A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Embriologia - aula 10 - derivados mesodérmicos (atividades)

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO 
LATINO-AMERICANA (UNILA) 
 Camila E. A. Martins 
Disciplina de Embriologia e Biologia do Desenvolvimento 
para Biotecnologia 
Professora Carla Grade 
 
Desenvolvimento dos Derivados Mesodérmicos 
Questões: 
1. Cite 6 exemplos de tecidos ou órgãos que se originam a partir de células do mesoderma. 
R. 6 exemplos de tecidos ou órgãos que se originam a partir de células do mesoderma 
são musculatura esquelética, esqueleto axial, trato urogenital, células do sangue e do 
coração, ossos dos membros e celoma e paredes do corpo. 
 
2. Explique por que é possível observar em um mesmo embrião (I) mesoderma paraxial 
não-segmentado (ou pré-somítico), (II) somitos epiteliais, (III) somitos 
compartimentalizados em dermomiótomo e esclerótomo e (IV) somitos 
compartimentalizados em dermátomo, miótomo e esclerótomo 
R. É possível observar em um mesmo embrião mesoderma paraxial não-
segmentado, somitos epiteliais, somitos compartimentalizados em dermomiótomo e 
esclerótomo e somitos compartimentalizados em dermátomo, miótomo e 
esclerótomo pois os somitos vão se formando e se compartimentalizando com o 
tempo. Quando os somitos começam a aparecer, eles se formam da região cranial 
em direção à caudal sendo modificados de acordo com o tempo, passando a ter 
compartimentalizações com o seu amadurecimento. Dessa forma, em determinado 
momento, é possível observar mesoderma paraxial não segmentado na região mais 
posterior do embrião, que ainda não passou pelo processo de diferenciação; somitos 
epiteliais, que são bem jovens ainda, logo acima; somitos compartimentalizados em 
dermomiótomo e esclerótomo em seguida; e na região mais anterior do embrião, 
onde os somitos já estão bem maduros, pode-se observar os somitos já modificados 
com compartimentalização em dermátomo, miótomo e esclerótomo.