A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
O que é Psicodiagnóstico?

Pré-visualização | Página 1 de 1

RESUMO PSICODIAGNÓSTICO 
Psicodiagnóstico é a prática da avaliação psicológica clinica com fins diagnósticos, e é uma prática comumente usada no Brasil. Muitos autores salientam que o termo psicodiagnóstico é mais utilizado quando o psicólogo usa de testes psicológicos, técnicas projetivas, observação e entrevista para obter informações sobre o cliente, mas, para outros o psicodiagnóstico é justamente o caráter investigativo e o diagnóstico podendo, ou não, utilizar testes psicológicos para isso pois depende de cada psicólogo e do de cada indivíduo. No mais, podemos dizer que o psicodiagnóstico é um processo científico muito complexo de investigação e intervenção clínica com tempo limitado que pode se valer de testes e técnicas para a avaliação de algumas características psicológicas afim de ser construído um diagnóstico psicológico. É de extrema importância que psicólogo tenha uma teoria de trabalho para que o psicodiagnóstico não seja ateórico e só baseado em resultados de testes pois o mesmo tem seu teor interventivo e terapêutico. Para fazer um psicodiagnóstico eficiente, o profissional deve avaliar eticamente e com cautela as demandas trazidas pelos seus pacientes, sabendo dizer não e encaminhá-los para outros profissionais quando necessário. É importante também que o psicólogo realize acompanhamento psicológico orientado, de preferência, pela sua própria linha de atuação além de um estudo básico de diversas áreas da psicologia e continuado para a atualização das técnicas psicológicas e psicopatológicas. Um psicodiagnóstico normalmente é melhor sucedido quando o motivo de sua realização é uma boa pergunta a ser respondida para se pensar na demanda do indivíduo. Boas perguntas essas que norteiam e auxiliam o psicólogo a confirmar ou refutar alguma hipótese sobre a demanda inicial do cliente. O psicodiagnóstico é um tipo de avaliação psicológica com objetivos clínicos e por isso não abrange todas as formas de avaliação psicológica. É um processo bipessoal pois compreende o psicólogo e o (os) avaliando (os), tem uma duração limitada de aproximadamente 6 a 12 sessões que buscam entender as demandas de um indivíduo e não uma psicopatologia, é um processo com início, meio e fim. Tem algumas finalidades como investigação diagnóstica explicando o que o avaliando não consegue explicar de forma consciente, avaliação do tratamento aplicando novamente os testes para comparar com a primeira aplicação, como meio de comunicação para facilitar a comunicação e na investigação criando novos artifícios de exploração de personalidade. O maior objetivo do psicodiagnóstico é encaminhar o indivíduo para o tratamento adequado de acordo com sua própria demanda psicológica. A primeira etapa para que haja um psicodiagnóstico é a entrevista inicial que é realizada tanto com o profissional que o solicitou, tanto com o cliente. É por meio dessa entrevista que podemos nos aprofundar nas queixas que o levaram até lá. Se chama entrevista inicial mas pode haver dois encontros se necessário. Essa entrevista pode ter vários modelos como o livre que é mais aberta, a semiestruturada que tem perguntas pré-estabelecidas, porém podem surgir mais na hora de acordo com o rumo da entrevista e a estruturada que é totalmente moldada e é rara no contexto clínico. Depende de cada caso. Já a anamnese é um tipo de entrevista feita para investigar a história do cliente, aspectos de vida relevantes para o entendimento de suas demandas iniciais que o levaram até ali. Como esse tipo de entrevista é utilizada para a investigação de fatos, é importante que o psicólogo tenha uma posição ativa ao fazer os questionamentos. Ela geralmente é feita no modelo semiestruturado com perguntas já estabelecidas, porém, com a abertura para se adicionar mais perguntas de acordo com o contexto. Antes de se iniciar a anamnese é necessário estabelecer um rapport com o cliente, explicando para o mesmo o objetivo daquela entrevista, sua duração e etc. A anamnese não é uma técnica somente utilizada por psicólogos, mas sim, por várias áreas da saúde que precisem buscar informações da história do indivíduo.