ser gasta por seus 
tecidos vivos, sendo o Sistema Cardiovascular (Figura 3) o conjunto de órgãos que 
tem como principal função a responsabilidade de transportar o oxigênio e esses 
nutrientes a todas as células do corpo. 
Esses elementos são direcionados para os tecidos corporais por um Sistema 
Circulatório. O Sistema Circulatório é impulsionado por uma bomba muscular, 
pelo Sistema Cardíaco, muito esforçado – o coração – e atinge os tecidos por 
meio de canais que se estreitam continuamente, chamados de vasos sanguíneos 
(HARTWIG, 2008).
Figura 3 – Coração humano e sistema cardiovascular
Fonte: Getty Images
Por normatização, os vasos em azul representam as veias e os vasos em verme-
lho representam as artérias
Veja a seguir quais são os principais órgãos do Sistema Cardiovascular e algu-
mas de suas características (HARTWIG, 2008; RIZZO, 2012; MOORE; DALLEY; 
AGUR, 2018; KAWAMOTO, 2018):
13
UNIDADE Introdução ao Estudo da Anatomia 
e aos Sistemas do Corpo Humano
Sangue
Sangue é um material líquido que transporta os nutrientes e a oxigenação para 
as células e os tecidos do corpo. É bombeado para o corpo em um Sistema fecha-
do, dentro de vasos, bombeado pelo coração, e é amplamente rico em nutrientes. 
Ele é um tecido conjuntivo altamente especializado, constituído por dois compo-
nentes: “Os elementos figurados do sangue, ou células sanguíneas, e a parte líquida 
do sangue ou plasma. Os elementos figurados do sangue são os glóbulos vermelhos 
(eritrócitos), os glóbulos brancos (leucócitos) e as plaquetas”.
O coração
O coração é o “motor” do Sistema Circulatório. Sua função é bombear o sangue, 
de forma que chegue a todo corpo. Com isso, o sangue, que é rico em oxigênio e 
nutrientes, pode atingir as células do corpo. Uma circulação completa inclui duas 
passagens pelo coração: uma em direção ao corpo (grande circulação) e a outra em 
direção ao pulmão (pequena circulação).
O tecido muscular que forma o coração é de um tipo de tecido muscular estriado 
especial (presente apenas no coração), chamado de tecido muscular estriado cardí-
aco, o qual tem como principal característica a capacidade de autoestimulação, não 
dependendo de um estímulo nervoso para iniciar a contração. 
Em relação à classificação de camadas musculares, o coração é classificado como:
• A camada mais externa recebe o nome de: epicárdio;
• A camada média recebe o nome de: miocárdio;
• A camada mais interna recebe o nome de: endocárdio;
• Existe, ainda, uma membrana que envolve o coração, chamada: pericárdio.
O coração é dividido em quatro câmaras, duas superiormente (átrios) e duas 
inferiormente (ventrículos):
• O átrio direito: recebe o sangue pobre em oxigênio através da veia cava supe-
rior, da veia cava inferior e da veia coronária;
• O ventrículo direito: encaminha o sangue pobre em oxigênio para o pulmão 
através da artéria do tronco pulmonar;
• O átrio esquerdo: recebe o sangue rico em oxigênio por meio das veias pulmonares;
• Ventrículo esquerdo: encaminha o sangue rico em oxigênio para todo o or-
ganismo, por meio da artéria aorta.
 A valvas cardíacas (ou válvulas cardíacas) têm a função de impedir o retorno do 
sangue. Essas estruturas fecham-se e se abrem passivamente por uma diferença 
pressórica que ocorre durante a contração. 
• Estrutura: composta por cúspides (válvulas), cordas tendíneas e músculos pa-
pilares (os músculos papilares contraem-se junto com os ventrículos, puxando 
14
15
as cúspides em direção a eles, evitando prolapso valvar). A comissura é o pon-
to de união das cúspides;
• A valva atrioventricular direita (ou tricúspide): permite a passagem do san-
gue venoso do átrio direito para o ventrículo direito;
• A valva do tronco pulmonar: permite a passagem do sangue venoso do ven-
trículo direito para a artéria pulmonar;
• A valva atrioventricular esquerda (ou mitral): permite a passagem do san-
gue arterial do átrio esquerdo para o ventrículo esquerdo;
• A valva aórtica: permite a saída do sangue arterial do ventrículo esquerdo 
para a artéria aorta.
Vasos Capilares
São as veias, artérias e capilares, sendo que as artérias são mais largas e fle-
xíveis, as veias são mais finas, mas igualmente resistentes (isso porque as veias 
circulam sangue em locais de baixa pressão, portanto precisam ser resistentes), e 
os capilares são os menores vasos sanguíneos e servem de canal de transição das 
artérias para as veias.
Vasos sanguíneos
• Artérias: são vasos que, predominantemente, transportam sangue rico em 
oxigênio que saem do coração;
• Arteríola: ramificação da artéria;
• Capilar arterial: ramificação mais fina de uma artéria, local em que se realiza 
a a troca gasosa e de nutrientes do sangue para os tecidos;
• Capilar venoso: ramificação mais fina do que uma veia;
• Vênula: continuação do capilar arterial;
• Veia: vasos que, predominantemente, transportam sangue pobre em oxigênio 
e rico em metabólitos, vasos que chegam ao coração (Figura 4).
Sistema da Circulação Sanguínea
Ciclo cardíaco
• Sístole: é a contração do músculo cardíaco. Temos a sístole atrial, que impul-
siona sangue para os ventrículos. Assim as valvas atrioventriculares estão aber-
tas à passagem de sangue e a pulmonar e a aórtica estão fechadas.